Tags

, , , , ,

Reflexões Teológicas de Austri Junior

Reflexões Teológicas de Austri Junior

Reflexão Dominical
João 6:51

Jesus, O Pão da Vida!
“Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo.” (João 6:51)
***

“Eu sou o pão vivo que desceu do céu…” (Jo 6:51a)
Tantas vezes já lemos esse versículo em nossas Bíblias, nos livros, em cartazes…, nas Igrejas. Quantas e tantas vezes já ouvimos esse versículo nos sermões, nas pregações, nas canções…, nas faculdades de teologia. Muitos de nós não se dão conta exatamente do que Jesus está falando aqui, tanto que, muitos pastores, padres, pregadores…, usam esse texto bíblico principalmente nos dias da Ceia do Senhor (A Eucaristia). Algumas denominações adotaram esse texto como padrão para a Eucaristia ou como preferem o evangélicos: “Santa Ceia”. Santa Ceia é um grande erro, pois Santa Ceia é o nome (popular) do quadro pintado por Leonardo Da Vinci, que na realidade chama-se “A última Ceia”. O nome correto para esse ritual é “Eucaristia” ou “Ceia do Senhor”, mas os protestantes (de hoje) e os evangélicos desprezam o termo Eucaristia por intolerância religiosa, por arrogância e por ignorância teológica, entre outras coisas… Os protestantes antigos (que eram mais instruídos) usavam o outro termo correto para esse ritual: “A Ceia do Senhor”, apesar de que algumas Igrejas Históricas ainda usam esse termo, a maioria dos protestantes de hoje também usam o termo errado: “Santa Ceia”.

Voltando ao nosso objetivo de hoje, quero chamar a atenção dos irmãos para o fato de que, nesse texto, o Senhor Jesus está falando de duas coisas específicas:
1ª – Jesus está falando da sua Crucificação (v.51);
2ª – Jesus está falando da sua palavra – ou seja, dos seus ensinamentos (v.63).
Portanto, comer da carne de Jesus e beber do sangue d’Ele é crer na Economia da Salvação através da Crucificação – Morte e Ressurreição. Mas, o mais importante para a Salvação, é: Crer nas Palavras de Jesus (v.47).

O Senhor Jesus usou o termo “comer da minha carne e beber do meu sangue” como metáfora. Sempre tenho repetido aqui, a regra básica da Homiletica (em qualquer área do conhecimento): “Um texto fora do contexto, gera um pretexto”. Ou, se preferirem: “Um pré texto”, o que talvez seja muito pior, pois dificulta ainda mais a interpretação do texto, como um todo, e isoladamente, como temos visto esse texto ser manipulado – muitas das vezes inconscientemente – durante centenas de anos.

Observem o início do capítulo 6, exatamente no v.5:
“Então Jesus, levantando os olhos, e vendo que uma grande multidão vinha ter com ele, disse a Filipe: Onde compraremos pão, para estes comerem? Mas dizia isto para o experimentar; porque ele bem sabia o que havia de fazer.” (João 6:5-6).
A preocupação era como alimentar aquela multidão. Jesus se preocupa com as pessoas.

Então, Jesus resolve o problema:
“E Jesus tomou os pães e, havendo dado graças, repartiu-os pelos discípulos, e os discípulos pelos que estavam assentados; e igualmente também dos peixes, quanto eles queriam. E, quando estavam saciados, disse aos seus discípulos: Recolhei os pedaços que sobejaram, para que nada se perca. Recolheram-nos, pois, e encheram doze alcofas de pedaços dos cinco pães de cevada, que sobejaram aos que haviam comido. Vendo, pois, aqueles homens o milagre que Jesus tinha feito, diziam: Este é verdadeiramente o profeta que devia vir ao mundo.” (João 6:11-14)

Observem o que diz o início do v.14: “Vendo, pois, aqueles homens o milagre que Jesus tinha feito…” Aquele povo andava atrás de sinais e de milagres – e nesse caso, especificamente, A COMIDA! Qualquer semelhança com o povo de hoje em dia, não é mera coincidência. É o “fast food” da fé. As pessoas só acreditam se houver sinais e milagres, por isso são facilmente enganadas pelos predadores do Evangelho. As pessoas querem ver o sobrenatural acontecendo e se esquecem do mais importante: Crer nas Palavras de Jesus. O próprio Jesus é a Palavra (Jo 1:1). A tônica da Salvação é crer em Jesus, não em milagres. Por isso, os predadores do Evangelho estão recebendo as glórias e ficando cada vez mais ricos, enquanto o povo de Deus fica cada vez mais emburrecidos, e à mercê da manipulação. Observem que O Senhor Jesus não manipulou aquele povo. Antes, os orientou: “Jesus respondeu-lhes e disse: Na verdade, na verdade vos digo que me buscais, não pelos sinais que vistes, mas porque comestes do pão e vos saciastes. Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; porque a este o Pai, Deus, o selou.” (João 6:26-27)

E para encerrar a nossa Reflexão Dominical:
“Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim tem a vida eterna.
Eu sou o pão da vida.
O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos digo são espírito e vida.” (João 6:47, 48, 63)

Após essa linda, didática, verdadeira, e reflexiva palavra, um maravilhoso sermão e ensinamento (pois como sempre digo: Jesus pregava ensinando – e não gritando – e ensinava pregando), muitos discípulos foram embora. O abandonaram… “Então disse Jesus aos doze: Quereis vós também retirar-vos? Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. E nós temos crido e conhecido que tu és o Cristo, o Filho do Deus vivente.” (João 6:67-69)

Aqueles discípulos não entenderam, o que Jesus estava dizendo, e o abandonaram, como o abandonam até hoje, e como também abandonam os que pregam a interpretação correta. Ou por ignorância, pois estão “adestrados” para crerem nas interpretações manipuladas, assim como era o povo da época de Jesus, que eram manipulados pelos sacerdotes, escribas e autoridades religiosas, ou porque querem continuar manipulando os “adestrados ignorantes.” E para quê?

A resposta é simples e muito clara:
“Pois assim se ganha mais dinheiro. A tua piscina está cheia de ratos, tuas ideias não correspondem aos fatos, o tempo não para. Eu vejo o futuro repetir o passado, eu vejo um museu de grandes novidades…” (Cazuza)
Teologia, eu quero uma pra viver!

Amadas e amados do Altíssimo Deus Todo Poderoso, abram a sua Bíblia, e leiam o capítulo 6 do Evangelho de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, segundo escreveu João, e construa as suas próprias conclusões. Se possível, fiquem a vontade para nos ajudar a construir outras interpretações. Tenham todos um dia de domingo abençoado na presença dos Senhor, com a tua família. A Graça e a Paz sejam em vossos lares, amém!
Austri Junior – Teólogo

Foto: Reflexão Dominical
João 6:51

Jesus, O Pão da Vida!
"Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo." (João 6:51)
***

"Eu sou o pão vivo que desceu do céu..." (Jo 6:51a)
Tantas vezes já lemos esse versículo em nossas Bíblias, nos livros, em cartazes..., nas Igrejas. Quantas e tantas vezes já ouvimos esse versículo nos sermões, nas pregações, nas canções..., nas faculdades de teologia. Muitos de nós não se dão conta exatamente do que Jesus está falando aqui, tanto que, muitos pastores, padres, pregadores..., usam esse texto bíblico principalmente nos dias da Ceia do Senhor (A Eucaristia). Algumas denominações adotaram esse texto como padrão para a Eucaristia ou como preferem o evangélicos: "Santa Ceia". Santa Ceia é um grande erro, pois Santa Ceia é o nome (popular) do quadro pintado por Leonardo Da Vinci, que na realidade chama-se "A última Ceia". O nome correto para esse ritual é "Eucaristia" ou "Ceia do Senhor", mas os protestantes (de hoje) e os evangélicos desprezam o termo Eucaristia por intolerância religiosa, por arrogância e por ignorância teológica, entre outras coisas... Os protestantes antigos (que eram mais instruídos) usavam o outro termo correto para esse ritual: "A Ceia do Senhor", apesar de que algumas Igrejas Históricas ainda usam esse termo, a maioria dos protestantes de hoje também usam o termo errado: "Santa Ceia".

Voltando ao nosso objetivo de hoje, quero chamar a atenção dos  irmãos para o fato de que, nesse texto, o Senhor Jesus está falando de duas coisas específicas:
1ª - Jesus está falando da sua Crucificação (v.51);
2ª - Jesus está falando da sua palavra - ou seja, dos seus ensinamentos (v.63). 
Portanto, comer da carne de Jesus e beber do sangue d'Ele é crer na Economia da Salvação através da Crucificação - Morte e Ressurreição. Mas, o mais importante para a Salvação, é: Crer nas Palavras de Jesus (v.47).

O Senhor Jesus usou o termo "comer da minha carne e beber do meu sangue" como metáfora. Sempre tenho repetido aqui, a regra básica da Homiletica (em qualquer área do conhecimento): "Um texto fora do contexto, gera um pretexto". Ou, se preferirem: "Um pré texto", o que talvez seja muito pior, pois dificulta ainda mais a interpretação do texto, como um todo, e isoladamente, como temos visto esse texto ser manipulado - muitas das vezes inconscientemente - durante centenas de anos.

Observem o início do capítulo 6, exatamente no v.5: 
"Então Jesus, levantando os olhos, e vendo que uma grande multidão vinha ter com ele, disse a Filipe: Onde compraremos pão, para estes comerem? Mas dizia isto para o experimentar; porque ele bem sabia o que havia de fazer." (João 6:5-6). 
A preocupação era como alimentar aquela multidão. Jesus se preocupa com as pessoas.

Então, Jesus resolve o problema: 
"E Jesus tomou os pães e, havendo dado graças, repartiu-os pelos discípulos, e os discípulos pelos que estavam assentados; e igualmente também dos peixes, quanto eles queriam. E, quando estavam saciados, disse aos seus discípulos: Recolhei os pedaços que sobejaram, para que nada se perca. Recolheram-nos, pois, e encheram doze alcofas de pedaços dos cinco pães de cevada, que sobejaram aos que haviam comido. Vendo, pois, aqueles homens o milagre que Jesus tinha feito, diziam: Este é verdadeiramente o profeta que devia vir ao mundo." (João 6:11-14)

Observem o que diz o início do v.14: "Vendo, pois, aqueles homens o milagre que Jesus tinha feito..." Aquele povo andava atrás de sinais e de milagres - e nesse caso, especificamente, A COMIDA! Qualquer semelhança com o povo de hoje em dia, não é mera coincidência. É o "fast food" da fé. As pessoas só acreditam se houver sinais e milagres, por isso são facilmente enganadas pelos predadores do Evangelho. As pessoas querem ver o sobrenatural acontecendo e se esquecem do mais importante: Crer nas Palavras de Jesus. O próprio Jesus é a Palavra (Jo 1:1). A tônica da Salvação é crer em Jesus, não em milagres. Por isso, os predadores do Evangelho estão recebendo as glórias e ficando cada vez mais ricos, enquanto o povo de Deus fica cada vez mais emburrecidos, e à mercê da manipulação. Observem que O Senhor Jesus não manipulou aquele povo. Antes, os orientou: "Jesus respondeu-lhes e disse: Na verdade, na verdade vos digo que me buscais, não pelos sinais que vistes, mas porque comestes do pão e vos saciastes. Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; porque a este o Pai, Deus, o selou." (João 6:26-27)

E para encerrar a nossa Reflexão Dominical:
"Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim tem a vida eterna.
Eu sou o pão da vida.
O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos digo são espírito e vida." (João 6:47, 48, 63)

Após essa linda, didática, verdadeira, e reflexiva palavra, um maravilhoso sermão e ensinamento (pois como sempre digo: Jesus pregava ensinando - e não gritando - e ensinava pregando), muitos discípulos foram embora. O abandonaram... "Então disse Jesus aos doze: Quereis vós também retirar-vos? Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. E nós temos crido e conhecido que tu és o Cristo, o Filho do Deus vivente." (João 6:67-69)

Aqueles discípulos não entenderam, o que Jesus estava dizendo, e o abandonaram, como o abandonam até hoje, e como também abandonam os que pregam a interpretação correta. Ou por ignorância, pois estão "adestrados" para crerem nas interpretações manipuladas, assim como era o povo da época de Jesus, que eram manipulados pelos sacerdotes, escribas e autoridades religiosas, ou porque querem continuar manipulando os "adestrados ignorantes." E para quê? 

A resposta é simples e muito clara: 
"Pois assim se ganha mais dinheiro. A tua piscina está cheia de ratos, tuas ideias não correspondem aos fatos, o tempo não para. Eu vejo o futuro repetir o passado, eu vejo um museu de grandes novidades..." (Cazuza)
Teologia, eu quero uma pra viver!

Amadas e amados do Altíssimo Deus Todo Poderoso, abram a sua Bíblia, e leiam o capítulo 6 do Evangelho de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, segundo escreveu João, e construa as suas próprias conclusões. Se possível, fiquem a vontade para nos ajudar a construir outras interpretações. Tenham todos um dia de domingo abençoado na presença dos Senhor, com a tua família. A Graça e a Paz sejam em vossos lares, amém!
Austri Junior - Teólogo
Reflexão Dominical
Mateus 12:50

“Porque, qualquer que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, e irmã e mãe.” (Mt 12:50)

Todos nós sabemos que “um texto fora do contexto gera um pretexto”, e, que, não é homiléticamente e teológicamente correto, mas como eu quero evitar as polêmicas que esse texto sempre provoca nas mentes mais fechadas, e, com isso, quero refletir apenas o teor desse versículo sob um dos pontos de vista pelo qual podemos enxergá-lo.

Para mim o v. 50 em Mateus capítulo 12 é perfeitamente claro: Todo aquele que faz a vontade de Deus pertence à família de Jesus. Simples assim! Bem, mas como eu sei se estou fazendo a vontade de Deus? Está tudo na Bíblia! A Bíblia é a bússola do cristão!

Um viajante pode saber se está na direção certa, consultando os mapas, a cartas náuticas, os instrumentos de voo, a bússola, o GPS, ou pedindo informações. Isso irá depender do viajante, de onde ele está e dos recursos que tem às mãos, e, contextualizando com a pós modernidade, tenho visto muita gente errar o caminho, mesmo utilizando o GPS. Algumas pessoas já foram mortas por isso. Recebem uma informação errada do GPS e acabam entrando na favela e são executadas por bandidos e traficantes.

Outra maneira de um viajante se perder, é interpretar erroneamente as informações dos seus instrumentos de orientação. Existem muitas pessoas que estão perdidas, mesmo com a Bíblia nas mãos, pois não estão sabendo fazer uma leitura (hermenêutica/interpretação) correta do que estão lendo. O Fundamental para que isso não aconteça é não ser fundamentalista.

Mas, retornado ao versículo 50 de Mateus capítulo 12, fazer a vontade do Pai nos torna filhos d’Ele. Se somos filhos do Pai, com certeza seremos irmãos de Jesus, logo, somos uma só família, em Cristo Jesus. Então qual é a nossa bússola, ou GPS bíblicos para fazer a vontade do Pai sem correr o risco de errar nas interpretações? Ler a Bíblia, orar, e buscar a Deus é muito importante e devemos faze-lo constantemente, mas junto a isso, devemos estudar, questionar, ler, indagar…, não acreditar em tudo o que ouvimos, ou em qualquer coisa que lemos e que vemos. A resposta principal para as nossas dúvidas e perguntas é (novamente) simples: A BÍBLIA!

Toda a Bíblia está recheada das informações necessárias das quais precisamos para prosseguir em nossa jornada cristã. É só buscar e encontraremos. Mas, se não nos prepararmos para isso, de nada vai adiantar pois uma leitura fundamentalista, ou a pouca capacidade de raciocínio e de interpretação, podem gerar consequências desastrosas. A desonestidade e a manipulação dos textos também causam destruição nas mentes desavisadas. Por isso, a grandeza de estudar e buscar conhecimento técnico, acadêmico, teológico…, para não ficar nas mãos de gentes desonestas e manipuladoras que nos enganam, dizendo que aquela é a vontade de Deus. Ter vida de oração, retidão, boa vontade só não basta, se não tivermos a capacidade de interpretar a vontade de Deus para as nossas vidas. Há pessoas que, por não ter visão própria, são manipuladas pelos predadores do Evangelho.

Além do decálogo, temos todos os ensinamentos do Mestre Jesus Cristo, no Novo Testamento (principalmente no Evangelho de Mateus capítulos 5-7 – “O Sermão do Monte”). Temos as cartas dos discípulos, e temos a nossa consciência (discernimento natural). Depois de conhecermos a Bíblia, nós sabemos quando estamos no caminho ou não. Por fim, para fazer a vontade do Pai, é preciso realizar as obras de Deus. Como então podemos realizar as obras de Deus?

“A obra de Deus é esta: que creiais naquele que por ele foi enviado” (Jo 6:29).

Leia Mateus capítulo 12 e construa as suas próprias conclusões, e nos ajude construir outras interpretações. Tenham todos um abençoado domingo na presença do Altíssimo e Todo Poderoso Deus, buscando conhecimento, realizando a obra d’Ele e fazendo a vontade do Pai. Não a vontade daqueles que querem nos manipular e nos dominar.

Austri JuniorTeólogo

Foto: Reflexão Dominical
Mateus 12:50

"Porque, qualquer que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, e irmã e mãe." (Mt 12:50)

Todos nós sabemos que "um texto fora do contexto gera um pretexto", e, que, não é homiléticamente e teológicamente correto, mas como eu quero evitar as polêmicas que esse texto sempre provoca nas mentes mais fechadas, e, com isso, quero refletir apenas o teor desse versículo sob um dos pontos de vista pelo qual podemos enxergá-lo.

Para mim o v. 50 em Mateus capítulo 12 é perfeitamente claro: Todo aquele que faz a vontade de Deus  pertence à família de Jesus. Simples assim! Bem, mas como eu sei se estou fazendo a vontade de Deus? Está tudo na Bíblia! A Bíblia é a bússola do cristão! 

Um viajante pode saber se está na direção certa, consultando os mapas, a cartas náuticas, os instrumentos de voo, a bússola, o GPS, ou pedindo informações. Isso irá depender do viajante, de onde ele está e dos recursos que tem às mãos, e, contextualizando com a pós modernidade, tenho visto muita gente errar o caminho, mesmo utilizando o GPS. Algumas pessoas já foram mortas por isso. Recebem uma informação errada do GPS e acabam entrando na favela e são executadas por bandidos e traficantes. 

Outra maneira de  um viajante se perder, é interpretar erroneamente as informações dos seus instrumentos de orientação. Existem muitas pessoas que estão perdidas, mesmo com a Bíblia nas mãos, pois não estão sabendo fazer uma leitura (hermenêutica/interpretação) correta do que estão lendo. O Fundamental para que isso não aconteça é não ser fundamentalista.

Mas, retornado ao versículo 50 de Mateus  capítulo 12, fazer a vontade do Pai nos torna filhos d'Ele. Se somos filhos do Pai, com certeza seremos irmãos de Jesus, logo, somos uma só família, em Cristo Jesus. Então qual é a nossa bússola, ou GPS bíblicos para fazer a vontade do Pai sem correr o risco de errar nas interpretações? Ler a Bíblia, orar, e buscar a Deus é muito importante e devemos faze-lo constantemente, mas junto a isso, devemos estudar, questionar, ler, indagar..., não acreditar em tudo o que ouvimos, ou  em qualquer coisa que lemos e que vemos. A resposta principal para as nossas dúvidas e perguntas é (novamente) simples: A BÍBLIA! 

Toda a Bíblia está recheada das informações necessárias das quais precisamos para prosseguir em nossa jornada cristã. É só buscar e encontraremos. Mas, se não nos prepararmos para isso, de nada vai adiantar pois uma leitura fundamentalista, ou a pouca capacidade de raciocínio e de interpretação, podem gerar consequências desastrosas. A desonestidade e a manipulação dos textos também causam destruição nas mentes desavisadas. Por isso, a grandeza de estudar e buscar conhecimento técnico, acadêmico, teológico..., para não ficar nas mãos de gentes desonestas e manipuladoras que nos enganam, dizendo que aquela é a vontade de Deus. Ter vida de oração, retidão, boa vontade só não basta, se não tivermos a capacidade de interpretar a vontade de Deus para as nossas vidas. Há pessoas que, por não ter visão própria, são manipuladas pelos predadores do Evangelho. 

Além do decálogo, temos todos os ensinamentos do Mestre Jesus Cristo, no Novo Testamento (principalmente no Evangelho de  Mateus capítulos 5-7 - "O Sermão do Monte"). Temos as cartas dos discípulos, e temos a nossa consciência (discernimento natural). Depois de conhecermos a Bíblia, nós sabemos quando estamos no caminho ou não. Por fim, para fazer a vontade do Pai, é preciso realizar as obras de Deus. Como então podemos realizar as obras de Deus? 

"A obra de Deus é esta: que creiais naquele que por ele foi enviado" (Jo 6:29).

Leia Mateus capítulo 12 e construa as suas próprias conclusões, e nos ajude construir outras interpretações. Tenham todos um abençoado domingo na presença do Altíssimo e Todo Poderoso Deus, buscando conhecimento, realizando a obra d'Ele e fazendo a vontade do Pai. Não a vontade daqueles que querem nos manipular e nos dominar.

Austri Junior - Teólogo

Reflexão da Semana
Levítico 8-10

CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES
Nossas reflexões, outrora diárias, agora serão semanais. Enquanto estivermos tratando de leis e/ou genealogias, e narrativas históricas, faremos sempre uma reflexão didática, pedagógica, educativa e de cunho teológico, utilizando as notas de roda pé da Bíblia Pastoral da Editora Paulus. Como sempre, sugerimos às nossas amigas e amigos que cada um leia a sua Bíblia, estude, compare, e construa as suas próprias conclusões, e nos ajude construir outras interpretações. Um grande abraço para todos, com votos de que o seu fim de semana seja muito abençoado na presença do Altíssimo Deus Todo Poderoso, e aproveite a vida com a sua família. A Graça e a Paz sejam com todos vos.
Austri JuniorTeólogo

* 8,1-9,24: O ritual aqui apresentado salienta o caráter sagrado do sacerdote. Este rito reflete a mentalidade de que existem dois tipos de pessoas e coisas: as sagradas, que pertencem a Deus; e as profanas, que não pertencem a ele. Umas puras, outras impuras; umas «santas», outras que contêm pecado, isto é, não servem para o culto. Os profetas e o Novo Testamento proclamarão que o pecado não é mancha ou defeito externo, mas culpa que sai de dentro do homem (cf. Is 29,13; Mc 7,20ss).

Os sacerdotes e reis eram consagrados com a unção de óleo. Tornavam-se assim ungidos de Deus (em hebraico, Messias; em grego, Cristo), mediadores entre Deus e o povo. A carta aos Hebreus mostra que todo o sacerdócio antigo foi superado: doravante, Jesus é o único sacerdote-mediador entre Deus e os homens (cf. Hb 5-8).

* 10,1-20: O texto é um conjunto de elementos reunidos artificialmente. O episódio de Nadab e Abiú salienta o perigo de profanar o sagrado, e serve de introdução para algumas instruções. Os vv. 16-20 são confusos e de difícil compreensão.

Foto: Reflexão da Semana
Levítico 8-10

CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES
Nossas reflexões, outrora diárias, agora serão semanais. Enquanto estivermos tratando de leis e/ou genealogias, e narrativas históricas, faremos sempre uma reflexão didática, pedagógica, educativa e de cunho teológico, utilizando as notas de roda pé da Bíblia Pastoral da Editora Paulus. Como sempre, sugerimos às nossas amigas e amigos que cada um leia a sua Bíblia, estude, compare, e construa as suas próprias conclusões, e nos ajude construir outras interpretações. Um grande abraço para todos, com votos de que o seu fim de semana seja muito abençoado na presença do Altíssimo Deus Todo Poderoso, e aproveite a vida com a sua família. A Graça e a Paz sejam com todos vos.
Austri Junior - Teólogo 

* 8,1-9,24: O ritual aqui apresentado salienta o caráter sagrado do sacerdote. Este rito reflete a mentalidade de que existem dois tipos de pessoas e coisas: as sagradas, que pertencem a Deus; e as profanas, que não pertencem a ele. Umas puras, outras impuras; umas «santas», outras que contêm pecado, isto é, não servem para o culto. Os profetas e o Novo Testamento proclamarão que o pecado não é mancha ou defeito externo, mas culpa que sai de dentro do homem (cf. Is 29,13; Mc 7,20ss).

Os sacerdotes e reis eram consagrados com a unção de óleo. Tornavam-se assim ungidos de Deus (em hebraico, Messias; em grego, Cristo), mediadores entre Deus e o povo. A carta aos Hebreus mostra que todo o sacerdócio antigo foi superado: doravante, Jesus é o único sacerdote-mediador entre Deus e os homens (cf. Hb 5-8).

* 10,1-20: O texto é um conjunto de elementos reunidos artificialmente. O episódio de Nadab e Abiú salienta o perigo de profanar o sagrado, e serve de introdução para algumas instruções. Os vv. 16-20 são confusos e de difícil compreensão.
Reflexão Dominical:
Mt 5-7O SERMÃO DO MONTE – OS ENSINAMENTOS DO SENHOR JESUS
Os capítulos 5,6 e 7 do Evangelho de Mateus são para mim, simplesmente incríveis! Simplesmente, porque nesses três capítulos estão o cerne de toda a Pregação de Jesus. Jesus, como homem tinha todos os Dons, evidentemente, e não era para ser diferente, pois era um com o Pai e com o Espírito Santo, portanto era a segunda pessoa da Trindade.

Jesus veio do Pai (Jo 16:28), Ele era com o Pai (Jo 10:30), e Ele estava com o Pai, desde o princípio (Jo 1:20). Isso não é maravilhoso?!

Engana-se quem pensa que o Ministério de Jesus era curar, expulsar demônios… Isso são Dons. O Dom é um presente de Deus, e ele possuía todos os Dons. Mas os seus Ministérios eram dois:
1º – O Ministério do Ensino;
2º – O Ministério da Palavra/Pregação.

E, incríveis, porque neles podemos contemplar o mais interessante: Jesus ensinava pregando, e pregava ensinando. Ele pregava com mansidão, com suavidade, sem gritos, sem berros, sem escândalos, sem gritarias…
Tens dúvidas? Leia, estude, coma, beba, “devore”, respire, durma… Debruce-se em cima dos quatro Evangelhos, leia com muita atenção, sempre comparando com os capítulos 5,6, e 7 do Evangelho de Mateus. Se não tiveres tempo para isso, ou, se fores recheado de preguiça para estudar a Bíblia, então, ao menos, leia com muita atenção o Evangelho de Mateus, capítulos 5,6,7: O Sermão do Monte! Quando Jesus abria a boca, todos ficavam maravilhados, “Porquanto os ensinava como tendo autoridade; e não como os escribas.” (Mt 7:29). Ensinar com autoridade não é ensinar gritando, acusando, apontando o dedo, condenando as pessoas e sua fé, sua roupas ou comportamento. Ensinar com autoridade não consiste em condenar as outras religiões, as outras denominações e as suas doutrinas. Podemos ensinar em nossas igrejas e dizer o que segundo a Bíblia é correto ou não, sem desrespeitar os outros, ou, disseminar o ódio e a intolerância, entre outras coisas…

No Sermão do Monte, também conhecido como
“As bem-aventuranças” (de Jesus), temos ótimos, básicos e ao mesmo tempo profundos e maravilhosos ensinamentos:

1º – O próprio sermão em si (Mt 5:1-48);
2º – A prática de justiça (Mt 6:1);
3º – Como se deve praticar a misericórdia (Mt 6:2-4);
4º – Como orar (Mt 6:5-8);
5º – A oração dominical [Oração do Pai Nosso] (Mt 6:9-15);
6º – Como jejuar (Mt 6:16-18);
7º – Os tesouros no céu (Mt 6:19-21);
8º – A luz e as trevas (Mt 6:22,23);
9º – Os dois Senhores (Mt 6:24);
10º – A ansiosa solicitude pela vida (Mt 6:25-34);
11º – A proibição do juízo temerário (Mt 7:1-5);
12º – Não desperdiçar os ensinamentos (Mt 7:6);
13º – Orar, buscar, pedir (Mt 7:7-12);
14º – As duas estradas (Mt 7:13,14);
15º – Os falsos profetas (Mt 7:15-23);
16º – Os dois fundamentos (Mt 7:24-29).

Tome a sua Bíblia, e estude com afinco os capítulos 5,6 e 7 do Evangelho do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, e construa as suas próprias conclusões, e nos ajude construir outras interpretações. Não esqueça de se “armar” com um excelente dicionário. Se possível for, use várias Bíblias de estudos, e não deixe de ler as notas de roda pé das Bíblias em questão, e as introduções (do Evangelho de Mateus) contidas nas suas Bíblias. Lembre-se: “São os olhos a lâmpada do corpo. Se os olhos teus forem bons, todo o teu corpo será luminoso; se porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas. Portanto, caso a luz que em ti há sejam trevas, que grandes trevas serão!” (Mt 6:22,23)

Que nós não nos fechemos ao conhecimento e muito menos às outras interpretações e pontos de vistas. Pois se os nossos olhos alcançarem a luz, também a nossas mentes iluminadas serão. Porquanto, “São os olhos a lâmpada do corpo.” (Mt 6:22a).

Tenha um maravilhoso dia na presença do Altíssimo, desfrutando da Tua Luz e do Teu Conhecimento, com a sua família. Tenham todos uma semana abençoada. Amém!
Austri JuniorTeólogo

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão Dominical:<br />
Mt 5-7</p>
<p>O SERMÃO DO MONTE - OS ENSINAMENTOS DO SENHOR JESUS<br />
Os capítulos 5,6 e 7 do Evangelho de Mateus são para mim, simplesmente incríveis! Simplesmente, porque nesses três capítulos estão o cerne de toda a Pregação de Jesus. Jesus, como homem tinha todos os Dons, evidentemente, e não era para ser diferente, pois era um com o Pai e com o Espírito Santo, portanto era a segunda pessoa da Trindade. </p>
<p>Jesus veio do Pai (Jo 16:28), Ele era com o Pai (Jo 10:30), e Ele estava com o Pai, desde o princípio (Jo 1:20). Isso não é maravilhoso?!</p>
<p>Engana-se quem pensa que o Ministério de Jesus era curar, expulsar demônios... Isso são Dons. O Dom é um presente de Deus, e ele possuía todos os Dons. Mas os seus Ministérios eram dois:<br />
1º - O Ministério do Ensino;<br />
2º - O Ministério da Palavra/Pregação.</p>
<p>E, incríveis, porque neles podemos contemplar o mais interessante: Jesus ensinava pregando, e pregava ensinando. Ele pregava com mansidão, com suavidade, sem gritos, sem berros, sem escândalos, sem gritarias...<br />
Tens dúvidas? Leia, estude, coma, beba, "devore", respire, durma... Debruce-se em cima dos quatro Evangelhos, leia com muita atenção, sempre comparando com os capítulos 5,6, e 7 do Evangelho de Mateus. Se não tiveres tempo para isso, ou, se fores recheado de preguiça para estudar a Bíblia, então, ao menos, leia com muita atenção o Evangelho de Mateus, capítulos 5,6,7: O Sermão do Monte!  Quando Jesus abria a boca, todos ficavam maravilhados, "Porquanto os ensinava como tendo autoridade; e não como os escribas." (Mt 7:29). Ensinar com autoridade não é ensinar gritando, acusando, apontando o dedo, condenando as pessoas e sua fé, sua roupas ou comportamento. Ensinar com autoridade não consiste em condenar as outras religiões, as outras denominações e as suas doutrinas. Podemos ensinar em nossas igrejas e dizer o que segundo a Bíblia é correto ou não, sem desrespeitar os outros, ou, disseminar o ódio e a intolerância, entre outras coisas...</p>
<p>No Sermão do Monte, também conhecido como<br />
"As bem-aventuranças" (de Jesus), temos ótimos, básicos e ao mesmo tempo profundos e maravilhosos ensinamentos:</p>
<p>1º   - O próprio sermão em si (Mt 5:1-48);<br />
2º   - A prática de justiça (Mt 6:1);<br />
3º   - Como se deve praticar a misericórdia (Mt 6:2-4);<br />
4º   - Como orar (Mt 6:5-8);<br />
5º   - A oração dominical [Oração do Pai Nosso] (Mt  6:9-15);<br />
6º   - Como jejuar (Mt 6:16-18);<br />
7º   - Os tesouros no céu (Mt 6:19-21);<br />
8º   - A luz e as trevas (Mt 6:22,23);<br />
9º   - Os dois Senhores (Mt 6:24);<br />
10º - A ansiosa solicitude pela vida (Mt 6:25-34);<br />
11º - A proibição do juízo temerário (Mt 7:1-5);<br />
12º - Não desperdiçar os ensinamentos (Mt 7:6);<br />
13º - Orar, buscar, pedir (Mt 7:7-12);<br />
14º - As duas estradas (Mt 7:13,14);<br />
15º - Os falsos profetas (Mt 7:15-23);<br />
16º - Os dois fundamentos (Mt 7:24-29).</p>
<p>Tome a sua Bíblia, e estude com afinco os capítulos 5,6 e 7 do Evangelho do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, e construa as suas próprias conclusões, e nos ajude construir outras interpretações. Não esqueça de se "armar" com um excelente dicionário. Se possível for, use várias Bíblias de estudos, e não deixe de ler as notas de roda pé das Bíblias em questão, e as introduções (do Evangelho de Mateus) contidas nas suas Bíblias. Lembre-se: "São os olhos a lâmpada do corpo. Se os olhos teus forem bons, todo o teu corpo será luminoso; se porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas. Portanto, caso a luz que em ti há sejam trevas, que grandes trevas serão!" (Mt 6:22,23)</p>
<p>Que nós não nos fechemos ao conhecimento e muito menos às outras interpretações e pontos de vistas. Pois se os nossos olhos alcançarem a luz, também a nossas mentes iluminadas serão. Porquanto, "São os olhos a lâmpada do corpo." (Mt 6:22a).</p>
<p>Tenha um maravilhoso dia na presença do Altíssimo, desfrutando da Tua Luz e do Teu Conhecimento, com a sua família. Tenham todos uma semana abençoada. Amém!<br />
Austri Junior - Teólogo
Reflexão do Dia
Bom dia amadas e amados do Altíssimo e Todo-poderoso Deus!
A nossa reflexão de hoje tem duas características:
1ª – Será rápida;
2ª – Será a última reflexão espiritual (do livro de Êxodo, aqui na página).

O SENHOR É NOSSO AMIGO!
(Êxodo 33:11a)
– Versão Pastoral (Ed. Paulus):
“Javé falava com Moisés face a face, como um homem fala com o amigo.”

– Versão NVI (On Line):
“O Senhor falava com Moisés face a face, como quem fala com seu amigo.”

– Versão Vulgata Latina (On Line):
“loquebatur autem Dominus ad Mosen facie ad faciem sicut loqui solet homo ad amicum suum.”

– Versão King James (On Line):
“And the LORD spake unto Moses face to face, as a man speaketh unto his friend.”
***

Moisés tinha intimidade com Deus, e Deus “falava com Moisés face a face, como um homem fala com o amigo.” Isso é maravilhoso demais! Moisés buscava Deus e Deus se deixava encontrar. Deus dava essa liberdade, abertura e confiança ao seu servo. Moisés sabia fazer uso dessa confiança, desse amor, dessa liberdade que o seu Senhor lhe concedia, para interceder, pedir, clamar pelo povo. Moisés pedia, Deus atendia. Deus era tão amigo de Moisés que lhe concedia até a sua Glória, para que Moisés experimentasse um pouco desse poder.

Se Deus, em sua magnitude pode fazer isso com um simples e imperfeito mortal, porque nós em nossa insignificante humanidade (comparada com a Grandeza do Senhor), não podemos dar liberdade aos nossos liderados, e confiar neles e em nós mesmos, segundo a capacitação que lhes damos (pois Deus capacitava Moisés o tempo todo)? Porque não falamos com os nossos assistentes como a um amigo, como Deus falava com Moisés? Ao invés disso, muitos lideres tratam os seus auxiliares e liderados como capachos, cidadãos de segunda, terceira…, quinta classe, e os exploram e os sobrecarregam de tal forma, que o fardo lhes fica impossível de ser carregado, levando-os muitas das vezes, à desistência. Isso se dá dentro e fora das igrejas, e pior se torna, quando é uma pessoa que se diz cristã, que pratica tal ato. Podemos estender essa reflexão muito além do campo eclesiástico e profissional (local de trabalho secular), como por exemplo, à família e aos amigos.

Por outro lado, na condição de Servo do Senhor, devo sempre olhar para dentro de mim mesmo e observar duas situações:

1ª – Estou agindo com as pessoas ao meu redor como Deus agia com Moisés, falando-lhes como um amigo?

2ª – Deus fala comigo como falava com Moisés? (Não literalmente como no texto).

Precisamos ter vida com Deus, buscá-lo sempre, e conversar com o Senhor sobre todas as coisas, momentos e situações e Ele conversará conosco “face a face, como quem fala com seu amigo.”

A Graça do Deus Amigo seja conosco em todo tempo e lugar!
Tenham todos um bom dia, e que a Paz do Senhor Jesus abunde o nosso espírito a fim de fazermos o que é certo e compreender a mensagem além do intelecto e da razão, sem deixar que a emoção cegue a nossa visão. Um grande beijo no coração de todos, amigas e amigos da nossa Página A Lâmpada!

Austri JuniorTeólogo
***

Leiam o capítulo 33 do livro do Êxodo por inteiro, construam as suas conclusões e nos ajude construir outras interpretações:

Êxodo 33:1-23
Disse mais o SENHOR a Moisés: Vai, sobe daqui, tu e o povo que fizeste subir da terra do Egito, à terra que jurei a Abraão, a Isaque, e a Jacó, dizendo: À tua descendência a darei.
E enviarei um anjo adiante de ti, e lançarei fora os cananeus, e os amorreus, e os heteus, e os perizeus, e os heveus, e os jebuseus,
A uma terra que mana leite e mel; porque eu não subirei no meio de ti, porquanto és povo de dura cerviz, para que te não consuma eu no caminho.
E, ouvindo o povo esta má notícia, pranteou-se e ninguém pôs sobre si os seus atavios.
Porquanto o Senhor tinha dito a Moisés: Dize aos filhos de Israel: És povo de dura cerviz; se por um momento subir no meio de ti, te consumirei; porém agora tira os teus atavios, para que eu saiba o que te hei de fazer.
Então os filhos de Israel se despojaram dos seus atavios, ao pé do monte Horebe.
E tomou Moisés a tenda, e a estendeu para si fora do arraial, desviada longe do arraial, e chamou-lhe a tenda da congregação. E aconteceu que todo aquele que buscava o Senhor saía à tenda da congregação, que estava fora do arraial.
E acontecia que, saindo Moisés à tenda, todo o povo se levantava, e cada um ficava em pé à porta da sua tenda; e olhava para Moisés pelas costas, até ele entrar na tenda.
E sucedia que, entrando Moisés na tenda, descia a coluna de nuvem, e punha-se à porta da tenda; e o Senhor falava com Moisés.
E, vendo todo o povo a coluna de nuvem que estava à porta da tenda, todo o povo se levantava e cada um, à porta da sua tenda, adorava.
E falava o Senhor a Moisés face a face, como qualquer fala com o seu amigo; depois tornava-se ao arraial; mas o seu servidor, o jovem Josué, filho de Num, nunca se apartava do meio da tenda.
E Moisés disse ao Senhor: Eis que tu me dizes: Faze subir a este povo, porém não me fazes saber a quem hás de enviar comigo; e tu disseste: Conheço-te por teu nome, também achaste graça aos meus olhos.
Agora, pois, se tenho achado graça aos teus olhos, rogo-te que me faças saber o teu caminho, e conhecer-te-ei, para que ache graça aos teus olhos; e considera que esta nação é o teu povo.
Disse pois: Irá a minha presença contigo para te fazer descansar.
Então lhe disse: Se tu mesmo não fores conosco, não nos faças subir daqui.
Como, pois, se saberá agora que tenho achado graça aos teus olhos, eu e o teu povo? Acaso não é por andares tu conosco, de modo a sermos separados, eu e o teu povo, de todos os povos que há sobre a face da terra?
Então disse o Senhor a Moisés: Farei também isto, que tens dito; porquanto achaste graça aos meus olhos, e te conheço por nome.
Então ele disse: Rogo-te que me mostres a tua glória.
Porém ele disse: Eu farei passar toda a minha bondade por diante de ti, e proclamarei o nome do Senhor diante de ti; e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia, e me compadecerei de quem eu me compadecer.
E disse mais: Não poderás ver a minha face, porquanto homem nenhum verá a minha face, e viverá.
Disse mais o Senhor: Eis aqui um lugar junto a mim; aqui te porás sobre a penha.
E acontecerá que, quando a minha glória passar, pôr-te-ei numa fenda da penha, e te cobrirei com a minha mão, até que eu haja passado.
E, havendo eu tirado a minha mão, me verás pelas costas; mas a minha face não se verá.

Foto: Reflexão do Dia<br />
Bom dia amadas e amados do Altíssimo e Todo-poderoso Deus!<br />
A nossa reflexão de hoje tem duas características:<br />
1ª - Será rápida;<br />
2ª - Será a última reflexão espiritual (do livro de Êxodo, aqui na página).</p>
<p>O SENHOR É NOSSO AMIGO!<br />
(Êxodo 33:11a)</p>
<p>- Versão Pastoral (Ed. Paulus):<br />
"Javé falava com Moisés face a face, como um homem fala com o amigo."</p>
<p>- Versão NVI (On Line):<br />
"O Senhor falava com Moisés face a face, como quem fala com seu amigo."</p>
<p>- Versão Vulgata Latina (On Line):<br />
"loquebatur autem Dominus ad Mosen facie ad faciem sicut loqui solet homo ad amicum suum."</p>
<p>- Versão King James (On Line):<br />
"And the LORD spake unto Moses face to face, as a man speaketh unto his friend."<br />
***</p>
<p>Moisés tinha intimidade com Deus, e Deus "falava com Moisés face a face, como um homem fala com o amigo." Isso é maravilhoso demais! Moisés buscava Deus e Deus se deixava encontrar. Deus dava essa liberdade, abertura e confiança ao seu servo. Moisés sabia fazer uso dessa confiança, desse amor, dessa liberdade que o seu Senhor lhe concedia, para interceder, pedir, clamar pelo povo. Moisés pedia, Deus atendia. Deus era tão amigo de Moisés que lhe concedia até a sua Glória, para que Moisés experimentasse um pouco desse poder.</p>
<p>Se Deus, em sua magnitude pode fazer isso com um simples e imperfeito mortal, porque nós em nossa insignificante humanidade (comparada com a Grandeza do Senhor), não podemos dar liberdade aos nossos liderados, e confiar neles e em nós mesmos, segundo a capacitação que lhes damos (pois Deus capacitava Moisés o tempo todo)? Porque não falamos com os nossos assistentes como a um amigo, como Deus falava com Moisés? Ao invés disso, muitos lideres tratam os seus auxiliares e liderados como capachos, cidadãos de segunda, terceira..., quinta classe, e os exploram e os sobrecarregam de tal forma, que o fardo lhes fica impossível de ser carregado, levando-os muitas das vezes, à desistência. Isso se dá dentro e fora das igrejas, e pior se torna, quando é uma pessoa que se diz cristã, que pratica tal ato. Podemos estender essa reflexão muito além do campo eclesiástico e profissional (local de trabalho secular), como por exemplo, à família e aos amigos.</p>
<p>Por outro lado, na condição de Servo do Senhor, devo sempre olhar para dentro de mim mesmo e observar duas situações:</p>
<p>1ª - Estou agindo com as pessoas ao meu redor como Deus agia com Moisés, falando-lhes como um amigo?</p>
<p>2ª - Deus fala comigo como falava com Moisés? (Não literalmente como no texto).</p>
<p>Precisamos ter vida com Deus, buscá-lo sempre, e conversar com o Senhor sobre todas as coisas, momentos e situações e Ele conversará conosco "face a face, como quem fala com seu amigo."</p>
<p>A Graça do Deus Amigo seja conosco em todo tempo e lugar!<br />
Tenham todos um bom dia, e que a Paz do Senhor Jesus abunde o nosso espírito a fim de fazermos o que é certo e compreender a mensagem além do intelecto e da razão, sem deixar que a emoção cegue a nossa visão. Um grande beijo no coração de todos, amigas e amigos da nossa Página A Lâmpada!</p>
<p>Austri Junior - Teólogo<br />
***</p>
<p>Leiam o capítulo 33 do livro do Êxodo por inteiro, construam as suas conclusões e nos ajude construir outras interpretações:</p>
<p>Êxodo 33:1-23<br />
Disse mais o SENHOR a Moisés: Vai, sobe daqui, tu e o povo que fizeste subir da terra do Egito, à terra que jurei a Abraão, a Isaque, e a Jacó, dizendo: À tua descendência a darei.<br />
E enviarei um anjo adiante de ti, e lançarei fora os cananeus, e os amorreus, e os heteus, e os perizeus, e os heveus, e os jebuseus,<br />
A uma terra que mana leite e mel; porque eu não subirei no meio de ti, porquanto és povo de dura cerviz, para que te não consuma eu no caminho.<br />
E, ouvindo o povo esta má notícia, pranteou-se e ninguém pôs sobre si os seus atavios.<br />
Porquanto o Senhor tinha dito a Moisés: Dize aos filhos de Israel: És povo de dura cerviz; se por um momento subir no meio de ti, te consumirei; porém agora tira os teus atavios, para que eu saiba o que te hei de fazer.<br />
Então os filhos de Israel se despojaram dos seus atavios, ao pé do monte Horebe.<br />
E tomou Moisés a tenda, e a estendeu para si fora do arraial, desviada longe do arraial, e chamou-lhe a tenda da congregação. E aconteceu que todo aquele que buscava o Senhor saía à tenda da congregação, que estava fora do arraial.<br />
E acontecia que, saindo Moisés à tenda, todo o povo se levantava, e cada um ficava em pé à porta da sua tenda; e olhava para Moisés pelas costas, até ele entrar na tenda.<br />
E sucedia que, entrando Moisés na tenda, descia a coluna de nuvem, e punha-se à porta da tenda; e o Senhor falava com Moisés.<br />
E, vendo todo o povo a coluna de nuvem que estava à porta da tenda, todo o povo se levantava e cada um, à porta da sua tenda, adorava.<br />
E falava o Senhor a Moisés face a face, como qualquer fala com o seu amigo; depois tornava-se ao arraial; mas o seu servidor, o jovem Josué, filho de Num, nunca se apartava do meio da tenda.<br />
E Moisés disse ao Senhor: Eis que tu me dizes: Faze subir a este povo, porém não me fazes saber a quem hás de enviar comigo; e tu disseste: Conheço-te por teu nome, também achaste graça aos meus olhos.<br />
Agora, pois, se tenho achado graça aos teus olhos, rogo-te que me faças saber o teu caminho, e conhecer-te-ei, para que ache graça aos teus olhos; e considera que esta nação é o teu povo.<br />
Disse pois: Irá a minha presença contigo para te fazer descansar.<br />
Então lhe disse: Se tu mesmo não fores conosco, não nos faças subir daqui.<br />
Como, pois, se saberá agora que tenho achado graça aos teus olhos, eu e o teu povo? Acaso não é por andares tu conosco, de modo a sermos separados, eu e o teu povo, de todos os povos que há sobre a face da terra?<br />
Então disse o Senhor a Moisés: Farei também isto, que tens dito; porquanto achaste graça aos meus olhos, e te conheço por nome.<br />
Então ele disse: Rogo-te que me mostres a tua glória.<br />
Porém ele disse: Eu farei passar toda a minha bondade por diante de ti, e proclamarei o nome do Senhor diante de ti; e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia, e me compadecerei de quem eu me compadecer.<br />
E disse mais: Não poderás ver a minha face, porquanto homem nenhum verá a minha face, e viverá.<br />
Disse mais o Senhor: Eis aqui um lugar junto a mim; aqui te porás sobre a penha.<br />
E acontecerá que, quando a minha glória passar, pôr-te-ei numa fenda da penha, e te cobrirei com a minha mão, até que eu haja passado.<br />
E, havendo eu tirado a minha mão, me verás pelas costas; mas a minha face não se verá.
Reflexão do Dia:
Êxodo capítulo 32O BEZERRO DE OURO
O mesmo povo que havia dito: “Faremos tudo o que Javé mandou e obedeceremos” (Ex 24:7b), ao ver que Moisés demorara para descer do monte, pois “Moisés entrou pelo meio da nuvem e subiu à montanha. E Moisés ficou na montanha quarenta dias e quarenta noites” (Ex 24:18), “reuniu-se em torno de Aarão, e lhe disse: ‘Vamos! Faça para nós um deus que caminhe à nossa frente, porque não sabemos o que aconteceu com esse Moisés que nos tirou do Egito'” (Ex 32:1).

É impressionante como nós somos capazes de reagir diante das dúvidas, e diante das primeiras dificuldades que nos acontece. Como nós somos capazes de virar as costas para o nosso Deus, no mesmo instante em que estamos jurando-lhe fidelidade e obediência. Assim fez Israel por várias e inúmeras vazes, assim fazemos nós, da mesma forma.

Uma situação que muito me chama a atenção nesses textos que estamos refletindo no livro do Êxodo nessas últimas semanas, é a forma como o povo se dirige à Moisés, e à forma como esse mesmo povo o trata. Com desrespeito e estranheza: “…não sabemos o que aconteceu com ESSE MOISÉS que nos tirou do Egito” (v. 1). Em contra partida, a forma como Moisés intercede por esse povo rebelde e desrespeitador, que vive desafiando a sua autoridade, também me chama muito à atenção, e me fascina de uma tal forma, que chega me impressionar: “Então Moisés suplicou a Javé, seu Deus, dizendo: «Javé, por que a tua ira se acende contra o teu povo, que tiraste do Egito com grande poder e mão forte? Por que os egípcios haveriam de dizer: ‘Ele os tirou com má intenção, para matá-los entre as montanhas e exterminá-los da face da terra’? Desiste do incêndio de tua ira e volta atrás do castigo que pretendias impor ao teu povo. Lembra-te dos teus servos Abraão, Isaac e Israel, aos quais juraste por ti mesmo, dizendo: ‘Eu multiplicarei a descendência de vocês como as estrelas do céu, e toda a terra que lhes prometi, eu a darei aos filhos de vocês, para que a possuam para sempre’. Então Javé se arrependeu do castigo com o qual havia ameaçado o seu povo” (Ex 32:11-14). Muitos de nós diríamos: “ISSO MESMO, SENHOR! ACABA COM ESSE POVO MISERÁVEL, POIS ELES NÃO MERECEM O SEU AMOR E O SEU CUIDADO.”

Como eu disse antes, em outra reflexão aqui mesmo, Moisés tinha o “Ministério da Interseção”, e isso é Dom. O Dom é um presente de Deus para nós, e Ele só dá aos mansos e humildes de coração, pois para interceder por gente má, gente que nos desrespeita, que nos odeia, gente que é nosso inimigo…, é preciso muito amor. E não é qualquer amor, tem que ser o Amor de Deus. Por isso Moisés foi escolhido e forjado no fogo do Senhor. Ele não era santo nem perfeito, ele matou um Egípcio, mas sofreu e foi purificado para exercer a boa obra, a obra do Deus Todo-poderoso: Libertar o povo da escravidão. Quantos de nós podemos dizer: Eu sou o “libertador”? Moisés podia! Muitos de nós não podemos nem dizer: “Eu sou um intercessor!”

Outro fato, entre muitos, nesse texto, é a atitude de Aarão, quando “Moisés perguntou a Aarão: ‘O que foi que este povo fez a você, para que você o arrastasse a um pecado tão grande?'” (v. 21). “Aarão respondeu: Não fique irritado, senhor. Você sabe o quanto este povo é inclinado para o mal. Eles me pediram: ‘Faça para nós um deus que caminhe à nossa frente, porque não sabemos o que aconteceu com esse Moisés, que nos tirou do Egito’. Eu disse então: ‘Quem tiver ouro, que o traga’. Eles me trouxeram, eu joguei no fogo, e saiu esse bezerro” (Ex 32:22-24). Essa resposta não se parece com a resposta que Adão e Eva deram à Deus, quando estavam nus? Essa resposta não se parece muito com as resposta que damos às outras pessoas, aos nossos superiores e até mesmo para Deus, como os nossos filhos dão para nós, quando fazem algo que sabem estar errado, sempre minimizando os fatos, e culpando alguém?

Temos muito o que conversar sobre isso, mas não quero me prolongar mais que isso, pois a proposta dessas reflexões aqui, é simplesmente refletir e descobrir novas nuances e possibilidades, e não esgotar o assunto. Também não é uma aula, nem mesmo um estudo, muito menos um sermão, e também não tenho o objetivo de apontar o dedo. Sempre me coloco dentro dessas possibilidades, pois as reflexões que escrevo aqui, escrevo dentro de mim primeiramente. Por isso, tome a sua Bíblia, leia-a, construa as suas próprias conclusões e nos ajude construir outras interpretações.

Um grande abraço e Paz para todos!
Austri JuniorTeólogo
***

Êxodo 32:1-35
Mas vendo o povo que Moisés tardava em descer do monte, acercou-se de Arão, e disse-lhe: Levanta-te, faze-nos deuses, que vão adiante de nós; porque quanto a este Moisés, o homem que nos tirou da terra do Egito, não sabemos o que lhe sucedeu.
E Arão lhes disse: Arrancai os pendentes de ouro, que estão nas orelhas de vossas mulheres, e de vossos filhos, e de vossas filhas, e trazei-mos.
Então todo o povo arrancou os pendentes de ouro, que estavam nas suas orelhas, e os trouxeram a Arão.
E ele os tomou das suas mãos, e trabalhou o ouro com um buril, e fez dele um bezerro de fundição. Então disseram: Este é teu deus, ó Israel, que te tirou da terra do Egito.
E Arão, vendo isto, edificou um altar diante dele; e apregoou Arão, e disse: Amanhã será festa ao Senhor.
E no dia seguinte madrugaram, e ofereceram holocaustos, e trouxeram ofertas pacíficas; e o povo assentou-se a comer e a beber; depois levantou-se a folgar.
Então disse o Senhor a Moisés: Vai, desce; porque o teu povo, que fizeste subir do Egito, se tem corrompido,
E depressa se tem desviado do caminho que eu lhe tinha ordenado; eles fizeram para si um bezerro de fundição, e perante ele se inclinaram, e ofereceram-lhe sacrifícios, e disseram: Este é o teu deus, ó Israel, que te tirou da terra do Egito.
Disse mais o Senhor a Moisés: Tenho visto a este povo, e eis que é povo de dura cerviz.
Agora, pois, deixa-me, para que o meu furor se acenda contra ele, e o consuma; e eu farei de ti uma grande nação.
Moisés, porém, suplicou ao Senhor seu Deus e disse: Ó Senhor, por que se acende o teu furor contra o teu povo, que tiraste da terra do Egito com grande força e com forte mão?
Por que hão de falar os egípcios, dizendo: Para mal os tirou, para matá-los nos montes, e para destruí-los da face da terra? Torna-te do furor da tua ira, e arrepende-te deste mal contra o teu povo.
Lembra-te de Abraão, de Isaque, e de Israel, os teus servos, aos quais por ti mesmo tens jurado, e lhes disseste: Multiplicarei a vossa descendência como as estrelas dos céus, e darei à vossa descendência toda esta terra, de que tenho falado, para que a possuam por herança eternamente.
Então o Senhor arrependeu-se do mal que dissera que havia de fazer ao seu povo.
E virou-se Moisés e desceu do monte com as duas tábuas do testemunho na mão, tábuas escritas de ambos os lados; de um e de outro lado estavam escritas.
E aquelas tábuas eram obra de Deus; também a escritura era a mesma escritura de Deus, esculpida nas tábuas.
E, ouvindo Josué a voz do povo que jubilava, disse a Moisés: Alarido de guerra há no arraial.
Porém ele respondeu: Não é alarido dos vitoriosos, nem alarido dos vencidos, mas o alarido dos que cantam, eu ouço.
E aconteceu que, chegando Moisés ao arraial, e vendo o bezerro e as danças, acendeu-se-lhe o furor, e arremessou as tábuas das suas mãos, e quebrou-as ao pé do monte;
E tomou o bezerro que tinham feito, e queimou-o no fogo, moendo-o até que se tornou em pó; e o espargiu sobre as águas, e deu-o a beber aos filhos de Israel.
E Moisés perguntou a Arão: Que te tem feito este povo, que sobre ele trouxeste tamanho pecado?
Então respondeu Arão: Não se acenda a ira do meu senhor; tu sabes que este povo é inclinado ao mal;
E eles me disseram: Faze-nos um deus que vá adiante de nós; porque não sabemos o que sucedeu a este Moisés, a este homem que nos tirou da terra do Egito.
Então eu lhes disse: Quem tem ouro, arranque-o; e deram-mo, e lancei-o no fogo, e saiu este bezerro.
E, vendo Moisés que o povo estava despido, porque Arão o havia deixado despir-se para vergonha entre os seus inimigos,
Pôs-se em pé Moisés na porta do arraial e disse: Quem é do Senhor, venha a mim. Então se ajuntaram a ele todos os filhos de Levi.
E disse-lhes: Assim diz o Senhor Deus de Israel: Cada um ponha a sua espada sobre a sua coxa; e passai e tornai pelo arraial de porta em porta, e mate cada um a seu irmão, e cada um a seu amigo, e cada um a seu vizinho.
E os filhos de Levi fizeram conforme à palavra de Moisés; e caíram do povo aquele dia uns três mil homens.
Porquanto Moisés tinha dito: Consagrai hoje as vossas mãos ao Senhor; porquanto cada um será contra o seu filho e contra o seu irmão; e isto, para que ele vos conceda hoje uma bênção.
E aconteceu que no dia seguinte Moisés disse ao povo: Vós cometestes grande pecado. Agora, porém, subirei ao Senhor; porventura farei propiciação por vosso pecado.
Assim tornou-se Moisés ao Senhor, e disse: Ora, este povo cometeu grande pecado fazendo para si deuses de ouro.
Agora, pois, perdoa o seu pecado; se não, risca-me, peço-te, do teu livro, que tens escrito.
Então disse o Senhor a Moisés: Aquele que pecar contra mim, a este riscarei do meu livro.
Vai, pois, agora, conduze este povo para onde te tenho dito; eis que o meu anjo irá adiante de ti; porém no dia da minha visitação visitarei neles o seu pecado.
Assim feriu o Senhor o povo, por ter sido feito o bezerro que Arão tinha formado.

Foto: Reflexão do Dia:<br />
Êxodo capítulo 32</p>
<p>O BEZERRO DE OURO<br />
O mesmo povo que havia dito: "Faremos tudo o que Javé mandou e obedeceremos" (Ex 24:7b), ao ver que Moisés demorara para descer do monte, pois "Moisés entrou pelo meio da nuvem e subiu à montanha. E Moisés ficou na montanha quarenta dias e quarenta noites" (Ex 24:18), "reuniu-se em torno de Aarão, e lhe disse: 'Vamos! Faça para nós um deus que caminhe à nossa frente, porque não sabemos o que aconteceu com esse Moisés que nos tirou do Egito'" (Ex 32:1).</p>
<p>É impressionante como nós somos capazes de reagir diante das dúvidas, e diante das primeiras dificuldades que nos acontece. Como nós somos capazes de virar as costas para o nosso Deus, no mesmo instante em que estamos jurando-lhe fidelidade e obediência. Assim fez Israel por várias e inúmeras vazes, assim fazemos nós, da mesma forma. </p>
<p>Uma situação que muito me chama a atenção nesses textos que estamos refletindo no livro do Êxodo nessas últimas semanas, é a forma como o povo se dirige à Moisés, e à forma como esse mesmo povo o trata. Com desrespeito e estranheza: "...não sabemos o que aconteceu com ESSE MOISÉS que nos tirou do Egito" (v. 1). Em contra partida, a forma como Moisés intercede por esse povo rebelde e desrespeitador, que vive desafiando a sua autoridade, também me chama muito à atenção, e me fascina de uma tal forma, que chega me impressionar: "Então Moisés suplicou a Javé, seu Deus, dizendo: «Javé, por que a tua ira se acende contra o teu povo, que tiraste do Egito com grande poder e mão forte? Por que os egípcios haveriam de dizer: ‘Ele os tirou com má intenção, para matá-los entre as montanhas e exterminá-los da face da terra’? Desiste do incêndio de tua ira e volta atrás do castigo que pretendias impor ao teu povo. Lembra-te dos teus servos Abraão, Isaac e Israel, aos quais juraste por ti mesmo, dizendo: ‘Eu multiplicarei a descendência de vocês como as estrelas do céu, e toda a terra que lhes prometi, eu a darei aos filhos de vocês, para que a possuam para sempre’. Então Javé se arrependeu do castigo com o qual havia ameaçado o seu povo" (Ex 32:11-14). Muitos de nós diríamos: "ISSO MESMO, SENHOR! ACABA COM ESSE POVO MISERÁVEL, POIS ELES NÃO MERECEM O SEU AMOR E O SEU CUIDADO." </p>
<p>Como eu disse antes, em outra reflexão aqui mesmo, Moisés tinha o "Ministério da Interseção", e isso é Dom. O Dom é um presente de Deus para nós, e Ele só dá aos mansos e humildes de coração, pois para interceder por gente má, gente que nos desrespeita, que nos odeia, gente que é nosso inimigo..., é preciso muito amor. E não é qualquer amor, tem que ser o Amor de Deus. Por isso Moisés foi escolhido e forjado no fogo do Senhor. Ele não era santo nem perfeito, ele matou um Egípcio, mas sofreu e foi purificado para exercer a boa obra, a obra do Deus Todo-poderoso: Libertar o povo da escravidão. Quantos de nós podemos dizer: Eu sou o "libertador"? Moisés podia! Muitos de nós não podemos nem dizer: "Eu sou um intercessor!"</p>
<p>Outro fato, entre muitos, nesse texto, é a atitude de Aarão, quando  "Moisés perguntou a Aarão: 'O que foi que este povo fez a você, para que você o arrastasse a um pecado tão grande?'" (v. 21). "Aarão respondeu: Não fique irritado, senhor. Você sabe o quanto este povo é inclinado para o mal. Eles me pediram: ‘Faça para nós um deus que caminhe à nossa frente, porque não sabemos o que aconteceu com esse Moisés, que nos tirou do Egito’. Eu disse então: ‘Quem tiver ouro, que o traga’. Eles me trouxeram, eu joguei no fogo, e saiu esse bezerro" (Ex 32:22-24). Essa resposta não se parece com a resposta que Adão e Eva deram à Deus, quando estavam nus? Essa resposta não se parece muito com as resposta que damos às outras pessoas, aos nossos superiores e até mesmo para Deus, como os nossos filhos dão para nós, quando fazem algo que sabem estar errado, sempre minimizando os fatos, e culpando alguém?</p>
<p>Temos muito o que conversar sobre isso, mas não quero me prolongar mais que isso, pois a proposta dessas reflexões aqui, é simplesmente refletir e descobrir novas nuances e possibilidades, e não esgotar o assunto. Também não é uma aula, nem mesmo um estudo, muito menos um sermão, e também não tenho o objetivo de apontar o dedo. Sempre me coloco dentro dessas possibilidades, pois as reflexões que escrevo aqui, escrevo dentro de mim primeiramente. Por isso, tome a sua Bíblia, leia-a, construa as suas próprias conclusões e nos ajude construir outras interpretações.</p>
<p>Um grande abraço e Paz para todos!<br />
Austri Junior - Teólogo<br />
***</p>
<p>Êxodo 32:1-35<br />
Mas vendo o povo que Moisés tardava em descer do monte, acercou-se de Arão, e disse-lhe: Levanta-te, faze-nos deuses, que vão adiante de nós; porque quanto a este Moisés, o homem que nos tirou da terra do Egito, não sabemos o que lhe sucedeu.<br />
E Arão lhes disse: Arrancai os pendentes de ouro, que estão nas orelhas de vossas mulheres, e de vossos filhos, e de vossas filhas, e trazei-mos.<br />
Então todo o povo arrancou os pendentes de ouro, que estavam nas suas orelhas, e os trouxeram a Arão.<br />
E ele os tomou das suas mãos, e trabalhou o ouro com um buril, e fez dele um bezerro de fundição. Então disseram: Este é teu deus, ó Israel, que te tirou da terra do Egito.<br />
E Arão, vendo isto, edificou um altar diante dele; e apregoou Arão, e disse: Amanhã será festa ao Senhor.<br />
E no dia seguinte madrugaram, e ofereceram holocaustos, e trouxeram ofertas pacíficas; e o povo assentou-se a comer e a beber; depois levantou-se a folgar.<br />
Então disse o Senhor a Moisés: Vai, desce; porque o teu povo, que fizeste subir do Egito, se tem corrompido,<br />
E depressa se tem desviado do caminho que eu lhe tinha ordenado; eles fizeram para si um bezerro de fundição, e perante ele se inclinaram, e ofereceram-lhe sacrifícios, e disseram: Este é o teu deus, ó Israel, que te tirou da terra do Egito.<br />
Disse mais o Senhor a Moisés: Tenho visto a este povo, e eis que é povo de dura cerviz.<br />
Agora, pois, deixa-me, para que o meu furor se acenda contra ele, e o consuma; e eu farei de ti uma grande nação.<br />
Moisés, porém, suplicou ao Senhor seu Deus e disse: Ó Senhor, por que se acende o teu furor contra o teu povo, que tiraste da terra do Egito com grande força e com forte mão?<br />
Por que hão de falar os egípcios, dizendo: Para mal os tirou, para matá-los nos montes, e para destruí-los da face da terra? Torna-te do furor da tua ira, e arrepende-te deste mal contra o teu povo.<br />
Lembra-te de Abraão, de Isaque, e de Israel, os teus servos, aos quais por ti mesmo tens jurado, e lhes disseste: Multiplicarei a vossa descendência como as estrelas dos céus, e darei à vossa descendência toda esta terra, de que tenho falado, para que a possuam por herança eternamente.<br />
Então o Senhor arrependeu-se do mal que dissera que havia de fazer ao seu povo.<br />
E virou-se Moisés e desceu do monte com as duas tábuas do testemunho na mão, tábuas escritas de ambos os lados; de um e de outro lado estavam escritas.<br />
E aquelas tábuas eram obra de Deus; também a escritura era a mesma escritura de Deus, esculpida nas tábuas.<br />
E, ouvindo Josué a voz do povo que jubilava, disse a Moisés: Alarido de guerra há no arraial.<br />
Porém ele respondeu: Não é alarido dos vitoriosos, nem alarido dos vencidos, mas o alarido dos que cantam, eu ouço.<br />
E aconteceu que, chegando Moisés ao arraial, e vendo o bezerro e as danças, acendeu-se-lhe o furor, e arremessou as tábuas das suas mãos, e quebrou-as ao pé do monte;<br />
E tomou o bezerro que tinham feito, e queimou-o no fogo, moendo-o até que se tornou em pó; e o espargiu sobre as águas, e deu-o a beber aos filhos de Israel.<br />
E Moisés perguntou a Arão: Que te tem feito este povo, que sobre ele trouxeste tamanho pecado?<br />
Então respondeu Arão: Não se acenda a ira do meu senhor; tu sabes que este povo é inclinado ao mal;<br />
E eles me disseram: Faze-nos um deus que vá adiante de nós; porque não sabemos o que sucedeu a este Moisés, a este homem que nos tirou da terra do Egito.<br />
Então eu lhes disse: Quem tem ouro, arranque-o; e deram-mo, e lancei-o no fogo, e saiu este bezerro.<br />
E, vendo Moisés que o povo estava despido, porque Arão o havia deixado despir-se para vergonha entre os seus inimigos,<br />
Pôs-se em pé Moisés na porta do arraial e disse: Quem é do Senhor, venha a mim. Então se ajuntaram a ele todos os filhos de Levi.<br />
E disse-lhes: Assim diz o Senhor Deus de Israel: Cada um ponha a sua espada sobre a sua coxa; e passai e tornai pelo arraial de porta em porta, e mate cada um a seu irmão, e cada um a seu amigo, e cada um a seu vizinho.<br />
E os filhos de Levi fizeram conforme à palavra de Moisés; e caíram do povo aquele dia uns três mil homens.<br />
Porquanto Moisés tinha dito: Consagrai hoje as vossas mãos ao Senhor; porquanto cada um será contra o seu filho e contra o seu irmão; e isto, para que ele vos conceda hoje uma bênção.<br />
E aconteceu que no dia seguinte Moisés disse ao povo: Vós cometestes grande pecado. Agora, porém, subirei ao Senhor; porventura farei propiciação por vosso pecado.<br />
Assim tornou-se Moisés ao Senhor, e disse: Ora, este povo cometeu grande pecado fazendo para si deuses de ouro.<br />
Agora, pois, perdoa o seu pecado; se não, risca-me, peço-te, do teu livro, que tens escrito.<br />
Então disse o Senhor a Moisés: Aquele que pecar contra mim, a este riscarei do meu livro.<br />
Vai, pois, agora, conduze este povo para onde te tenho dito; eis que o meu anjo irá adiante de ti; porém no dia da minha visitação visitarei neles o seu pecado.<br />
Assim feriu o Senhor o povo, por ter sido feito o bezerro que Arão tinha formado.
Reflexão do Dia:
Êx 24:12 – 31:18Da mesma forma como fizemos ontem, também faremos no dia de hoje: Vamos refletir teológica e didaticamente, com as notas de roda pé da Bíblia Pastoral da Paulus. Creio que para alguns é necessário dizer que é preciso ler aqui, com a sua Bíblia nas mãos, lendo e comparando.

Começaremos a nossa reflexão transcrevendo o texto bíblico em Êxodo 24:12-18: As tábuas da Aliança. Pois será de extrema utilidade para nós no dia de amanhã, quando refletiremos sobre a construção do bezerro de ouro:

Ex 24:12-18 – Bíblia versão Pastoral, Editora Paulus

5. Leis para o santuário

As tábuas da Aliança
* 12 Javé disse a Moisés: «Suba até junto de mim na montanha, pois eu estarei aí para lhe dar as tábuas de pedra com a lei e os mandamentos que escrevi, para você os instruir».

13 Moisés se levantou com seu ajudante Josué. E subiram à montanha de Deus.

14 Ele disse aos anciãos: «Esperem aqui até que voltemos. Aarão e Hur estão com vocês: quem tiver alguma questão, dirija-se a eles».

15 Quando Moisés subiu à montanha, a nuvem cobriu a montanha.

16 A glória de Javé pousou sobre o monte Sinai e a nuvem o cobriu durante seis dias. No sétimo dia, Javé chamou Moisés do meio da nuvem.

17 A glória de Javé aparecia aos olhos de Israel como fogo consumidor no topo da montanha.

18 Moisés entrou pelo meio da nuvem e subiu à montanha. E Moisés ficou na montanha quarenta dias e quarenta noites.
***

NOTAS DE RODAPÉ (aqui começa a nossa reflexão):

* 24,1-11: O rito da aliança mostra o acordo entre os contraentes: Deus, representado pelo altar, e o povo se comunicam através do mesmo sangue, que é o símbolo da vida. O Novo Testamento apresentará a Nova Aliança selada com o sangue de Jesus (Mt 26,28).

* 24,12-31,18: Esta parte do livro foi elaborada por sacerdotes após o exílio na Babilônia. Na época, o culto se tornou muito importante para os judeus conservarem suas tradições e para sobreviverem dentro do império persa. As leis referentes ao santuário e aos sacerdotes foram colocadas aqui, junto com as leis do Sinai, como provindas da época do êxodo, dando assim maior força para elas. O conjunto soa como convite ao respeito e à adoração do único Deus libertador.

Leia a sua Bíblia e reflita conosco!
Tenham todos um dia abençoado na presença do Altíssimo. Que a Graça e a Paz sejam conosco, amém!
Austri JuniorTeólogo

Foto: Reflexão do Dia:<br />
Êx 24:12 - 31:18</p>
<p>Da mesma forma como fizemos ontem, também faremos no dia de hoje: Vamos refletir teológica e didaticamente, com as notas de roda pé da Bíblia Pastoral da Paulus. Creio que para alguns é necessário dizer que é preciso ler aqui, com a sua Bíblia nas mãos, lendo e comparando.</p>
<p>Começaremos a nossa reflexão transcrevendo o texto bíblico em Êxodo 24:12-18: As tábuas da Aliança. Pois será de extrema utilidade para nós no dia de amanhã, quando refletiremos sobre a construção do bezerro de ouro:   </p>
<p>Ex 24:12-18 - Bíblia versão Pastoral, Editora Paulus</p>
<p>5. Leis para o santuário</p>
<p>As tábuas da Aliança<br />
* 12 Javé disse a Moisés: «Suba até junto de mim na montanha, pois eu estarei aí para lhe dar as tábuas de pedra com a lei e os mandamentos que escrevi, para você os instruir». </p>
<p>13 Moisés se levantou com seu ajudante Josué. E subiram à montanha de Deus. </p>
<p>14 Ele disse aos anciãos: «Esperem aqui até que voltemos. Aarão e Hur estão com vocês: quem tiver alguma questão, dirija-se a eles». </p>
<p>15 Quando Moisés subiu à montanha, a nuvem cobriu a montanha.</p>
<p>16 A glória de Javé pousou sobre o monte Sinai e a nuvem o cobriu durante seis dias. No sétimo dia, Javé chamou Moisés do meio da nuvem. </p>
<p>17 A glória de Javé aparecia aos olhos de Israel como fogo consumidor no topo da montanha. </p>
<p>18 Moisés entrou pelo meio da nuvem e subiu à montanha. E Moisés ficou na montanha quarenta dias e quarenta noites.<br />
***</p>
<p>NOTAS DE RODAPÉ (aqui começa a nossa reflexão):</p>
<p>* 24,1-11: O rito da aliança mostra o acordo entre os contraentes: Deus, representado pelo altar, e o povo se comunicam através do mesmo sangue, que é o símbolo da vida. O Novo Testamento apresentará a Nova Aliança selada com o sangue de Jesus (Mt 26,28).</p>
<p>* 24,12-31,18: Esta parte do livro foi elaborada por sacerdotes após o exílio na Babilônia. Na época, o culto se tornou muito importante para os judeus conservarem suas tradições e para sobreviverem dentro do império persa. As leis referentes ao santuário e aos sacerdotes foram colocadas aqui, junto com as leis do Sinai, como provindas da época do êxodo, dando assim maior força para elas. O conjunto soa como convite ao respeito e à adoração do único Deus libertador.</p>
<p>Leia a sua Bíblia e reflita conosco!<br />
Tenham todos um dia abençoado na presença do Altíssimo. Que a Graça e a Paz sejam conosco, amém!<br />
Austri Junior - Teólogo
Reflexão Dominical:
Mateus 26:28A ALIANÇA!
“Porque isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados.” (Mt 26:28)
***

No Antigo Testamento Deus fez uma aliança com o seu povo: Deu-lhes o Decálogo (10 Mandamentos), e as leis para esses construissem uma nova sociedade, após o êxodo do Egito (Ex 19 – 31). Nessa aliança o Senhor estabeleceu os parâmetros para uma convivência saudável, não somente em comunidade mas também para o relacionamento com Ele próprio. Nas leis que o Senhor estabeleceu com Israel determinava toda a conduta que o povo deveria assumir diante do Senhor, diante dos irmãos, na vida social, na vida espiritual e eclesiástica. Quando o Senhor passou para Moisés todas as instruções, ele estava no monte, e, “Veio, pois, Moisés, e contou ao povo todas as palavras do Senhor, e todos os estatutos; então o povo respondeu a uma voz, e disse: Todas as palavras, que o Senhor tem falado, faremos” (Êxodo 24:3).

No Novo Testamento uma nova aliança foi estabelecida com o povo, e agora muito mais ampla, pois não se trata somente de Israel, mas de todo o povo de Deus, desde aquele momento até os dias de hoje. Desde os judeus até nós, toda a raça humana. Essa Aliança se deu através da Vida e Ministério de Jesus, e foi selada com o sangue de Jesus derramado na cruz. Mas antes disso, durante a última ceia com os seus discípulos, Jesus profetizou o que estava por vir, ao mesmo tempo em que selava junto aos mesmos a Aliança que estabeleceria com a humanidade através do seu sangue, simbolizado pelo vinho: “Bebam dele todos, pois isto é o meu sangue, o sangue da aliança, que é derramado em favor de muitos, para remissão dos pecados. Eu lhes digo: de hoje em diante não beberei desse fruto da videira, até o dia em que, com vocês, beberei o vinho novo no reino do meu Pai.”

É fantástico, não é mesmo? Que privilégio o nosso, e que maravilha!
Tenham todos um maravilhoso e abençoado domingo na presença do Altíssimo que estabeleceu a mais maravilhosa das relações com os seus filhos através do seu Filho.
A Graça e Paz sejam com todos nós!
Austri JuniorTeólogo

Foto: Reflexão Dominical:<br />
Mateus 26:28</p>
<p>A ALIANÇA!<br />
"Porque isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados." (Mt 26:28)<br />
***</p>
<p>No Antigo Testamento Deus fez uma aliança com o seu povo: Deu-lhes o Decálogo (10 Mandamentos), e as leis para esses construissem uma nova sociedade, após o êxodo do Egito (Ex 19 - 31). Nessa aliança o Senhor estabeleceu os parâmetros para uma convivência saudável, não somente em comunidade mas também para o relacionamento com Ele próprio. Nas leis que o Senhor estabeleceu com Israel determinava toda a conduta que o povo deveria assumir diante do Senhor, diante dos irmãos, na vida social, na vida espiritual e eclesiástica. Quando o Senhor passou para Moisés todas as instruções, ele estava no monte, e, "Veio, pois, Moisés, e contou ao povo todas as palavras do Senhor, e todos os estatutos; então o povo respondeu a uma voz, e disse: Todas as palavras, que o Senhor tem falado, faremos" (Êxodo 24:3).</p>
<p>No Novo Testamento uma nova aliança foi estabelecida com o povo, e agora muito mais ampla, pois não se trata somente de Israel, mas de todo o povo de Deus, desde aquele momento até os dias de hoje. Desde os judeus até nós, toda a raça humana. Essa Aliança se deu através da Vida e Ministério de Jesus, e foi selada com o sangue de Jesus derramado na cruz. Mas antes disso, durante a última ceia com os seus discípulos, Jesus profetizou o que estava por vir, ao mesmo tempo em que selava junto aos mesmos a Aliança que estabeleceria com a humanidade através do seu sangue, simbolizado pelo vinho: "Bebam dele todos, pois isto é o meu sangue, o sangue da aliança, que é derramado em favor de muitos, para remissão dos pecados. Eu lhes digo: de hoje em diante não beberei desse fruto da videira, até o dia em que, com vocês, beberei o vinho novo no reino do meu Pai." </p>
<p>É fantástico, não é mesmo? Que privilégio o nosso, e que maravilha!<br />
Tenham todos um maravilhoso e abençoado domingo na presença do Altíssimo que estabeleceu a mais maravilhosa das relações com os seus filhos através do seu Filho.<br />
A Graça e Paz sejam com todos nós!<br />
Austri Junior - Teólogo
Reflexão Dominical
Mateus 12:50″Porque, qualquer que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, e irmã e mãe.” (Mt 12:50)

Todos nós sabemos que “um texto fora do contexto gera um pretexto”, e, que, não é homileticamente e teologicamente correto, mas como eu quero evitar as polêmicas que esse texto sempre provoca nas mentes mais fechadas, e, com isso, quero refletir apenas o teor desse versículo sob um dos pontos de vista pelo qual podemos enxergá-lo.

Para mim o v. 50 em Mateus capítulo 12 é perfeitamente claro: Todo aquele que faz a vontade de Deus pertence à família de Jesus. Simples assim! Bem, mas como eu sei se estou fazendo a vontade de Deus? Está tudo na Bíblia! A Bíblia é a bússola do cristão!

Um viajante pode saber se está na direção certa, consultando os mapas, a cartas náuticas, os instrumentos de voo, a bússola, o GPS, ou pedindo informações. Isso irá depender do viajante, de onde ele está e dos recursos que tem às mãos, e, contextualizando com a pós modernidade, tenho visto muita gente errar o caminho, mesmo utilizando o GPS. Algumas pessoas já foram mortas por isso. Recebem uma informação errada do GPS e acabam entrando na favela e são executadas por bandidos e traficantes.

Outra maneira de um viajante se perder, é interpretar erroneamente as informações dos seus instrumentos de orientação. Existem muitas pessoas que estão perdidas, mesmo com a Bíblia nas mãos, pois não estão sabendo fazer uma leitura (hermenêutica/interpretação) correta do que estão lendo. O Fundamental para que isso não aconteça é não ser fundamentalista.

Mas, retornado ao versículo 50 de Mateus capítulo 12, fazer a vontade do Pai nos torna filhos d’Ele. Se somos filhos do Pai, com certeza seremos irmãos de Jesus, logo, somos uma só família, em Cristo Jesus. Então qual é a nossa bússola, ou GPS bíblicos para fazer a vontade do Pai sem correr o risco de errar nas interpretações? Ler a Bíblia, orar, e buscar a Deus é muito importante e devemos faze-lo constantemente, mas junto a isso, devemos estudar, questionar, ler, indagar…, não acreditar em tudo o que ouvimos, ou em qualquer coisa que lemos e que vemos. A resposta principal para as nossas dúvidas e perguntas é (novamente) simples: A BÍBLIA!

Toda a Bíblia está recheada das informações necessárias das quais precisamos para prosseguir em nossa jornada cristã. É só buscar e encontraremos. Mas, se não nos prepararmos para isso, de nada vai adiantar pois uma leitura fundamentalista, ou a pouca capacidade de raciocínio e de interpretação, podem gerar consequências desastrosas. A desonestidade e a manipulação dos textos também causam destruição nas mentes desavisadas. Por isso, a grandeza de estudar e buscar conhecimento técnico, acadêmico, teológico…, para não ficar nas mãos de gentes desonestas e manipuladoras que nos enganam, dizendo que aquela é a vontade de Deus. Ter vida de oração, retidão, boa vontade só não basta, se não tivermos a capacidade de interpretar a vontade de Deus para as nossas vidas. Há pessoas que, por não ter visão própria, são manipuladas pelos predadores do Evangelho.

Além do decálogo, temos todos os ensinamentos do Mestre Jesus Cristo, no Novo Testamento (principalmente no Evangelho de Mateus capítulos 5-7 – “O Sermão do Monte”). Temos as cartas dos discípulos, e temos a nossa consciência (discernimento natural). Depois de conhecermos a Bíblia, nós sabemos quando estamos no caminho ou não. Por fim, para fazer a vontade do Pai, é preciso realizar as obras de Deus. Como então podemos realizar as obras de Deus?

“A obra de Deus é esta: que creiais naquele que por ele foi enviado” (Jo 6:29).

Leia Mateus capítulo 12 e construa as suas próprias conclusões, e nos ajude construir outras interpretações. Tenham todos um abençoado domingo na presença do Altíssimo e Todo Poderoso Deus, buscando conhecimento, realizando a obra d’Ele e fazendo a vontade do Pai. Não a vontade daqueles que querem nos manipular e nos dominar.

Austri JuniorTeólogo

Foto: Reflexão Dominical<br />
Mateus 12:50</p>
<p>"Porque, qualquer que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, e irmã e mãe." (Mt 12:50)</p>
<p>Todos nós sabemos que "um texto fora do contexto gera um pretexto", e, que, não é homiléticamente e teológicamente correto, mas como eu quero evitar as polêmicas que esse texto sempre provoca nas mentes mais fechadas, e, com isso, quero refletir apenas o teor desse versículo sob um dos pontos de vista pelo qual podemos enxergá-lo.</p>
<p>Para mim o v. 50 em Mateus capítulo 12 é perfeitamente claro: Todo aquele que faz a vontade de Deus  pertence à família de Jesus. Simples assim! Bem, mas como eu sei se estou fazendo a vontade de Deus? Está tudo na Bíblia! A Bíblia é a bússola do cristão! </p>
<p>Um viajante pode saber se está na direção certa, consultando os mapas, a cartas náuticas, os instrumentos de voo, a bússola, o GPS, ou pedindo informações. Isso irá depender do viajante, de onde ele está e dos recursos que tem às mãos, e, contextualizando com a pós modernidade, tenho visto muita gente errar o caminho, mesmo utilizando o GPS. Algumas pessoas já foram mortas por isso. Recebem uma informação errada do GPS e acabam entrando na favela e são executadas por bandidos e traficantes. </p>
<p>Outra maneira de  um viajante se perder, é interpretar erroneamente as informações dos seus instrumentos de orientação. Existem muitas pessoas que estão perdidas, mesmo com a Bíblia nas mãos, pois não estão sabendo fazer uma leitura (hermenêutica/interpretação) correta do que estão lendo. O Fundamental para que isso não aconteça é não ser fundamentalista.</p>
<p>Mas, retornado ao versículo 50 de Mateus  capítulo 12, fazer a vontade do Pai nos torna filhos d'Ele. Se somos filhos do Pai, com certeza seremos irmãos de Jesus, logo, somos uma só família, em Cristo Jesus. Então qual é a nossa bússola, ou GPS bíblicos para fazer a vontade do Pai sem correr o risco de errar nas interpretações? Ler a Bíblia, orar, e buscar a Deus é muito importante e devemos faze-lo constantemente, mas junto a isso, devemos estudar, questionar, ler, indagar..., não acreditar em tudo o que ouvimos, ou  em qualquer coisa que lemos e que vemos. A resposta principal para as nossas dúvidas e perguntas é (novamente) simples: A BÍBLIA! </p>
<p>Toda a Bíblia está recheada das informações necessárias das quais precisamos para prosseguir em nossa jornada cristã. É só buscar e encontraremos. Mas, se não nos prepararmos para isso, de nada vai adiantar pois uma leitura fundamentalista, ou a pouca capacidade de raciocínio e de interpretação, podem gerar consequências desastrosas. A desonestidade e a manipulação dos textos também causam destruição nas mentes desavisadas. Por isso, a grandeza de estudar e buscar conhecimento técnico, acadêmico, teológico..., para não ficar nas mãos de gentes desonestas e manipuladoras que nos enganam, dizendo que aquela é a vontade de Deus. Ter vida de oração, retidão, boa vontade só não basta, se não tivermos a capacidade de interpretar a vontade de Deus para as nossas vidas. Há pessoas que, por não ter visão própria, são manipuladas pelos predadores do Evangelho. </p>
<p>Além do decálogo, temos todos os ensinamentos do Mestre Jesus Cristo, no Novo Testamento (principalmente no Evangelho de  Mateus capítulos 5-7 - "O Sermão do Monte"). Temos as cartas dos discípulos, e temos a nossa consciência (discernimento natural). Depois de conhecermos a Bíblia, nós sabemos quando estamos no caminho ou não. Por fim, para fazer a vontade do Pai, é preciso realizar as obras de Deus. Como então podemos realizar as obras de Deus? </p>
<p>"A obra de Deus é esta: que creiais naquele que por ele foi enviado" (Jo 6:29).</p>
<p>Leia Mateus capítulo 12 e construa as suas próprias conclusões, e nos ajude construir outras interpretações. Tenham todos um abençoado domingo na presença do Altíssimo e Todo Poderoso Deus, buscando conhecimento, realizando a obra d'Ele e fazendo a vontade do Pai. Não a vontade daqueles que querem nos manipular e nos dominar.</p>
<p>Austri Junior - Teólogo

Reflexão da Semana
Levítico 8-10CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES
Nossas reflexões, outrora diárias, agora serão semanais. Enquanto estivermos tratando de leis e/ou genealogias, e narrativas históricas, faremos sempre uma reflexão didática, pedagógica, educativa e de cunho teológico, utilizando as notas de roda pé da Bíblia Pastoral da Editora Paulus. Como sempre, sugerimos às nossas amigas e amigos que cada um leia a sua Bíblia, estude, compare, e construa as suas próprias conclusões, e nos ajude construir outras interpretações. Um grande abraço para todos, com votos de que o seu fim de semana seja muito abençoado na presença do Altíssimo Deus Todo Poderoso, e aproveite a vida com a sua família. A Graça e a Paz sejam com todos vos.
Austri JuniorTeólogo

* 8,1-9,24: O ritual aqui apresentado salienta o caráter sagrado do sacerdote. Este rito reflete a mentalidade de que existem dois tipos de pessoas e coisas: as sagradas, que pertencem a Deus; e as profanas, que não pertencem a ele. Umas puras, outras impuras; umas «santas», outras que contêm pecado, isto é, não servem para o culto. Os profetas e o Novo Testamento proclamarão que o pecado não é mancha ou defeito externo, mas culpa que sai de dentro do homem (cf. Is 29,13; Mc 7,20ss).

Os sacerdotes e reis eram consagrados com a unção de óleo. Tornavam-se assim ungidos de Deus (em hebraico, Messias; em grego, Cristo), mediadores entre Deus e o povo. A carta aos Hebreus mostra que todo o sacerdócio antigo foi superado: doravante, Jesus é o único sacerdote-mediador entre Deus e os homens (cf. Hb 5-8).

* 10,1-20: O texto é um conjunto de elementos reunidos artificialmente. O episódio de Nadab e Abiú salienta o perigo de profanar o sagrado, e serve de introdução para algumas instruções. Os vv. 16-20 são confusos e de difícil compreensão.

Foto: Reflexão da Semana<br />
Levítico 8-10</p>
<p>CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES<br />
Nossas reflexões, outrora diárias, agora serão semanais. Enquanto estivermos tratando de leis e/ou genealogias, e narrativas históricas, faremos sempre uma reflexão didática, pedagógica, educativa e de cunho teológico, utilizando as notas de roda pé da Bíblia Pastoral da Editora Paulus. Como sempre, sugerimos às nossas amigas e amigos que cada um leia a sua Bíblia, estude, compare, e construa as suas próprias conclusões, e nos ajude construir outras interpretações. Um grande abraço para todos, com votos de que o seu fim de semana seja muito abençoado na presença do Altíssimo Deus Todo Poderoso, e aproveite a vida com a sua família. A Graça e a Paz sejam com todos vos.<br />
Austri Junior - Teólogo </p>
<p>* 8,1-9,24: O ritual aqui apresentado salienta o caráter sagrado do sacerdote. Este rito reflete a mentalidade de que existem dois tipos de pessoas e coisas: as sagradas, que pertencem a Deus; e as profanas, que não pertencem a ele. Umas puras, outras impuras; umas «santas», outras que contêm pecado, isto é, não servem para o culto. Os profetas e o Novo Testamento proclamarão que o pecado não é mancha ou defeito externo, mas culpa que sai de dentro do homem (cf. Is 29,13; Mc 7,20ss).</p>
<p>Os sacerdotes e reis eram consagrados com a unção de óleo. Tornavam-se assim ungidos de Deus (em hebraico, Messias; em grego, Cristo), mediadores entre Deus e o povo. A carta aos Hebreus mostra que todo o sacerdócio antigo foi superado: doravante, Jesus é o único sacerdote-mediador entre Deus e os homens (cf. Hb 5-8).</p>
<p>* 10,1-20: O texto é um conjunto de elementos reunidos artificialmente. O episódio de Nadab e Abiú salienta o perigo de profanar o sagrado, e serve de introdução para algumas instruções. Os vv. 16-20 são confusos e de difícil compreensão.
Bom Dia!
Reflexão Dominical:
Mt 5-7O SERMÃO DO MONTE – OS ENSINAMENTOS DO SENHOR JESUS
Os capítulos 5,6 e 7 do Evangelho de Mateus são para mim, simplesmente incríveis! Simplesmente, porque nesses três capítulos estão o cerne de toda a Pregação de Jesus. Jesus, como homem tinha todos os Dons, evidentemente, e não era para ser diferente, pois era um com o Pai e com o Espírito Santo, portanto era a segunda pessoa da Trindade.

Jesus veio do Pai (Jo 16:28), Ele era com o Pai (Jo 10:30), e Ele estava com o Pai, desde o princípio (Jo 1:20). Isso não é maravilhoso?!

Engana-se quem pensa que o Ministério de Jesus era curar, expulsar demônios… Isso são Dons. O Dom é um presente de Deus, e ele possuía todos os Dons. Mas os seus Ministérios eram dois:
1º – O Ministério do Ensino;
2º – O Ministério da Palavra/Pregação.

E, incríveis, porque neles podemos contemplar o mais interessante: Jesus ensinava pregando, e pregava ensinando. Ele pregava com mansidão, com suavidade, sem gritos, sem berros, sem escândalos, sem gritarias…
Tens dúvidas? Leia, estude, coma, beba, “devore”, respire, durma… Debruce-se em cima dos quatro Evangelhos, leia com muita atenção, sempre comparando com os capítulos 5,6, e 7 do Evangelho de Mateus. Se não tiveres tempo para isso, ou, se fores recheado de preguiça para estudar a Bíblia, então, ao menos, leia com muita atenção o Evangelho de Mateus, capítulos 5,6,7: O Sermão do Monte! Quando Jesus abria a boca, todos ficavam maravilhados, “Porquanto os ensinava como tendo autoridade; e não como os escribas.” (Mt 7:29). Ensinar com autoridade não é ensinar gritando, acusando, apontando o dedo, condenando as pessoas e sua fé, sua roupas ou comportamento. Ensinar com autoridade não consiste em condenar as outras religiões, as outras denominações e as suas doutrinas. Podemos ensinar em nossas igrejas e dizer o que segundo a Bíblia é correto ou não, sem desrespeitar os outros, ou, disseminar o ódio e a intolerância, entre outras coisas…

No Sermão do Monte, também conhecido como
“As bem-aventuranças” (de Jesus), temos ótimos, básicos e ao mesmo tempo profundos e maravilhosos ensinamentos:

1º – O próprio sermão em si (Mt 5:1-48);
2º – A prática de justiça (Mt 6:1);
3º – Como se deve praticar a misericórdia (Mt 6:2-4);
4º – Como orar (Mt 6:5-8);
5º – A oração dominical [Oração do Pai Nosso] (Mt 6:9-15);
6º – Como jejuar (Mt 6:16-18);
7º – Os tesouros no céu (Mt 6:19-21);
8º – A luz e as trevas (Mt 6:22,23);
9º – Os dois Senhores (Mt 6:24);
10º – A ansiosa solicitude pela vida (Mt 6:25-34);
11º – A proibição do juízo temerário (Mt 7:1-5);
12º – Não desperdiçar os ensinamentos (Mt 7:6);
13º – Orar, buscar, pedir (Mt 7:7-12);
14º – As duas estradas (Mt 7:13,14);
15º – Os falsos profetas (Mt 7:15-23);
16º – Os dois fundamentos (Mt 7:24-29).

Tome a sua Bíblia, e estude com afinco os capítulos 5,6 e 7 do Evangelho do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, e construa as suas próprias conclusões, e nos ajude construir outras interpretações. Não esqueça de se “armar” com um excelente dicionário. Se possível for, use várias Bíblias de estudos, e não deixe de ler as notas de roda pé das Bíblias em questão, e as introduções (do Evangelho de Mateus) contidas nas suas Bíblias. Lembre-se: “São os olhos a lâmpada do corpo. Se os olhos teus forem bons, todo o teu corpo será luminoso; se porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas. Portanto, caso a luz que em ti há sejam trevas, que grandes trevas serão!” (Mt 6:22,23)

Que nós não nos fechemos ao conhecimento e muito menos às outras interpretações e pontos de vistas. Pois se os nossos olhos alcançarem a luz, também a nossas mentes iluminadas serão. Porquanto, “São os olhos a lâmpada do corpo.” (Mt 6:22a).

Tenha um maravilhoso dia na presença do Altíssimo, desfrutando da Tua Luz e do Teu Conhecimento, com a sua família. Tenham todos uma semana abençoada. Amém!
Austri JuniorTeólogo

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão Dominical:<br />
Mt 5-7</p>
<p>O SERMÃO DO MONTE - OS ENSINAMENTOS DO SENHOR JESUS<br />
Os capítulos 5,6 e 7 do Evangelho de Mateus são para mim, simplesmente incríveis! Simplesmente, porque nesses três capítulos estão o cerne de toda a Pregação de Jesus. Jesus, como homem tinha todos os Dons, evidentemente, e não era para ser diferente, pois era um com o Pai e com o Espírito Santo, portanto era a segunda pessoa da Trindade. </p>
<p>Jesus veio do Pai (Jo 16:28), Ele era com o Pai (Jo 10:30), e Ele estava com o Pai, desde o princípio (Jo 1:20). Isso não é maravilhoso?!</p>
<p>Engana-se quem pensa que o Ministério de Jesus era curar, expulsar demônios... Isso são Dons. O Dom é um presente de Deus, e ele possuía todos os Dons. Mas os seus Ministérios eram dois:<br />
1º - O Ministério do Ensino;<br />
2º - O Ministério da Palavra/Pregação.</p>
<p>E, incríveis, porque neles podemos contemplar o mais interessante: Jesus ensinava pregando, e pregava ensinando. Ele pregava com mansidão, com suavidade, sem gritos, sem berros, sem escândalos, sem gritarias...<br />
Tens dúvidas? Leia, estude, coma, beba, "devore", respire, durma... Debruce-se em cima dos quatro Evangelhos, leia com muita atenção, sempre comparando com os capítulos 5,6, e 7 do Evangelho de Mateus. Se não tiveres tempo para isso, ou, se fores recheado de preguiça para estudar a Bíblia, então, ao menos, leia com muita atenção o Evangelho de Mateus, capítulos 5,6,7: O Sermão do Monte!  Quando Jesus abria a boca, todos ficavam maravilhados, "Porquanto os ensinava como tendo autoridade; e não como os escribas." (Mt 7:29). Ensinar com autoridade não é ensinar gritando, acusando, apontando o dedo, condenando as pessoas e sua fé, sua roupas ou comportamento. Ensinar com autoridade não consiste em condenar as outras religiões, as outras denominações e as suas doutrinas. Podemos ensinar em nossas igrejas e dizer o que segundo a Bíblia é correto ou não, sem desrespeitar os outros, ou, disseminar o ódio e a intolerância, entre outras coisas...</p>
<p>No Sermão do Monte, também conhecido como<br />
"As bem-aventuranças" (de Jesus), temos ótimos, básicos e ao mesmo tempo profundos e maravilhosos ensinamentos:</p>
<p>1º   - O próprio sermão em si (Mt 5:1-48);<br />
2º   - A prática de justiça (Mt 6:1);<br />
3º   - Como se deve praticar a misericórdia (Mt 6:2-4);<br />
4º   - Como orar (Mt 6:5-8);<br />
5º   - A oração dominical [Oração do Pai Nosso] (Mt  6:9-15);<br />
6º   - Como jejuar (Mt 6:16-18);<br />
7º   - Os tesouros no céu (Mt 6:19-21);<br />
8º   - A luz e as trevas (Mt 6:22,23);<br />
9º   - Os dois Senhores (Mt 6:24);<br />
10º - A ansiosa solicitude pela vida (Mt 6:25-34);<br />
11º - A proibição do juízo temerário (Mt 7:1-5);<br />
12º - Não desperdiçar os ensinamentos (Mt 7:6);<br />
13º - Orar, buscar, pedir (Mt 7:7-12);<br />
14º - As duas estradas (Mt 7:13,14);<br />
15º - Os falsos profetas (Mt 7:15-23);<br />
16º - Os dois fundamentos (Mt 7:24-29).</p>
<p>Tome a sua Bíblia, e estude com afinco os capítulos 5,6 e 7 do Evangelho do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, e construa as suas próprias conclusões, e nos ajude construir outras interpretações. Não esqueça de se "armar" com um excelente dicionário. Se possível for, use várias Bíblias de estudos, e não deixe de ler as notas de roda pé das Bíblias em questão, e as introduções (do Evangelho de Mateus) contidas nas suas Bíblias. Lembre-se: "São os olhos a lâmpada do corpo. Se os olhos teus forem bons, todo o teu corpo será luminoso; se porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas. Portanto, caso a luz que em ti há sejam trevas, que grandes trevas serão!" (Mt 6:22,23)</p>
<p>Que nós não nos fechemos ao conhecimento e muito menos às outras interpretações e pontos de vistas. Pois se os nossos olhos alcançarem a luz, também a nossas mentes iluminadas serão. Porquanto, "São os olhos a lâmpada do corpo." (Mt 6:22a).</p>
<p>Tenha um maravilhoso dia na presença do Altíssimo, desfrutando da Tua Luz e do Teu Conhecimento, com a sua família. Tenham todos uma semana abençoada. Amém!<br />
Austri Junior - Teólogo
Reflexão Dominical:
Mateus 26:28A ALIANÇA!
“Porque isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados.” (Mt 26:28)
***

No Antigo Testamento Deus fez uma aliança com o seu povo: Deu-lhes o Decálogo (10 Mandamentos), e as leis para esses construissem uma nova sociedade, após o êxodo do Egito (Ex 19 – 31). Nessa aliança o Senhor estabeleceu os parâmetros para uma convivência saudável, não somente em comunidade mas também para o relacionamento com Ele próprio. Nas leis que o Senhor estabeleceu com Israel determinava toda a conduta que o povo deveria assumir diante do Senhor, diante dos irmãos, na vida social, na vida espiritual e eclesiástica. Quando o Senhor passou para Moisés todas as instruções, ele estava no monte, e, “Veio, pois, Moisés, e contou ao povo todas as palavras do Senhor, e todos os estatutos; então o povo respondeu a uma voz, e disse: Todas as palavras, que o Senhor tem falado, faremos” (Êxodo 24:3).

No Novo Testamento uma nova aliança foi estabelecida com o povo, e agora muito mais ampla, pois não se trata somente de Israel, mas de todo o povo de Deus, desde aquele momento até os dias de hoje. Desde os judeus até nós, toda a raça humana. Essa Aliança se deu através da Vida e Ministério de Jesus, e foi selada com o sangue de Jesus derramado na cruz. Mas antes disso, durante a última ceia com os seus discípulos, Jesus profetizou o que estava por vir, ao mesmo tempo em que selava junto aos mesmos a Aliança que estabeleceria com a humanidade através do seu sangue, simbolizado pelo vinho: “Bebam dele todos, pois isto é o meu sangue, o sangue da aliança, que é derramado em favor de muitos, para remissão dos pecados. Eu lhes digo: de hoje em diante não beberei desse fruto da videira, até o dia em que, com vocês, beberei o vinho novo no reino do meu Pai.”

É fantástico, não é mesmo? Que privilégio o nosso, e que maravilha!
Tenham todos um maravilhoso e abençoado domingo na presença do Altíssimo que estabeleceu a mais maravilhosa das relações com os seus filhos através do seu Filho.
A Graça e Paz sejam com todos nós!
Austri JuniorTeólogo

Foto: Reflexão Dominical:<br />
Mateus 26:28</p>
<p>A ALIANÇA!<br />
"Porque isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados." (Mt 26:28)<br />
***</p>
<p>No Antigo Testamento Deus fez uma aliança com o seu povo: Deu-lhes o Decálogo (10 Mandamentos), e as leis para esses construissem uma nova sociedade, após o êxodo do Egito (Ex 19 - 31). Nessa aliança o Senhor estabeleceu os parâmetros para uma convivência saudável, não somente em comunidade mas também para o relacionamento com Ele próprio. Nas leis que o Senhor estabeleceu com Israel determinava toda a conduta que o povo deveria assumir diante do Senhor, diante dos irmãos, na vida social, na vida espiritual e eclesiástica. Quando o Senhor passou para Moisés todas as instruções, ele estava no monte, e, "Veio, pois, Moisés, e contou ao povo todas as palavras do Senhor, e todos os estatutos; então o povo respondeu a uma voz, e disse: Todas as palavras, que o Senhor tem falado, faremos" (Êxodo 24:3).</p>
<p>No Novo Testamento uma nova aliança foi estabelecida com o povo, e agora muito mais ampla, pois não se trata somente de Israel, mas de todo o povo de Deus, desde aquele momento até os dias de hoje. Desde os judeus até nós, toda a raça humana. Essa Aliança se deu através da Vida e Ministério de Jesus, e foi selada com o sangue de Jesus derramado na cruz. Mas antes disso, durante a última ceia com os seus discípulos, Jesus profetizou o que estava por vir, ao mesmo tempo em que selava junto aos mesmos a Aliança que estabeleceria com a humanidade através do seu sangue, simbolizado pelo vinho: "Bebam dele todos, pois isto é o meu sangue, o sangue da aliança, que é derramado em favor de muitos, para remissão dos pecados. Eu lhes digo: de hoje em diante não beberei desse fruto da videira, até o dia em que, com vocês, beberei o vinho novo no reino do meu Pai." </p>
<p>É fantástico, não é mesmo? Que privilégio o nosso, e que maravilha!<br />
Tenham todos um maravilhoso e abençoado domingo na presença do Altíssimo que estabeleceu a mais maravilhosa das relações com os seus filhos através do seu Filho.<br />
A Graça e Paz sejam com todos nós!<br />
Austri Junior - Teólogo

Bom Dia!
Reflexão do Dia:
Êxodo capítulo 18SER SÁBIO É SABER OUVIR, E SEGUIR A SABEDORIA
Em Êxodo capítulo 18 temos duas lições simples, rápidas e eficazes:
1ª – Devemos ouvir os conselhos dos sábios (v. 19 e 24);
2ª – Distribua tarefas e responsabilidades com pessoas responsáveis (v. 21).

Não precisamos nos estender além disso!
Pois diz o ditado:
“Para um bom entendedor, poucas palavras bastam!”

Tenham todos um maravilhoso e abençoado dia na presença do Altíssimo e aproveitem o fim de semana com as suas famílias. Leiam o capítulo 18 do livro do Êxodo, construam as suas próprias conclusões e nos ajude construir outras interpretações.
Austri JuniorTeólogo
***

Êxodo 18:1-27
Ora Jetro, sacerdote de Midiã, sogro de Moisés, ouviu todas as coisas que Deus tinha feito a Moisés e a Israel seu povo, como o SENHOR tinha tirado a Israel do Egito.
E Jetro, sogro de Moisés, tomou a Zípora, a mulher de Moisés, depois que ele lha enviara,
Com seus dois filhos, dos quais um se chamava Gérson; porque disse: Eu fui peregrino em terra estranha;
E o outro se chamava Eliézer; porque disse: O Deus de meu pai foi por minha ajuda, e me livrou da espada de Faraó.
Vindo, pois, Jetro, o sogro de Moisés, com seus filhos e com sua mulher, a Moisés no deserto, ao monte de Deus, onde se tinha acampado,
Disse a Moisés: Eu, teu sogro Jetro, venho a ti, com tua mulher e seus dois filhos com ela.
Então saiu Moisés ao encontro de seu sogro, e inclinou-se, e beijou-o, e perguntaram um ao outro como estavam, e entraram na tenda.
E Moisés contou a seu sogro todas as coisas que o Senhor tinha feito a Faraó e aos egípcios por amor de Israel, e todo o trabalho que passaram no caminho, e como o Senhor os livrara.
E alegrou-se Jetro de todo o bem que o Senhor tinha feito a Israel, livrando-o da mão dos egípcios.
E Jetro disse: Bendito seja o Senhor, que vos livrou das mãos dos egípcios e da mão de Faraó; que livrou a este povo de debaixo da mão dos egípcios.
Agora sei que o Senhor é maior que todos os deuses; porque na coisa em que se ensoberbeceram, os sobrepujou.
Então Jetro, o sogro de Moisés, tomou holocausto e sacrifícios para Deus; e veio Arão, e todos os anciãos de Israel, para comerem pão com o sogro de Moisés diante de deus.
E aconteceu que, no outro dia, Moisés assentou-se para julgar o povo; e o povo estava em pé diante de Moisés desde a manhã até à tarde.
Vendo, pois, o sogro de Moisés tudo o que ele fazia ao povo, disse: Que é isto, que tu fazes ao povo? Por que te assentas só, e todo o povo está em pé diante de ti, desde a manhã até à tarde?
Então disse Moisés a seu sogro: É porque este povo vem a mim, para consultar a Deus;
Quando tem algum negócio vem a mim, para que eu julgue entre um e outro e lhes declare os estatutos de Deus e as suas leis.
O sogro de Moisés, porém, lhe disse: Não é bom o que fazes.
Totalmente desfalecerás, assim tu como este povo que está contigo; porque este negócio é mui difícil para ti; tu só não o podes fazer.
Ouve agora minha voz, eu te aconselharei, e Deus será contigo. Sê tu pelo povo diante de Deus, e leva tu as causas a Deus;
E declara-lhes os estatutos e as leis, e faze-lhes saber o caminho em que devem andar, e a obra que devem fazer.
E tu dentre todo o povo procura homens capazes, tementes a Deus, homens de verdade, que odeiem a avareza; e põe-nos sobre eles por maiorais de mil, maiorais de cem, maiorais de cinqüenta, e maiorais de dez;
Para que julguem este povo em todo o tempo; e seja que todo o negócio grave tragam a ti, mas todo o negócio pequeno eles o julguem; assim a ti mesmo te aliviarás da carga, e eles a levarão contigo.
Se isto fizeres, e Deus to mandar, poderás então subsistir; assim também todo este povo em paz irá ao seu lugar.
E Moisés deu ouvidos à voz de seu sogro, e fez tudo quanto tinha dito;
E escolheu Moisés homens capazes, de todo o Israel, e os pôs por cabeças sobre o povo; maiorais de mil, maiorais de cem, maiorais de cinqüenta e maiorais de dez.
E eles julgaram o povo em todo o tempo; o negócio árduo trouxeram a Moisés, e todo o negócio pequeno julgaram eles.
Então despediu Moisés o seu sogro, o qual se foi à sua terra.

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:<br />
Êxodo capítulo 18</p>
<p>SER SÁBIO É SABER OUVIR, E SEGUIR A SABEDORIA<br />
Em Êxodo capítulo 18 temos duas lições simples, rápidas e eficazes:<br />
1ª - Devemos ouvir os conselhos dos sábios (v. 19 e 24);<br />
2ª - Distribua tarefas e responsabilidades com pessoas responsáveis (v. 21).</p>
<p>Não precisamos nos estender além disso!<br />
Pois diz o ditado:<br />
"Para um bom entendedor, poucas palavras bastam!"</p>
<p>Tenham todos um maravilhoso e abençoado dia na presença do Altíssimo e aproveitem o fim de semana com as suas famílias. Leiam o capítulo 18 do livro do Êxodo, construam as suas próprias conclusões e nos ajude construir outras interpretações.<br />
Austri Junior - Teólogo<br />
***</p>
<p>Êxodo 18:1-27<br />
Ora Jetro, sacerdote de Midiã, sogro de Moisés, ouviu todas as coisas que Deus tinha feito a Moisés e a Israel seu povo, como o SENHOR tinha tirado a Israel do Egito.<br />
E Jetro, sogro de Moisés, tomou a Zípora, a mulher de Moisés, depois que ele lha enviara,<br />
Com seus dois filhos, dos quais um se chamava Gérson; porque disse: Eu fui peregrino em terra estranha;<br />
E o outro se chamava Eliézer; porque disse: O Deus de meu pai foi por minha ajuda, e me livrou da espada de Faraó.<br />
Vindo, pois, Jetro, o sogro de Moisés, com seus filhos e com sua mulher, a Moisés no deserto, ao monte de Deus, onde se tinha acampado,<br />
Disse a Moisés: Eu, teu sogro Jetro, venho a ti, com tua mulher e seus dois filhos com ela.<br />
Então saiu Moisés ao encontro de seu sogro, e inclinou-se, e beijou-o, e perguntaram um ao outro como estavam, e entraram na tenda.<br />
E Moisés contou a seu sogro todas as coisas que o Senhor tinha feito a Faraó e aos egípcios por amor de Israel, e todo o trabalho que passaram no caminho, e como o Senhor os livrara.<br />
E alegrou-se Jetro de todo o bem que o Senhor tinha feito a Israel, livrando-o da mão dos egípcios.<br />
E Jetro disse: Bendito seja o Senhor, que vos livrou das mãos dos egípcios e da mão de Faraó; que livrou a este povo de debaixo da mão dos egípcios.<br />
Agora sei que o Senhor é maior que todos os deuses; porque na coisa em que se ensoberbeceram, os sobrepujou.<br />
Então Jetro, o sogro de Moisés, tomou holocausto e sacrifícios para Deus; e veio Arão, e todos os anciãos de Israel, para comerem pão com o sogro de Moisés diante de deus.<br />
E aconteceu que, no outro dia, Moisés assentou-se para julgar o povo; e o povo estava em pé diante de Moisés desde a manhã até à tarde.<br />
Vendo, pois, o sogro de Moisés tudo o que ele fazia ao povo, disse: Que é isto, que tu fazes ao povo? Por que te assentas só, e todo o povo está em pé diante de ti, desde a manhã até à tarde?<br />
Então disse Moisés a seu sogro: É porque este povo vem a mim, para consultar a Deus;<br />
Quando tem algum negócio vem a mim, para que eu julgue entre um e outro e lhes declare os estatutos de Deus e as suas leis.<br />
O sogro de Moisés, porém, lhe disse: Não é bom o que fazes.<br />
Totalmente desfalecerás, assim tu como este povo que está contigo; porque este negócio é mui difícil para ti; tu só não o podes fazer.<br />
Ouve agora minha voz, eu te aconselharei, e Deus será contigo. Sê tu pelo povo diante de Deus, e leva tu as causas a Deus;<br />
E declara-lhes os estatutos e as leis, e faze-lhes saber o caminho em que devem andar, e a obra que devem fazer.<br />
E tu dentre todo o povo procura homens capazes, tementes a Deus, homens de verdade, que odeiem a avareza; e põe-nos sobre eles por maiorais de mil, maiorais de cem, maiorais de cinqüenta, e maiorais de dez;<br />
Para que julguem este povo em todo o tempo; e seja que todo o negócio grave tragam a ti, mas todo o negócio pequeno eles o julguem; assim a ti mesmo te aliviarás da carga, e eles a levarão contigo.<br />
Se isto fizeres, e Deus to mandar, poderás então subsistir; assim também todo este povo em paz irá ao seu lugar.<br />
E Moisés deu ouvidos à voz de seu sogro, e fez tudo quanto tinha dito;<br />
E escolheu Moisés homens capazes, de todo o Israel, e os pôs por cabeças sobre o povo; maiorais de mil, maiorais de cem, maiorais de cinqüenta e maiorais de dez.<br />
E eles julgaram o povo em todo o tempo; o negócio árduo trouxeram a Moisés, e todo o negócio pequeno julgaram eles.<br />
Então despediu Moisés o seu sogro, o qual se foi à sua terra.
Reflexão do Dia:
Êxodo 17DEUS ESTÁ NO MEIO DO SEU POVO
Mesmo com todas as murmurações do povo hebreu, O Senhor os amava, protegia e os defendia dos seus inimigos. Deus não desampara os seus filhos os protege para lhes preservar a vida, a raça (humana), e primordialmente, a sua existência. Assim foi durante todo o tempo em que Israel caminhou pelo deserto.

Aqui no capítulo 17 vemos os amalequitas atacando Israel. Moisés enviou Josué, o seu capitão para a frente de combate e permaneceu por trás das “trincheiras” combatendo com o seu povo. De que maneira Moisés com bateu essa luta? Literalmente intercedendo: ” Enquanto Moisés ficava com as mãos levantadas, Israel vencia; quando ele abaixava as mãos, Amalec vencia” (Ex 17:11).

Moisés já se encontrava com mais de oitenta anos de idade, e se cansava facilmente, mas ele tinha consigo Aarão, seu irmão, e Hur que o ajudavam a manter as mãos levantadas para que Israel pudesse vencer essa batalha.

Assim devem ser os irmãos, a igreja, a família: um intercedendo pelo outro,e ajudando-se mutuamente a se manter firme diante de uma dificuldade. A sua, a minha, a nossa intercessão intercessão é algo fundamental para que os líderes da igreja possam sustentar as suas missões e ministério. O sacerdote/pastor, o pregador, o missionário…, todos os irmãos precisam ser sustentados em oração. Daí a importância do Ministério de Interseção/Oração, antes, durante, depois e até mesmo fora dos trabalhos; cultos, encontros, seminários… Os missionários e missionárias no campo precisam muito das nossas orações, e, assim como eles, todos precisam. A igreja precisa de interseção.

A igreja precisa resgatar a oração por ações espirituais,e não por ambições terrenas, tais como “prosperidade”. O que vemos hoje em dia são as igrejas (povo e instituição) orando por carros, casa, dinheiro… Tudo isso é importante, “Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6:33). Geralmente o povo ora por coisas materiais e os pastores oram por multiplicação do rebanho. No fim, o propósito é o mesmo: DINHEIRO!

Quando vemos as igrejas orando por questões espirituais, em geral estão dando mais ênfase ao “inimigo” do que ao Senhor. Hoje em dia, dentro das igrejas, fala-se muito mais o nome satanás do que o Nome do Senhor, pode contar. Já fiz isso muitas vezes. Mesmo que juntemos as vezes em que se fala: Deus, Senhor, Jesus, Espírito Santo ( e os adjetivos para se designá-los), as palavras “satanás”, “diabo”, “inimigo”, “adversário”…, são muito mais usadas dentro de um culto, quando contabilizamos as orações, a pregação, a música…, e isso sem falar nos “bate-papos” dos irmão, antes e depois dos cultos. Outra coisa absurda são as orações por “batalhas espirituais”. Tudo virou batalha espiritual. O irmão não estudou e tem dificuldade para arranjar emprego: “batalha espiritual” . A irmã não teve discernimento da vida e se envolveu com um homem mau caráter: “batalha espiritual”. Alguém na igreja não tem controle financeiro e está endividado: “batalha espiritual”…

Não podemos esquecer (ou então é hora de saber), que a palavra “satanás” significa “adversário”, e os adversários dos cristãos eram os romanos (o exército de Roma), que também eram chamados de “cães”, por isso é que vemos no Novo Testamento: “Guardai-vos dos cães, guardai-vos dos maus obreiros, guardai-vos da circuncisão;” (Fl 3:2). E, também: “Mas, ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira” (Ap 22:15). Entre outros versículos.

Não precisamos ter medo do “inimigo”, só precisamos ser cristãos: Buscar as coisas do alto! Ser cristão é ser imitadores de Cristo. Ser imitadores de Cristo é buscar o Reino de Deus com sinceridade, em Espírito e em Verdade. Ser ético, ser idôneo, ter bom caráter, ter uma vida com Deus: Vida de oração. Pois Deus está no meio de nós!
Lembre-se: “O SENHOR É MINHA BANDEIRA” (Ex 17:15b).

Tenha um dia abençoado na presença do Altíssimo!
Que o Senhor nos abençoe e nos guarde hoje e sempre. Amém!
Austri Junior – Teólogo
***

Leia êxodo capítulo 17, construa as sua próprias conclusões e nos ajude construir outras interpretações:

Êxodo 17:1-16
Depois toda a congregação dos filhos de Israel partiu do deserto de Sim pelas suas jornadas, segundo o mandamento do Senhor, e acampou em Refidim; não havia ali água para o povo beber.
Então contendeu o povo com Moisés, e disse: Dá-nos água para beber. E Moisés lhes disse: Por que contendeis comigo? Por que tentais ao Senhor?
Tendo pois ali o povo sede de água, o povo murmurou contra Moisés, e disse: Por que nos fizeste subir do Egito, para nos matares de sede, a nós e aos nossos filhos, e ao nosso gado?
E clamou Moisés ao Senhor, dizendo: Que farei a este povo? Daqui a pouco me apedrejará.
Então disse o Senhor a Moisés: Passa diante do povo, e toma contigo alguns dos anciãos de Israel; e toma na tua mão a tua vara, com que feriste o rio, e vai.
Eis que eu estarei ali diante de ti sobre a rocha, em Horebe, e tu ferirás a rocha, e dela sairão águas e o povo beberá. E Moisés assim o fez, diante dos olhos dos anciãos de Israel.
E chamou aquele lugar Massá e Meribá, por causa da contenda dos filhos de Israel, e porque tentaram ao Senhor, dizendo: Está o Senhor no meio de nós, ou não?
Então veio Amaleque, e pelejou contra Israel em Refidim.
Por isso disse Moisés a Josué: Escolhe-nos homens, e sai, peleja contra Amaleque; amanhã eu estarei sobre o cume do outeiro, e a vara de Deus estará na minha mão.
E fez Josué como Moisés lhe dissera, pelejando contra Amaleque; mas Moisés, Arão, e Hur subiram ao cume do outeiro.
E acontecia que, quando Moisés levantava a sua mão, Israel prevalecia; mas quando ele abaixava a sua mão, Amaleque prevalecia.
Porém as mãos de Moisés eram pesadas, por isso tomaram uma pedra, e a puseram debaixo dele, para assentar-se sobre ela; e Arão e Hur sustentaram as suas mãos, um de um lado e o outro do outro; assim ficaram as suas mãos firmes até que o sol se pôs.
E assim Josué desfez a Amaleque e a seu povo, ao fio da espada.
Então disse o Senhor a Moisés: Escreve isto para memória num livro, e relata-o aos ouvidos de Josué; que eu totalmente hei de riscar a memória de Amaleque de debaixo dos céus.
E Moisés edificou um altar, ao qual chamou: O SENHOR É MINHA BANDEIRA.
E disse: Porquanto jurou o Senhor, haverá guerra do Senhor contra Amaleque de geração em geração.

Foto: Reflexão do Dia:<br />
Êxodo 17</p>
<p>DEUS ESTÁ NO MEIO DO SEU POVO<br />
Mesmo com todas as murmurações do povo hebreu, O Senhor os amava, protegia e os defendia dos seus inimigos. Deus não desampara os seus filhos os protege para lhes preservar a vida, a raça (humana), e primordialmente, a sua existência. Assim foi durante todo o tempo em que Israel caminhou pelo deserto. </p>
<p>Aqui no capítulo 17 vemos os amalequitas atacando Israel. Moisés enviou Josué, o seu capitão para a frente de combate e permaneceu por trás das "trincheiras" combatendo com o seu povo. De que maneira Moisés com bateu essa luta? Literalmente intercedendo: " Enquanto Moisés ficava com as mãos levantadas, Israel vencia; quando ele abaixava as mãos, Amalec vencia" (Ex 17:11).</p>
<p>Moisés já se encontrava com mais de oitenta anos de idade, e se cansava facilmente, mas ele tinha consigo Aarão, seu irmão, e Hur que o ajudavam a manter as mãos levantadas para que Israel pudesse vencer essa batalha.</p>
<p>Assim devem ser os irmãos, a igreja, a família: um intercedendo pelo outro,e ajudando-se mutuamente a se manter firme diante de uma dificuldade. A sua, a minha, a nossa intercessão intercessão é algo fundamental para que os líderes da igreja possam sustentar as suas missões e ministério. O sacerdote/pastor, o pregador, o missionário..., todos os irmãos precisam ser sustentados em oração. Daí a importância do Ministério de Interseção/Oração, antes, durante, depois e até mesmo fora dos trabalhos; cultos, encontros, seminários... Os missionários e missionárias no campo precisam muito das nossas orações, e, assim como eles, todos precisam. A igreja precisa de interseção.  </p>
<p>A igreja precisa resgatar a oração por ações espirituais,e não por  ambições terrenas, tais como "prosperidade". O que vemos hoje em dia são as igrejas (povo e instituição) orando por carros, casa, dinheiro... Tudo isso é importante, "Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas" (Mt 6:33). Geralmente o povo ora por coisas materiais e os pastores oram por multiplicação do rebanho. No fim, o propósito é o mesmo: DINHEIRO!</p>
<p>Quando vemos as igrejas orando por questões espirituais, em geral estão dando mais ênfase ao "inimigo" do que ao Senhor. Hoje em dia, dentro das igrejas, fala-se muito mais o nome satanás do que o Nome do Senhor, pode contar. Já fiz isso muitas vezes. Mesmo que juntemos as vezes em que se fala: Deus, Senhor, Jesus, Espírito Santo ( e os adjetivos para se designá-los), as palavras "satanás", "diabo", "inimigo", "adversário"..., são muito mais usadas dentro de um culto, quando contabilizamos as orações, a pregação, a música..., e isso sem falar nos "bate-papos" dos irmão, antes e depois dos cultos. Outra coisa absurda são as orações por "batalhas espirituais".  Tudo virou batalha espiritual. O irmão não estudou e tem dificuldade para arranjar emprego: "batalha espiritual" . A irmã não teve discernimento da vida e se envolveu com um homem mau caráter: "batalha espiritual". Alguém na igreja não tem controle financeiro e está endividado: "batalha espiritual"...  </p>
<p>Não podemos esquecer (ou então é hora de saber), que a palavra "satanás" significa "adversário", e os adversários dos cristãos eram os romanos (o exército de Roma), que também eram chamados de "cães", por isso é que vemos no Novo Testamento: "Guardai-vos dos cães, guardai-vos dos maus obreiros, guardai-vos da circuncisão;" (Fl 3:2). E, também: "Mas, ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira" (Ap 22:15). Entre outros versículos.</p>
<p>Não precisamos ter medo do "inimigo", só precisamos ser cristãos: Buscar as coisas do alto! Ser cristão é ser imitadores de Cristo. Ser imitadores de Cristo é buscar o Reino de Deus com sinceridade, em Espírito e em Verdade. Ser ético, ser idôneo, ter bom caráter, ter uma vida com Deus: Vida de oração. Pois Deus está no meio de nós!<br />
Lembre-se: "O SENHOR É MINHA BANDEIRA" (Ex 17:15b).</p>
<p>Tenha um dia abençoado na presença do Altíssimo!<br />
Que o Senhor nos abençoe e nos guarde hoje e sempre. Amém!<br />
Austri Junior - Teólogo<br />
***</p>
<p>Leia êxodo capítulo 17, construa as sua próprias conclusões e nos ajude construir outras interpretações:</p>
<p>Êxodo 17:1-16<br />
Depois toda a congregação dos filhos de Israel partiu do deserto de Sim pelas suas jornadas, segundo o mandamento do Senhor, e acampou em Refidim; não havia ali água para o povo beber.<br />
Então contendeu o povo com Moisés, e disse: Dá-nos água para beber. E Moisés lhes disse: Por que contendeis comigo? Por que tentais ao Senhor?<br />
Tendo pois ali o povo sede de água, o povo murmurou contra Moisés, e disse: Por que nos fizeste subir do Egito, para nos matares de sede, a nós e aos nossos filhos, e ao nosso gado?<br />
E clamou Moisés ao Senhor, dizendo: Que farei a este povo? Daqui a pouco me apedrejará.<br />
Então disse o Senhor a Moisés: Passa diante do povo, e toma contigo alguns dos anciãos de Israel; e toma na tua mão a tua vara, com que feriste o rio, e vai.<br />
Eis que eu estarei ali diante de ti sobre a rocha, em Horebe, e tu ferirás a rocha, e dela sairão águas e o povo beberá. E Moisés assim o fez, diante dos olhos dos anciãos de Israel.<br />
E chamou aquele lugar Massá e Meribá, por causa da contenda dos filhos de Israel, e porque tentaram ao Senhor, dizendo: Está o Senhor no meio de nós, ou não?<br />
Então veio Amaleque, e pelejou contra Israel em Refidim.<br />
Por isso disse Moisés a Josué: Escolhe-nos homens, e sai, peleja contra Amaleque; amanhã eu estarei sobre o cume do outeiro, e a vara de Deus estará na minha mão.<br />
E fez Josué como Moisés lhe dissera, pelejando contra Amaleque; mas Moisés, Arão, e Hur subiram ao cume do outeiro.<br />
E acontecia que, quando Moisés levantava a sua mão, Israel prevalecia; mas quando ele abaixava a sua mão, Amaleque prevalecia.<br />
Porém as mãos de Moisés eram pesadas, por isso tomaram uma pedra, e a puseram debaixo dele, para assentar-se sobre ela; e Arão e Hur sustentaram as suas mãos, um de um lado e o outro do outro; assim ficaram as suas mãos firmes até que o sol se pôs.<br />
E assim Josué desfez a Amaleque e a seu povo, ao fio da espada.<br />
Então disse o Senhor a Moisés: Escreve isto para memória num livro, e relata-o aos ouvidos de Josué; que eu totalmente hei de riscar a memória de Amaleque de debaixo dos céus.<br />
E Moisés edificou um altar, ao qual chamou: O SENHOR É MINHA BANDEIRA.<br />
E disse: Porquanto jurou o Senhor, haverá guerra do Senhor contra Amaleque de geração em geração.
Bom Dia!
Reflexão do Dia:
Êxodo capítulo 16DEUS SUSTENTA O SEU POVO!
O povo continuou murmurando, e culpando Moisés, nos momentos de dificuldades, dessa vez era a falta de alimento e a fome. Chegaram ao ponte de dizer que era melhor ter sidos mortos pelas mãos de de Javé, no Egito (Ex 16:2-3). Mas Deus continuou fazendo milagres e prodígios no meio do seu povo, providenciando as suas necessidades, com faz ainda hoje. O Senhor providenciou o Maná que sustentou o seu povo por quarenta anos no deserto.

O povo estava tão cego que não conseguia enxergar as maravilhas do Senhor. Tão cegos estavam aquelas pessoas, que não conseguiam sequer obedecer um mandamento (qualquer semelhança com o povo de hoje não é mera coincidência). Deus ordenou (através de Moisés) que ninguém guardasse o pão para o dia seguinte, mas houve quem o fizesse. Deus ordenou que descansassem no sétimo dia, que ninguém saísse para o campo para buscar o maná, mas “No sétimo dia, alguns do povo saíram para o recolher, mas não encontraram nada” (cf. v. 27). Então, ” Javé disse a Moisés: ‘Até quando vocês se negarão a observar meus mandamentos e leis?’ (v. 28a).

É muito importante observar as leis e os preceitos de Deus para evitarmos sofrimentos, “dores de cabeça” e aborrecimentos desnecessários. Aquele povo ficou dando volta no deserto por quarenta anos não foi sem motivo, como veremos mais adiante. Deus estava trabalhando e purificado-os, e preparando a nova geração de Israel, pois esta estava corrompida pelos 430 anos de servidão em uma nação totalmente diferente, cultural, social, espiritual e religiosamente. Estavam muito distantes daquilo que Deus queria para eles. Reclamar e culpar os outros eram as suas especialidades. Provavelmente, fruto dos anos de martírio no cativeiro egípcio. Eles não se deram conta de que agora eram livres. Não perceberam que estavam libertos pelas mãos de um Deus Poderoso.

Tenham todos um dia abençoado na presença do Altíssimo e Todo-poderoso Deus. A graça e a Paz sejam com todos nós!
Austri JuniorTeólogo
***

Leiam o capítulo 16 do livro do Êxodo, construa as suas próprias conclusões, e nos ajude a construir outras interpretações:

Êxodo 16:1-36
E partindo de Elim, toda a congregação dos filhos de Israel veio ao deserto de Sim, que está entre Elim e Sinai, aos quinze dias do mês segundo, depois de sua saída da terra do Egito.
E toda a congregação dos filhos de Israel murmurou contra Moisés e contra Arão no deserto.
E os filhos de Israel disseram-lhes: Quem dera tivéssemos morrido por mão do Senhor na terra do Egito, quando estávamos sentados junto às panelas de carne, quando comíamos pão até fartar! Porque nos tendes trazido a este deserto, para matardes de fome a toda esta multidão.
Então disse o Senhor a Moisés: Eis que vos farei chover pão dos céus, e o povo sairá, e colherá diariamente a porção para cada dia, para que eu o prove se anda em minha lei ou não.
E acontecerá, no sexto dia, que prepararão o que colherem; e será o dobro do que colhem cada dia.
Então disseram Moisés e Arão a todos os filhos de Israel: À tarde sabereis que o Senhor vos tirou da terra do Egito,
E amanhã vereis a glória do Senhor, porquanto ouviu as vossas murmurações contra o Senhor. E quem somos nós, para que murmureis contra nós?
Disse mais Moisés: Isso será quando o Senhor à tarde vos der carne para comer, e pela manhã pão a fartar, porquanto o Senhor ouviu as vossas murmurações, com que murmurais contra ele. E quem somos nós? As vossas murmurações não são contra nós, mas sim contra o Senhor.
Depois disse Moisés a Arão: Dize a toda a congregação dos filhos de Israel: Chegai-vos à presença do Senhor, porque ouviu as vossas murmurações.
E aconteceu que, quando falou Arão a toda a congregação dos filhos de Israel, e eles se viraram para o deserto, eis que a glória do Senhor apareceu na nuvem.
E o Senhor falou a Moisés, dizendo:
Tenho ouvido as murmurações dos filhos de Israel. Fala-lhes, dizendo: Entre as duas tardes comereis carne, e pela manhã vos fartareis de pão; e sabereis que eu sou o Senhor vosso Deus.
E aconteceu que à tarde subiram codornizes, e cobriram o arraial; e pela manhã jazia o orvalho ao redor do arraial.
E quando o orvalho se levantou, eis que sobre a face do deserto estava uma coisa miúda, redonda, miúda como a geada sobre a terra.
E, vendo-a os filhos de Israel, disseram uns aos outros: Que é isto? Porque não sabiam o que era. Disse-lhes pois Moisés: Este é o pão que o Senhor vos deu para comer.
Esta é a palavra que o Senhor tem mandado: Colhei dele cada um conforme ao que pode comer, um ômer por cabeça, segundo o número das vossas almas; cada um tomará para os que se acharem na sua tenda.
E os filhos de Israel fizeram assim; e colheram, uns mais e outros menos.
Porém, medindo-o com o ômer, não sobejava ao que colhera muito, nem faltava ao que colhera pouco; cada um colheu tanto quanto podia comer.
E disse-lhes Moisés: Ninguém deixe dele para amanhã.
Eles, porém, não deram ouvidos a Moisés, antes alguns deles deixaram dele para o dia seguinte; e criou bichos, e cheirava mal; por isso indignou-se Moisés contra eles.
Eles, pois, o colhiam cada manhã, cada um conforme ao que podia comer; porque, aquecendo o sol, derretia-se.
E aconteceu que ao sexto dia colheram pão em dobro, dois ômeres para cada um; e todos os príncipes da congregação vieram, e contaram-no a Moisés.
E ele disse-lhes: Isto é o que o Senhor tem dito: Amanhã é repouso, o santo sábado do Senhor; o que quiserdes cozer no forno, cozei-o, e o que quiserdes cozer em água, cozei-o em água; e tudo o que sobejar, guardai para vós até amanhã.
E guardaram-no até o dia seguinte, como Moisés tinha ordenado; e não cheirou mal nem nele houve algum bicho.
Então disse Moisés: Comei-o hoje, porquanto hoje é o sábado do Senhor; hoje não o achareis no campo.
Seis dias o colhereis, mas o sétimo dia é o sábado; nele não haverá.
E aconteceu ao sétimo dia, que alguns do povo saíram para colher, mas não o acharam.
Então disse o Senhor a Moisés: Até quando recusareis guardar os meus mandamentos e as minhas leis?
Vede, porquanto o Senhor vos deu o sábado, portanto ele no sexto dia vos dá pão para dois dias; cada um fique no seu lugar, ninguém saia do seu lugar no sétimo dia.
Assim repousou o povo no sétimo dia.
E chamou a casa de Israel o seu nome maná; e era como semente de coentro branco, e o seu sabor como bolos de mel.
E disse Moisés: Esta é a palavra que o Senhor tem mandado: Encherás um ômer dele e guardá-lo-ás para as vossas gerações, para que vejam o pão que vos tenho dado a comer neste deserto, quando eu vos tirei da terra do Egito.
Disse também Moisés a Arão: Toma um vaso, e põe nele um ômer cheio de maná, e coloca-o diante do Senhor, para guardá-lo para as vossas gerações.
Como o Senhor tinha ordenado a Moisés, assim Arão o pôs diante do Testemunho, para ser guardado.
E comeram os filhos de Israel maná quarenta anos, até que entraram em terra habitada; comeram maná até que chegaram aos termos da terra de Canaã.
E um ômer é a décima parte do efa.

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:<br />
Êxodo capítulo 16</p>
<p>DEUS SUSTENTA O SEU POVO!<br />
O povo continuou murmurando, e culpando Moisés, nos momentos de dificuldades, dessa vez era a falta de alimento e a fome. Chegaram ao ponte de dizer que era melhor ter sidos mortos pelas mãos de de Javé, no Egito (Ex 16:2-3). Mas Deus continuou fazendo milagres e prodígios no meio do seu povo, providenciando as suas necessidades, com faz ainda hoje. O Senhor providenciou o Maná que sustentou o seu povo por quarenta anos no deserto.</p>
<p>O povo estava tão cego que não conseguia enxergar as maravilhas do Senhor. Tão cegos estavam aquelas pessoas, que não conseguiam sequer obedecer um mandamento (qualquer semelhança com o povo de hoje não é mera coincidência). Deus ordenou (através de Moisés) que ninguém guardasse o pão para o dia seguinte, mas houve quem o fizesse. Deus ordenou que descansassem no sétimo dia, que ninguém saísse para o campo para buscar o maná, mas "No sétimo dia, alguns do povo saíram para o recolher, mas não encontraram nada" (cf. v. 27). Então, " Javé disse a Moisés: 'Até quando vocês se negarão a observar meus mandamentos e leis?' (v. 28a).</p>
<p>É muito importante observar as leis e os preceitos de Deus para evitarmos sofrimentos, "dores de cabeça" e aborrecimentos desnecessários. Aquele povo ficou dando volta no deserto por quarenta anos não foi sem motivo, como veremos mais adiante. Deus estava trabalhando e purificado-os, e preparando a nova geração de Israel, pois esta estava corrompida pelos 430 anos de servidão em uma nação totalmente diferente, cultural, social, espiritual e religiosamente. Estavam muito distantes daquilo que Deus queria para eles. Reclamar e culpar os outros eram as suas especialidades. Provavelmente, fruto dos anos de martírio no cativeiro egípcio. Eles não se deram conta de que agora eram livres. Não perceberam que estavam libertos pelas mãos de um Deus Poderoso.</p>
<p>Tenham todos um dia abençoado na presença do Altíssimo e Todo-poderoso Deus. A graça e a Paz sejam com todos nós!<br />
Austri Junior - Teólogo<br />
***</p>
<p>Leiam o capítulo 16 do livro do Êxodo, construa as suas próprias conclusões, e nos ajude a construir outras interpretações:</p>
<p>Êxodo 16:1-36<br />
E partindo de Elim, toda a congregação dos filhos de Israel veio ao deserto de Sim, que está entre Elim e Sinai, aos quinze dias do mês segundo, depois de sua saída da terra do Egito.<br />
E toda a congregação dos filhos de Israel murmurou contra Moisés e contra Arão no deserto.<br />
E os filhos de Israel disseram-lhes: Quem dera tivéssemos morrido por mão do Senhor na terra do Egito, quando estávamos sentados junto às panelas de carne, quando comíamos pão até fartar! Porque nos tendes trazido a este deserto, para matardes de fome a toda esta multidão.<br />
Então disse o Senhor a Moisés: Eis que vos farei chover pão dos céus, e o povo sairá, e colherá diariamente a porção para cada dia, para que eu o prove se anda em minha lei ou não.<br />
E acontecerá, no sexto dia, que prepararão o que colherem; e será o dobro do que colhem cada dia.<br />
Então disseram Moisés e Arão a todos os filhos de Israel: À tarde sabereis que o Senhor vos tirou da terra do Egito,<br />
E amanhã vereis a glória do Senhor, porquanto ouviu as vossas murmurações contra o Senhor. E quem somos nós, para que murmureis contra nós?<br />
Disse mais Moisés: Isso será quando o Senhor à tarde vos der carne para comer, e pela manhã pão a fartar, porquanto o Senhor ouviu as vossas murmurações, com que murmurais contra ele. E quem somos nós? As vossas murmurações não são contra nós, mas sim contra o Senhor.<br />
Depois disse Moisés a Arão: Dize a toda a congregação dos filhos de Israel: Chegai-vos à presença do Senhor, porque ouviu as vossas murmurações.<br />
E aconteceu que, quando falou Arão a toda a congregação dos filhos de Israel, e eles se viraram para o deserto, eis que a glória do Senhor apareceu na nuvem.<br />
E o Senhor falou a Moisés, dizendo:<br />
Tenho ouvido as murmurações dos filhos de Israel. Fala-lhes, dizendo: Entre as duas tardes comereis carne, e pela manhã vos fartareis de pão; e sabereis que eu sou o Senhor vosso Deus.<br />
E aconteceu que à tarde subiram codornizes, e cobriram o arraial; e pela manhã jazia o orvalho ao redor do arraial.<br />
E quando o orvalho se levantou, eis que sobre a face do deserto estava uma coisa miúda, redonda, miúda como a geada sobre a terra.<br />
E, vendo-a os filhos de Israel, disseram uns aos outros: Que é isto? Porque não sabiam o que era. Disse-lhes pois Moisés: Este é o pão que o Senhor vos deu para comer.<br />
Esta é a palavra que o Senhor tem mandado: Colhei dele cada um conforme ao que pode comer, um ômer por cabeça, segundo o número das vossas almas; cada um tomará para os que se acharem na sua tenda.<br />
E os filhos de Israel fizeram assim; e colheram, uns mais e outros menos.<br />
Porém, medindo-o com o ômer, não sobejava ao que colhera muito, nem faltava ao que colhera pouco; cada um colheu tanto quanto podia comer.<br />
E disse-lhes Moisés: Ninguém deixe dele para amanhã.<br />
Eles, porém, não deram ouvidos a Moisés, antes alguns deles deixaram dele para o dia seguinte; e criou bichos, e cheirava mal; por isso indignou-se Moisés contra eles.<br />
Eles, pois, o colhiam cada manhã, cada um conforme ao que podia comer; porque, aquecendo o sol, derretia-se.<br />
E aconteceu que ao sexto dia colheram pão em dobro, dois ômeres para cada um; e todos os príncipes da congregação vieram, e contaram-no a Moisés.<br />
E ele disse-lhes: Isto é o que o Senhor tem dito: Amanhã é repouso, o santo sábado do Senhor; o que quiserdes cozer no forno, cozei-o, e o que quiserdes cozer em água, cozei-o em água; e tudo o que sobejar, guardai para vós até amanhã.<br />
E guardaram-no até o dia seguinte, como Moisés tinha ordenado; e não cheirou mal nem nele houve algum bicho.<br />
Então disse Moisés: Comei-o hoje, porquanto hoje é o sábado do Senhor; hoje não o achareis no campo.<br />
Seis dias o colhereis, mas o sétimo dia é o sábado; nele não haverá.<br />
E aconteceu ao sétimo dia, que alguns do povo saíram para colher, mas não o acharam.<br />
Então disse o Senhor a Moisés: Até quando recusareis guardar os meus mandamentos e as minhas leis?<br />
Vede, porquanto o Senhor vos deu o sábado, portanto ele no sexto dia vos dá pão para dois dias; cada um fique no seu lugar, ninguém saia do seu lugar no sétimo dia.<br />
Assim repousou o povo no sétimo dia.<br />
E chamou a casa de Israel o seu nome maná; e era como semente de coentro branco, e o seu sabor como bolos de mel.<br />
E disse Moisés: Esta é a palavra que o Senhor tem mandado: Encherás um ômer dele e guardá-lo-ás para as vossas gerações, para que vejam o pão que vos tenho dado a comer neste deserto, quando eu vos tirei da terra do Egito.<br />
Disse também Moisés a Arão: Toma um vaso, e põe nele um ômer cheio de maná, e coloca-o diante do Senhor, para guardá-lo para as vossas gerações.<br />
Como o Senhor tinha ordenado a Moisés, assim Arão o pôs diante do Testemunho, para ser guardado.<br />
E comeram os filhos de Israel maná quarenta anos, até que entraram em terra habitada; comeram maná até que chegaram aos termos da terra de Canaã.<br />
E um ômer é a décima parte do efa.
Bom Dia!
Reflexão do Dia:
Êxodo 15: 22-27DEUS PROVIDENCIA AS NOSSAS NECESSIDADES
Após louvar à Deus pelo grande feito de ter livrado o povo da morte, abrindo as águas do mar Vermelho, Israel partiu dali em direção ao deserto de Sur (cf. v. 22). Ao chegar no deserto, encontraram águas amargas “E o povo murmurou contra Moisés, dizendo: Que havemos de beber?” (Êx 15:24). Moisés então clamou ao Senhor (entenda-se por “clamar”: pedir): “E ele clamou ao Senhor, e o Senhor mostrou-lhe uma árvore, que lançou nas águas, e as águas se tornaram doces…” (Êx 15:25).
Quando pedimos ao Senhor, e Ele sabendo das nossas necessidades e urgências reais, nos dará de prontidão. Os problemas de Moisés estavam só começando.

Todo pastor, sacerdote, líder, professor/educador…, sabe o quanto é difícil lidar com pessoas, assembleias, salas de aulas… Gente é algo complicado, e quem não possui o fruto do Espírito ( Gl 5:22), o chamado, e o Dom de Deus, com certeza não conseguirá levar adiante a missão. Estar diante de tão grande responsabilidade por glória, fama ou dinheiro é perda de tempo. Moisés foi escolhido e teve muitos problemas. Nós também teremos, e em muitos momentos pensaremos em desistir, e muitos de nós desistirão. Precisamos saber certamente onde Deus quer que operemos, então mudaremos o foco. Ficar em uma posição por orgulho ou teimosia só nos trará um resultado: a queda vergonhosa.

Moisés estava com Deus, e Deus estava com Moisés, orientando e guiando-o, para que ele pudesse orientar e guiar aquele povo ainda incrédulo e rebelde, mesmo diante de tantos e grandiosos milagres e sinais.

O Senhor abençoe e guarde a sua vida, dando-lhe sabedoria, e derramando sobre cada um de vós o fruto do Espírito, seja você, ovelha ou pastor. Leia o capítulo 15 do livro do Êxodo e construa as suas próprias conclusões, e nos ajude construir outras interpretações.

Graça, Paz e bem aos vossos corações,
Austri Junior – Teólogo
***

Êxodo 15:22-27
Depois fez Moisés partir os israelitas do Mar Vermelho, e saíram ao deserto de Sur; e andaram três dias no deserto, e não acharam água.
Então chegaram a Mara; mas não puderam beber das águas de Mara, porque eram amargas; por isso chamou-se o lugar Mara.
E o povo murmurou contra Moisés, dizendo: Que havemos de beber?
E ele clamou ao Senhor, e o Senhor mostrou-lhe uma árvore, que lançou nas águas, e as águas se tornaram doces. Ali lhes deu estatutos e uma ordenança, e ali os provou.
E disse: Se ouvires atento a voz do Senhor teu Deus, e fizeres o que é reto diante de seus olhos, e inclinares os teus ouvidos aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, nenhuma das enfermidades porei sobre ti, que pus sobre o Egito; porque eu sou o Senhor que te sara.

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:<br />
Êxodo 15: 22-27</p>
<p>DEUS PROVIDENCIA AS NOSSAS NECESSIDADES<br />
Após louvar à Deus pelo grande feito de ter livrado o povo da morte, abrindo as águas do mar Vermelho, Israel partiu dali em direção ao deserto de Sur (cf. v. 22). Ao chegar no deserto, encontraram águas amargas  "E o povo murmurou contra Moisés, dizendo: Que havemos de beber?" (Êx 15:24). Moisés então clamou ao Senhor (entenda-se por "clamar": pedir): "E ele clamou ao Senhor, e o Senhor mostrou-lhe uma árvore, que lançou nas águas, e as águas se tornaram doces..." (Êx 15:25).<br />
Quando pedimos ao Senhor, e Ele sabendo das nossas necessidades e urgências reais, nos dará de prontidão. Os problemas de Moisés estavam só começando. </p>
<p>Todo pastor, sacerdote, líder, professor/educador..., sabe o quanto é difícil lidar com pessoas, assembleias, salas de aulas... Gente é algo complicado, e quem não possui o fruto do Espírito ( Gl 5:22), o chamado, e o Dom de Deus, com certeza não conseguirá levar adiante a missão. Estar diante de tão grande responsabilidade por glória, fama ou dinheiro é perda de tempo. Moisés foi escolhido e teve muitos problemas. Nós também teremos, e em muitos momentos pensaremos em desistir, e muitos de nós desistirão. Precisamos saber certamente onde Deus quer que operemos, então mudaremos o foco. Ficar em uma posição por orgulho ou teimosia só nos trará um resultado: a queda vergonhosa. </p>
<p>Moisés estava com Deus, e Deus estava com Moisés, orientando e guiando-o, para que ele pudesse orientar e guiar aquele povo ainda incrédulo e rebelde, mesmo diante de tantos e grandiosos milagres e sinais.</p>
<p>O Senhor abençoe e guarde a sua vida, dando-lhe sabedoria, e derramando sobre cada um de vós o fruto do Espírito, seja você, ovelha ou pastor. Leia o capítulo 15 do livro do Êxodo e construa as suas próprias conclusões, e nos ajude construir outras interpretações.</p>
<p>Graça, Paz e bem aos vossos corações,<br />
Austri Junior - Teólogo<br />
***</p>
<p>Êxodo 15:22-27<br />
Depois fez Moisés partir os israelitas do Mar Vermelho, e saíram ao deserto de Sur; e andaram três dias no deserto, e não acharam água.<br />
Então chegaram a Mara; mas não puderam beber das águas de Mara, porque eram amargas; por isso chamou-se o lugar Mara.<br />
E o povo murmurou contra Moisés, dizendo: Que havemos de beber?<br />
E ele clamou ao Senhor, e o Senhor mostrou-lhe uma árvore, que lançou nas águas, e as águas se tornaram doces. Ali lhes deu estatutos e uma ordenança, e ali os provou.<br />
E disse: Se ouvires atento a voz do Senhor teu Deus, e fizeres o que é reto diante de seus olhos, e inclinares os teus ouvidos aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, nenhuma das enfermidades porei sobre ti, que pus sobre o Egito; porque eu sou o Senhor que te sara.
Bom Dia!
Reflexão do Dia:
Êxodo capítulo 14ABRINDO AS ÁGUAS DO MAR!
Após a saída de Israel do território Egípcio, novamente Deus endureceu o coração do faraó, pela última vez para selar o seu poder junto aos dois povos conforme o versículo 4.

Ao ver o Faraó e o seu exército os hebreus ficaram com medo e começaram a entrar em desespero, e não pouparam críticas e acusações a Moisés. ” Moisés respondeu ao povo: Não tenham medo. Fiquem firmes, e verão o que Javé fará hoje para salvar vocês. Nunca mais vocês verão os egípcios, como estão vendo hoje. (Ex 14:9-13).

Ninguém pode nos obrigar à alguma coisa que não queremos. Tudo o que fazemos, fazemos por vontade própria. Mesmo no caso daquelas pessoas que não sabem dizer não, ainda assim, fazem as coisas por sua própria decisão. As nossas decisões e escolhas nos trazem consequências e devemos assumi-las sem culpar os outros por isso. Então, dizer não quando não se está interessado ou quando se está discordando, é muito importante, e demonstra ética, caráter, responsabilidade, vida própria. Mas em muitos casos é o contrário: acusar e culpar os outros é muito mais fácil.

Devemos sempre fazer as melhores escolhas, mesmo correndo o risco de errar. E quando tudo parecer horrível, quando tudo der errado, quando a coisa ficar feia, “Não tenham medo. Fiquem firmes, e verão o que Javé fará hoje para salvar vocês” (v. 13). Tudo o que precisamos é assumir as responsabilidades sobre os nossos atos e confiar em Deus. Fiquemos firmes em nossa fé! Essa é a nossa parte. O Sobrenatural à Deus pertence. Se Ele quiser, e se for preciso, Ele abrirá o mar para que possamos passar. Não digo isso por ufanismo, nem por sensacionalismo. Digo-o por experiência própria e com os pés no chão, sabendo que abrir as águas do mar pode significar pequenos milagres. E, às vezes são tão pequenos que não percebemos, mas que são impossíveis para nós fazermos. Para Deus, não!

Tenham um dia abençoado na presença do Altíssimo, confiando que ele sempre faz a parte dele. Principalmente se for uma promessa. Leiam o capítulo 14 do livro do Êxodo e construa as suas próprias conclusões, e nos ajude construir outras interpretações. A Graça e a Paz sejam com todos nós.
Austri Junior – Teólogo

***
ÊXODO CAPÍTULO 14 (Biblia Pastoral – OnLine)

Não olhar para trás
1 Javé falou a Moisés: 2 Diga aos filhos de Israel que voltem e acampem em Piairot, entre Magdol e o mar, diante de Baal Sefon; aí vocês acamparão, junto ao mar. 3 O Faraó irá pensar que os filhos de Israel andam errantes pelo país e que o deserto os bloqueou. 4 Eu endurecerei o coração do Faraó, que os perseguirá. Então eu mostrarei a minha honra, derrotando o Faraó e todo o seu exército; e os egípcios saberão que eu sou Javé. E os filhos de Israel assim fizeram.

5 Quando comunicaram ao rei do Egito que o povo tinha fugido, o Faraó e seus ministros mudaram de opinião sobre o povo e disseram: O que é que nós fizemos? Deixamos partir nossos escravos israelitas! 6 O Faraó mandou aprontar seu carro e levou consigo suas tropas: 7 seiscentos carros escolhidos e todos os carros do Egito, com oficiais sobre todos eles. 8 Javé endureceu o coração do Faraó, rei do Egito, e este perseguiu os filhos de Israel, que saíram ostensivamente.

9 Perseguindo com todos os cavalos e carros do Faraó, os cavaleiros e o exército os alcançaram quando estavam acampados junto ao mar, em Piairot, diante de Baal Sefon. 10 Quando o Faraó se aproximou, os filhos de Israel levantaram os olhos e viram que os egípcios avançavam atrás deles. Cheios de medo, clamaram a Javé, 11 e disseram a Moisés: Será que não havia sepulturas lá no Egito? Você nos trouxe ao deserto para morrermos! Por que nos tratou assim, tirando-nos do Egito? 12 Não é isso que nós dizíamos a você lá no Egito: ‘Deixe-nos em paz, para que sirvamos aos egípcios’? O que é melhor para nós? Servir aos egípcios ou morrer no deserto?» 13 Moisés respondeu ao povo: Não tenham medo. Fiquem firmes, e verão o que Javé fará hoje para salvar vocês. Nunca mais vocês verão os egípcios, como estão vendo hoje. 14 Javé combaterá por vocês. Podem ficar tranqüilos.

Atravessar para a liberdade
15 Javé disse a Moisés: Por que você está clamando por mim? Diga aos filhos de Israel que avancem. 16 Quanto a você, erga a vara, estenda a mão sobre o mar e divida-o pelo meio para que os filhos de Israel possam atravessá-lo a pé enxuto. 17 Eu endureci o coração dos egípcios, para que eles persigam vocês. Assim eu mostrarei a minha honra, derrotando o Faraó e seu exército, com seus carros e cavaleiros. 18 Quando eu derrotar o Faraó com seus carros e cavaleiros, os egípcios ficarão sabendo que eu sou Javé».

19 O anjo de Deus, que ia na frente do exército de Israel, se retirou para ficar na retaguarda. A coluna de nuvem também se retirou da frente deles e se colocou atrás, 20 ficando entre o acampamento dos egípcios e o acampamento de Israel. A nuvem se escureceu, e durante toda a noite a escuridão impediu que um se aproximasse do outro.

21 Moisés estendeu a mão sobre o mar, e Javé fez o mar se retirar com um forte vento oriental, que soprou a noite inteira: o mar ficou seco e as águas se dividiram em duas. 22 Os filhos de Israel entraram pelo mar a pé enxuto, e as águas formavam duas muralhas, à direita e à esquerda. 23 Na perseguição, os egípcios entraram atrás deles com todos os cavalos do Faraó, seus carros e cavaleiros, e foram até o meio do mar. 24 De madrugada, Javé olhou da coluna de fogo e da nuvem, viu o acampamento dos egípcios e provocou uma confusão no acampamento: 25 emperrou as rodas dos carros, fazendo-os andar com dificuldade. Então os egípcios disseram: Vamos fugir de Israel, porque Javé combate a favor deles». 26 Javé disse a Moisés: Estenda a mão sobre o mar, e as águas se voltarão contra os egípcios, seus carros e cavaleiros. 27 Moisés estendeu a mão sobre o mar. E, de manhã, este voltou para o seu leito. Os egípcios, ao fugir, foram ao encontro do mar, e Javé atirou-os no meio do mar. 28 As águas voltaram, cobrindo os carros e os cavaleiros de todo o exército do Faraó, que os haviam seguido no mar: nem um só deles escapou. 29 Os filhos de Israel, porém, passaram pelo meio do mar a pé enxuto, enquanto as águas se erguiam em forma de muralhas, à direita e à esquerda. 30 Nesse dia Javé salvou Israel das mãos dos egípcios, e Israel viu os cadáveres dos egípcios à beira-mar. 31 Israel viu a mão forte com que Javé atuou contra o Egito. Então o povo temeu a Javé e acreditou nele e no seu servo Moisés.

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:<br />
Êxodo capítulo 14</p>
<p>ABRINDO AS ÁGUAS DO MAR!<br />
Após a saída de Israel do território Egípcio, novamente Deus endureceu o coração do faraó, pela última vez para selar o seu poder junto aos dois povos conforme o versículo 4.</p>
<p>Ao ver o Faraó e o seu exército os hebreus ficaram com medo e começaram a entrar em desespero, e não pouparam críticas e acusações a Moisés. " Moisés respondeu ao povo: Não tenham medo. Fiquem firmes, e verão o que Javé fará hoje para salvar vocês. Nunca mais vocês verão os egípcios, como estão vendo hoje. (Ex 14:9-13).</p>
<p>Ninguém pode nos obrigar à alguma coisa que não queremos. Tudo o que fazemos, fazemos por vontade própria. Mesmo no caso daquelas pessoas que não sabem dizer não, ainda assim, fazem as coisas  por sua própria decisão. As nossas decisões e escolhas nos trazem consequências e devemos assumi-las sem culpar os outros por isso. Então, dizer não quando não se está interessado ou quando se está discordando, é muito importante, e demonstra ética, caráter, responsabilidade, vida própria. Mas em muitos casos é o contrário: acusar e culpar os outros é muito mais fácil.</p>
<p>Devemos sempre fazer as melhores escolhas, mesmo correndo o risco de errar. E quando tudo parecer horrível, quando tudo der errado, quando a coisa ficar feia, "Não tenham medo.  Fiquem firmes, e verão o que Javé fará hoje para salvar vocês" (v. 13). Tudo o que precisamos é assumir as responsabilidades sobre os nossos atos e confiar em Deus. Fiquemos firmes em nossa fé! Essa é a nossa parte. O Sobrenatural à Deus pertence. Se Ele quiser, e se for preciso, Ele abrirá o mar para que possamos passar. Não digo isso por ufanismo, nem por sensacionalismo. Digo-o por experiência própria e com os pés no chão, sabendo que abrir as águas do mar pode significar pequenos milagres. E, às vezes são tão pequenos que não percebemos, mas que são impossíveis para nós fazermos. Para Deus, não!</p>
<p>Tenham um dia abençoado na presença do Altíssimo, confiando que ele sempre faz a parte dele. Principalmente se for uma promessa. Leiam o capítulo 14 do livro do Êxodo e construa as suas próprias conclusões, e nos ajude construir outras interpretações. A Graça e a Paz sejam com todos nós.<br />
Austri Junior - Teólogo </p>
<p>***<br />
ÊXODO CAPÍTULO 14 (Biblia Pastoral - OnLine)</p>
<p>Não olhar para trás<br />
1 Javé falou a Moisés: 2 Diga aos filhos de Israel que voltem e acampem em Piairot, entre Magdol e o mar, diante de Baal Sefon; aí vocês acamparão, junto ao mar. 3 O Faraó irá pensar que os filhos de Israel andam errantes pelo país e que o deserto os bloqueou. 4 Eu endurecerei o coração do Faraó, que os perseguirá. Então eu mostrarei a minha honra, derrotando o Faraó e todo o seu exército; e os egípcios saberão que eu sou Javé. E os filhos de Israel assim fizeram.</p>
<p>5 Quando comunicaram ao rei do Egito que o povo tinha fugido, o Faraó e seus ministros mudaram de opinião sobre o povo e disseram: O que é que nós fizemos? Deixamos partir nossos escravos israelitas! 6 O Faraó mandou aprontar seu carro e levou consigo suas tropas: 7 seiscentos carros escolhidos e todos os carros do Egito, com oficiais sobre todos eles. 8 Javé endureceu o coração do Faraó, rei do Egito, e este perseguiu os filhos de Israel, que saíram ostensivamente.</p>
<p>9 Perseguindo com todos os cavalos e carros do Faraó, os cavaleiros e o exército os alcançaram quando estavam acampados junto ao mar, em Piairot, diante de Baal Sefon. 10 Quando o Faraó se aproximou, os filhos de Israel levantaram os olhos e viram que os egípcios avançavam atrás deles. Cheios de medo, clamaram a Javé, 11 e disseram a Moisés: Será que não havia sepulturas lá no Egito? Você nos trouxe ao deserto para morrermos! Por que nos tratou assim, tirando-nos do Egito? 12 Não é isso que nós dizíamos a você lá no Egito: ‘Deixe-nos em paz, para que sirvamos aos egípcios’? O que é melhor para nós? Servir aos egípcios ou morrer no deserto?» 13 Moisés respondeu ao povo: Não tenham medo. Fiquem firmes, e verão o que Javé fará hoje para salvar vocês. Nunca mais vocês verão os egípcios, como estão vendo hoje. 14 Javé combaterá por vocês. Podem ficar tranqüilos.</p>
<p>Atravessar para a liberdade<br />
15 Javé disse a Moisés: Por que você está clamando por mim? Diga aos filhos de Israel que avancem. 16 Quanto a você, erga a vara, estenda a mão sobre o mar e divida-o pelo meio para que os filhos de Israel possam atravessá-lo a pé enxuto. 17 Eu endureci o coração dos egípcios, para que eles persigam vocês. Assim eu mostrarei a minha honra, derrotando o Faraó e seu exército, com seus carros e cavaleiros. 18 Quando eu derrotar o Faraó com seus carros e cavaleiros, os egípcios ficarão sabendo que eu sou Javé».</p>
<p>19 O anjo de Deus, que ia na frente do exército de Israel, se retirou para ficar na retaguarda. A coluna de nuvem também se retirou da frente deles e se colocou atrás, 20 ficando entre o acampamento dos egípcios e o acampamento de Israel. A nuvem se escureceu, e durante toda a noite a escuridão impediu que um se aproximasse do outro.</p>
<p>21 Moisés estendeu a mão sobre o mar, e Javé fez o mar se retirar com um forte vento oriental, que soprou a noite inteira: o mar ficou seco e as águas se dividiram em duas. 22 Os filhos de Israel entraram pelo mar a pé enxuto, e as águas formavam duas muralhas, à direita e à esquerda. 23 Na perseguição, os egípcios entraram atrás deles com todos os cavalos do Faraó, seus carros e cavaleiros, e foram até o meio do mar. 24 De madrugada, Javé olhou da coluna de fogo e da nuvem, viu o acampamento dos egípcios e provocou uma confusão no acampamento: 25 emperrou as rodas dos carros, fazendo-os andar com dificuldade. Então os egípcios disseram: Vamos fugir de Israel, porque Javé combate a favor deles». 26 Javé disse a Moisés: Estenda a mão sobre o mar, e as águas se voltarão contra os egípcios, seus carros e cavaleiros. 27 Moisés estendeu a mão sobre o mar. E, de manhã, este voltou para o seu leito. Os egípcios, ao fugir, foram ao encontro do mar, e Javé atirou-os no meio do mar. 28 As águas voltaram, cobrindo os carros e os cavaleiros de todo o exército do Faraó, que os haviam seguido no mar: nem um só deles escapou. 29 Os filhos de Israel, porém, passaram pelo meio do mar a pé enxuto, enquanto as águas se erguiam em forma de muralhas, à direita e à esquerda. 30 Nesse dia Javé salvou Israel das mãos dos egípcios, e Israel viu os cadáveres dos egípcios à beira-mar. 31 Israel viu a mão forte com que Javé atuou contra o Egito. Então o povo temeu a Javé e acreditou nele e no seu servo Moisés.
Bom Dia!
Reflexão do Dia:
Êxodo 13:17-22O SENHOR GUIA O SEU POVO!
Quando Israel deixou o Egito, o Senhor os guiou durante o dia com uma coluna de nuvem, e, durante a noite com uma coluna de fogo. As colunas do Senhor não se afastavam do povo. Assim é o nosso Deus, Ele nunca se afasta de nós, Ele nunca nos abandona. Nós é que às vezes nos afastamos dele, e o abandonamos. Muitas vezes, quando Deus silencia e não responde às nossas orações não quer dizer que nos abandonou, ou que não está nos ouvindo. Muito pelo contrário; Deus ouve tudo o que falamos, em oração e fora dela, e mais: Deus ouve até os nossos pensamentos. Quando não nos responde, está trabalhando em silêncio! Deus não é falatório, nem falácias e muito menos gritaria e barulho. Muitos cristãos precisam aprender a silenciar para ouvir Deus. No silêncio encontramos conosco e com Deus, pois Deus está em todos os lugares, inclusive dentro de nós. Os nossos gritos, as nossas músicas e orações altas não nos deixam ouvir a voz de Deus, nem reconhecer a vontade dele para o que estamos clamando. Clamar não é GRITAR, clamar significa pedir. Podemos pedi em pensamento, e Deus ouvirá. Quando Deus está em silêncio, está trabalhando também conosco, nos educando, nos guiando, como fez com Israel no deserto.

A coluna de fogo que guiava o povo, servia para iluminar os seus caminhos, guiando-os para que não se perdessem. É assim que Deus age: Guia e ilumina os seus filhos, para que não tropecem. Então porque tropeçamos? Simplesmente porque saímos da direção da coluna de Deus. Deus é A Luz…., Deus é A Lâmpada que guia os nossos pés e o nosso caminho (Sl 119:105). Não quero especular aqui, sobre a coluna de fogo de Deus à noite (mas quero “poetizar”), dizendo que aquela coluna de fogo que Deus enviara à noite, poderia aquecer o seu povo durante o frio noturno do deserto, pois Deus guia, ilumina e aquece as nossa vidas, concedendo força e energia para a nossa caminhada.

Louvado seja o Deus Todo-poderoso pelo seu amor, bondade e misericórdia, Amém!

Austri Junior – Teólogo
***

Leia e texro logo abaixo e construa as suas próprias conclusões e nos ajude a construir outras interpretações:

Êxodo 13:17-22
E aconteceu que, quando Faraó deixou ir o povo, Deus não os levou pelo caminho da terra dos filisteus, que estava mais perto; porque Deus disse: Para que porventura o povo não se arrependa, vendo a guerra, e volte ao Egito.
Mas Deus fez o povo rodear pelo caminho do deserto do Mar Vermelho; e armados, os filhos de Israel subiram da terra do Egito.
E Moisés levou consigo os ossos de José, porquanto havia este solenemente ajuramentado os filhos de Israel, dizendo: Certamente Deus vos visitará; fazei, pois, subir daqui os meus ossos convosco.
Assim partiram de Sucote, e acamparam-se em Etã, à entrada do deserto.
E o Senhor ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem para os guiar pelo caminho, e de noite numa coluna de fogo para os iluminar, para que caminhassem de dia e de noite.
Nunca tirou de diante do povo a coluna de nuvem, de dia, nem a coluna de fogo, de noite.

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:<br />
Êxodo 13:17-22</p>
<p>O SENHOR GUIA O SEU POVO!<br />
Quando Israel deixou o Egito, o Senhor os guiou durante o dia com uma coluna de nuvem, e, durante a noite com uma coluna de fogo. As colunas do Senhor não se afastavam do povo. Assim é o nosso Deus, Ele nunca se afasta de nós, Ele nunca nos abandona. Nós é que às vezes nos afastamos dele, e o abandonamos. Muitas vezes, quando Deus silencia e não responde às nossas orações não quer dizer que nos abandonou, ou que não está nos ouvindo. Muito pelo contrário; Deus ouve tudo o que falamos, em oração e fora dela, e mais: Deus ouve até os nossos pensamentos. Quando não nos responde, está trabalhando em silêncio! Deus não é falatório, nem falácias e muito menos gritaria e barulho. Muitos cristãos precisam aprender a silenciar para ouvir Deus. No silêncio encontramos conosco e com Deus, pois Deus está em todos os lugares, inclusive dentro de nós. Os nossos gritos, as nossas músicas e orações altas não nos deixam ouvir a voz de Deus, nem reconhecer a vontade dele para o que estamos clamando. Clamar não é GRITAR, clamar significa pedir. Podemos pedi em pensamento, e Deus ouvirá. Quando Deus está em silêncio, está trabalhando também conosco, nos educando, nos guiando, como fez com Israel no deserto. </p>
<p>A coluna de fogo que guiava o povo, servia para iluminar os seus caminhos, guiando-os para que não se perdessem. É assim que Deus age: Guia e ilumina os seus filhos, para que não tropecem. Então porque tropeçamos? Simplesmente porque saímos da direção da coluna de Deus. Deus é A Luz...., Deus é A Lâmpada que guia os nossos pés e o nosso caminho (Sl 119:105). Não quero especular aqui, sobre a coluna de fogo de Deus à noite (mas quero "poetizar"), dizendo que aquela coluna de fogo que Deus enviara à noite, poderia aquecer o seu povo durante o frio noturno do deserto, pois Deus guia, ilumina e aquece as nossa vidas, concedendo força e energia para a nossa caminhada.</p>
<p>Louvado seja o Deus Todo-poderoso pelo seu amor, bondade e misericórdia, Amém!</p>
<p>Austri Junior - Teólogo<br />
***</p>
<p>Leia e texro logo abaixo e construa as suas próprias conclusões e nos ajude a construir outras interpretações: </p>
<p>Êxodo 13:17-22<br />
E aconteceu que, quando Faraó deixou ir o povo, Deus não os levou pelo caminho da terra dos filisteus, que estava mais perto; porque Deus disse: Para que porventura o povo não se arrependa, vendo a guerra, e volte ao Egito.<br />
Mas Deus fez o povo rodear pelo caminho do deserto do Mar Vermelho; e armados, os filhos de Israel subiram da terra do Egito.<br />
E Moisés levou consigo os ossos de José, porquanto havia este solenemente ajuramentado os filhos de Israel, dizendo: Certamente Deus vos visitará; fazei, pois, subir daqui os meus ossos convosco.<br />
Assim partiram de Sucote, e acamparam-se em Etã, à entrada do deserto.<br />
E o Senhor ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem para os guiar pelo caminho, e de noite numa coluna de fogo para os iluminar, para que caminhassem de dia e de noite.<br />
Nunca tirou de diante do povo a coluna de nuvem, de dia, nem a coluna de fogo, de noite.
Bom Dia!
Reflexão Dominical:JESUS, O CORDEIRO DE DEUS
“E, vendo passar a Jesus, disse: Eis aqui o Cordeiro de Deus.”
(João 1:36)

“No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” (João 1:29)
***

Deus libertou Israel após 430 anos de escravidão no Egito. Essa libertação deu-se através da Páscoa, onde haviam (entre outras coisas) de sacrificar o melhor cordeiro do rebanho, sem quebrar nenhum de seus ossos.

A Economia da Salvação Divina trás Jesus como Cordeiro Perfeito, ao qual não se quebrou nenhum osso, no ato de sua crucificação. Não foi nenhuma coincidência, o ato de que Jesus tenha sido crucificado durante a Páscoa. Roma queria impactar os hebreus, crucificando o seu libertador na Festa da Páscoa que era (e continua sendo até hoje para os judeus) uma festa muito importante.

Lendo a Reflexão do Dia (logo abaixo) veremos que a Páscoa significa “PASSAGEM” é também a “LIBERTAÇÃO” e a “PARTILHA”. Deus compartilhou conosco o que ele tem de precioso e perfeito: Seu Filho Amado, Jesus Cristo, para nos LIBERTAR.
Nessa PARTILHA, passamos a desfrutar da Vida Eterna em Jesus Cristo.

Por esse motivo, os cristãos assumiram A Páscoa como sua Festa Principal, pois marca a passagem de Cristo Jesus que ao se doar por nós na Cruz, nos libertou de nossos pecados.

Tenham todos um domingo abençoado na presença do Altíssimo que compartilha com o seu povo, o que há de melhor, e que nos proporciona a LIBERTAÇÃO.

Aproveitem o dia com a sua família, e que O Amor do Pai, A Graça do Filho, e O Poder do Santo Espírito sejam com todos nós, e com cada uma das pessoas que amamos.

Austri Junior – Teólogo

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão Dominical:</p>
<p>JESUS, O CORDEIRO DE DEUS<br />
"E, vendo passar a Jesus, disse: Eis aqui o Cordeiro de Deus."<br />
(João 1:36)</p>
<p>"No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo." (João 1:29)<br />
***</p>
<p>Deus libertou Israel após 430 anos de escravidão no Egito. Essa libertação deu-se através da Páscoa, onde haviam (entre outras coisas) de sacrificar o melhor cordeiro do rebanho, sem quebrar nenhum de seus ossos.</p>
<p>A Economia da Salvação Divina trás Jesus como Cordeiro Perfeito, ao qual não se quebrou nenhum osso, no ato de sua crucificação. Não foi nenhuma coincidência, o ato de que Jesus tenha sido crucificado durante a Páscoa. Roma queria impactar os hebreus, crucificando o seu libertador na Festa da Páscoa que era (e continua sendo até hoje para os judeus) uma festa muito importante. </p>
<p>Lendo a Reflexão do Dia (logo abaixo) veremos que a Páscoa significa "PASSAGEM"  é também a "LIBERTAÇÃO" e a "PARTILHA". Deus compartilhou conosco o que ele tem de precioso e perfeito: Seu Filho Amado, Jesus Cristo, para nos LIBERTAR.<br />
Nessa PARTILHA, passamos a desfrutar da Vida Eterna em Jesus Cristo.</p>
<p>Por esse motivo, os cristãos assumiram A Páscoa como sua Festa Principal, pois marca a passagem de Cristo Jesus que ao se doar por nós na Cruz, nos libertou de nossos pecados.</p>
<p>Tenham todos um domingo abençoado na presença do Altíssimo que compartilha com o seu povo, o que há de melhor, e que nos proporciona a LIBERTAÇÃO.</p>
<p>Aproveitem o dia com a sua família, e que O Amor do Pai, A Graça do Filho, e O Poder do Santo Espírito sejam com todos nós, e com cada uma das pessoas que amamos.</p>
<p>Austri Junior - Teólogo
Bom Dia!
Reflexão do Dia:
A nossa reflexão de hoje está no capítulo 12 do livro do ÊxodoA PÁSCOA DO SENHOR: LIBERTAÇÃO DO SEU POVO!
A Festa da Páscoa era primitivamente um ritual realizado pelos pastores, para proteger as suas famílias e os seus rebanhos dos espíritos maus, pois acreditava-se que espíritos malignos atacavam as pessoas e os animais com doenças, pestes, e até mesmo loucuras. Os animais (assim como a agricultura), eram meios de sobrevivência fundamental naquela região e naquela época, como é ainda hoje. Os pastores matavam um animal, e com o sangue desse animal morto tingiam a entrada das suas tendas. Esse ritual virá adquirir um novo significado com o Êxodo: LIBERTAÇÃO!

A morte dos primogênitos egípcios marca a libertação de Israel, através da PÁSCOA DO SENHOR, e perpetua o poder e a grandeza do Deus Vivo no meio do seu povo, e dá testemunho dessa grandeza diante da nação egípcia, pois como vimos na Reflexão de ontem, o Faraó egípcio ostentava o seu poder enquanto governante e divindade, buscando replicar os sinais de Deus. Também lemos no livro do Êxodo, que o Senhor sempre endurecia o coração do Faraó, “para realizar entre eles os meus sinais, a fim de que você conte ao seu filho e ao seu neto de que modo eu caçoei dos egípcios, e quantos sinais realizei no meio deles. Assim, vocês saberão que eu sou Javé” (Ex 10:1-2), conforme Êxodo 11:9.

A tradução literal da palavra Páscoa é “PASSAGEM”. Essa passagem assume muitos significados para os israelitas. Além da libertação de 430 anos de cativeiro, a páscoa é PARTILHA. Nesse episódio Deus ensina que o seu povo deve compartilhar não somente os momentos importantes da vida com o seu próximo (vizinho), mas também, a partilha do pão: “Se a família for pequena para um animal, então ela se juntará com o vizinho mais próximo de sua casa. O animal será escolhido conforme o número de pessoas e conforme cada uma puder comer” (Ex 12:4). Nesse versículo o Senhor também ensina que não devemos desperdiçar nada, principalmente o alimento. Quando chegar ao deserto faltará comida, mas Deus providenciará o Maná. A vida é uma roda que gira sem parar, e há pessoas que desperdiçam (comida, dinheiro, roupa…) que fará falta para si no futuro. Muitos desperdiçam as coisas mas não compartilham com o seu semelhante.

Lendo o capítulo 12 do livro do Êxodo veremos as determinações do Senhor ao seu povo, para que eles possam partilhar entre si a Páscoa como ritual da presença d’Ele em seu meio , cf v. 15-20. Faz parte do ritual comer pães sem fermento o culto (assembleia sagrada). Assim como os pastores faziam o ritual da páscoa passando sangue na entrada das suas tendas, a Festa dos Pães sem Fermento era primitivamente realizada pelos agricultores por ocasião da colheita. A festa dos Pães sem Fermento marcava o fim de uma colheita e o começo da nova colheita, para que os produtos de uma não se misturassem com a outra. Agora, as duas festas Páscoa e Pães sem Fermento se tornavam uma só para que a nova nação de Israel, essa que surgiu da LIBERDADE, não traga em seu bojo, resquícios da sociedade que viveu cativa e oprimida. Onde quer que Israel fosse, deveria comer pães sem fermento e comemorar a Páscoa, como memória viva da libertação, e só Israel poderia comer da Páscoa. Estrangeiros se quisessem participar desse ritual precisariam circuncidar-se como eram circuncidados os israelitas.

Mais tarde os cristãos assumem a Festa da Páscoa como festa principal de sua religião em detrimento do Sacrifício de Jesus Cristo como lembrança eterna de que DEUS LIBERTA O SEU POVO. A libertação dos cristão se deu através de Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo, conforme João, 1;29.

Tenham uma semana abençoada, meditando e refletindo a Bíblia, que é a Lâmpada e Luz para os nossos olhos, nossos pés e para os nossos caminhos. Leia Êxodo 12, e construa as suas próprias conclusões e nos ajude construir outras interpretações.
Graça, Paz e Bem!

Austri Junior – Teólogo

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:<br />
A nossa reflexão de hoje está no capítulo 12 do livro do Êxodo</p>
<p>A PÁSCOA DO SENHOR: LIBERTAÇÃO DO SEU POVO!<br />
A Festa da Páscoa  era primitivamente um ritual realizado pelos pastores, para proteger as suas famílias e os seus rebanhos dos espíritos maus, pois acreditava-se que espíritos malignos atacavam as pessoas e os animais com doenças, pestes, e até mesmo loucuras. Os animais (assim como a agricultura), eram meios de sobrevivência fundamental naquela região e naquela época, como é ainda hoje. Os pastores matavam um animal, e com o sangue desse animal morto tingiam a entrada das suas tendas. Esse ritual virá adquirir um novo significado com o Êxodo: LIBERTAÇÃO!</p>
<p>A morte dos primogênitos egípcios marca a libertação de Israel, através da PÁSCOA DO SENHOR, e perpetua o poder e a grandeza do Deus Vivo no meio do seu povo, e dá testemunho dessa grandeza diante da nação egípcia, pois como vimos na Reflexão de ontem, o Faraó egípcio ostentava o seu poder enquanto governante e divindade, buscando replicar os sinais de Deus. Também lemos no livro do Êxodo, que o Senhor sempre endurecia o coração do Faraó, "para  realizar entre eles os meus sinais, a fim de que você conte ao seu filho e ao seu neto de que modo eu caçoei dos egípcios, e quantos sinais realizei no meio deles. Assim, vocês saberão que eu sou Javé" (Ex 10:1-2), conforme Êxodo 11:9.</p>
<p>A tradução literal da palavra Páscoa é "PASSAGEM". Essa passagem assume muitos significados para os israelitas. Além da libertação de 430 anos de cativeiro, a páscoa é PARTILHA. Nesse episódio Deus ensina que o seu povo deve compartilhar não somente os momentos importantes da vida com o seu próximo (vizinho), mas também, a partilha do pão: "Se a família for pequena para um animal, então ela se juntará com o vizinho mais próximo de sua casa. O animal será escolhido conforme o número de pessoas e conforme cada uma puder comer" (Ex 12:4). Nesse versículo o Senhor também ensina que não devemos desperdiçar nada, principalmente o alimento. Quando  chegar ao deserto faltará comida, mas Deus providenciará o Maná. A vida é uma roda que gira sem parar, e há pessoas que desperdiçam (comida, dinheiro, roupa...) que fará falta para si no futuro. Muitos desperdiçam as coisas mas não  compartilham com o seu semelhante. </p>
<p>Lendo o capítulo 12 do livro do Êxodo veremos as determinações do Senhor ao seu povo, para que eles possam partilhar entre si a Páscoa como ritual da presença d'Ele em seu meio , cf v. 15-20. Faz parte do ritual comer pães sem fermento o culto (assembleia sagrada). Assim como os pastores faziam o ritual da páscoa passando sangue na entrada das suas tendas, a Festa dos Pães sem Fermento era primitivamente realizada pelos agricultores por ocasião da colheita. A festa dos Pães sem Fermento marcava o fim de uma colheita e o começo da nova colheita, para que os produtos de uma não se misturassem com a outra. Agora, as duas festas Páscoa e Pães sem Fermento se tornavam uma só para que a nova nação de Israel, essa que surgiu da LIBERDADE, não traga em seu bojo, resquícios da sociedade que viveu cativa e oprimida. Onde quer que Israel fosse, deveria comer pães sem fermento e comemorar a Páscoa, como memória viva da libertação, e só Israel poderia comer da Páscoa. Estrangeiros se quisessem participar desse ritual precisariam circuncidar-se como eram circuncidados os israelitas.</p>
<p>Mais tarde os cristãos assumem a Festa da Páscoa como festa principal de sua religião em detrimento do Sacrifício de Jesus Cristo como lembrança eterna de que DEUS LIBERTA O SEU POVO. A libertação dos cristão se deu através de Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo, conforme João, 1;29.</p>
<p>Tenham uma semana abençoada, meditando e refletindo a Bíblia, que é a Lâmpada e Luz para os nossos olhos, nossos pés e para os nossos caminhos. Leia Êxodo 12, e construa as suas próprias conclusões e nos ajude construir outras interpretações.<br />
Graça, Paz e Bem!</p>
<p>Austri Junior - Teólogo
Bom Dia!
Reflexão do Dia:
A nossa Reflexão de hoje encontra-se nos capítulos 2, 3, e 4, do livro do Êxodo.CAPACITAÇÃO PARA A MISSÃO
Por causa de as parteiras hebreias desobedecerem as ordens do Faraó, Moisés nasceu e sobreviveu. Após três meses de idade, como já se tornara impossível mantê-lo escondido, a sua mãe o colocou em um cesto de vime e o colocou no rio Nilo, de onde ele foi retirado e tornou-se protegido da filha do Faraó (Gn 2:5-10).

Moisés vendo a injustiça que o seu povo sofria, acabou matando um egípcio e teve que fugir para terras distantes onde mais tarde, pastoreando o rebanho do seu sogro Jetro, teve uma Epifania
(Ex. 3:1-10).

Deus dá a Moisés missão de libertar o povo hebreu do cativeiro egípcio, mas Moisés fica relutante, e coloca muitos empecilhos para não aceitar a missão:

“Então disse Moisés ao Senhor: Ah, meu Senhor! eu não sou homem eloquente, nem de ontem nem de anteontem, nem ainda desde que tens falado ao teu servo; porque sou pesado de boca e pesado de língua. E disse-lhe o Senhor: Quem fez a boca do homem? ou quem fez o mudo, ou o surdo, ou o que vê, ou o cego? Não sou eu, o Senhor? Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar. Ele, porém, disse: Ah, meu Senhor! Envia pela mão daquele a quem tu hás de enviar. Então se acendeu a ira do Senhor contra Moisés, e disse: Não é Arão, o levita, teu irmão? Eu sei que ele falará muito bem; e eis que ele também sai ao teu encontro; e, vendo-te, se alegrará em seu coração. E tu lhe falarás, e porás as palavras na sua boca; e eu serei com a tua boca, e com a dele, ensinando-vos o que haveis de fazer. E ele falará por ti ao povo; e acontecerá que ele te será por boca, e tu lhe serás por Deus. Toma, pois, esta vara na tua mão, com que farás os sinais” (Êxodo 4:10-17).

Moisés é o libertador, escolhido por Deus.
Quando Deus escolhe alguém para uma missão, não adianta fugir. Deus dá as ferramentas necessárias, e capacita os seus servos. As maiores capacitações que Deus nos dá, são:

1) – Capacidade mental para raciocinar, meditar, entender e compreender os textos e os fatos;

2) – Inteligência para o discernimento, a interpretação e o aprendizado.

Nos dias de hoje, por exemplo, essa capacitação mental e a inteligência são de extrema importância, para que as pessoas possam compreender o que estão lendo, para que possam interpretar os textos. Mas acima de tudo, essa capacitação mental, e a inteligência, Deus nos fornece para buscar formações, para a pregação, e, principalmente a formação teológica.

O Senhor faz a parte dele, que é o sobrenatural, e nós temos que fazer a nossa parte: Estudar para compreender, aprender e ensinar. Muitas pessoas nos dias de hoje, têm desviado o foco da Mensagem de Cristo por ignorância: “Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade. Amém.”
(2 Pedro 3:18)

Além desse texto, podemos citar outros para meditação:
Colossenses 1:10;
Filipenses 1:9;
2 Pedro 1:2;
2 Coríntios 2:14.

Muitos hão de contestar a minha escrita, e dirão que “é o Espírito Santo que capacita, que dirige e direciona, que é o Espírito que nos usa …” Sim, é claro e com toda certeza. Porém se detivermos conhecimento o Espírito Santo nos usará mais e melhor.

É inaceitável o velho, arcaico e tosco discurso de que “A letra mata”. A letra que mata é a lei: “Olho por olho, dente por dente”. No Tempo da Graça “O Espírito Vivifica”, pois “O sábio ouvirá e crescerá em conhecimento, e o entendido adquirirá sábios conselhos;” (Provérbios 1:5)

A Graça e a Paz sejam com todos nós, para que busquemos de Deus todo o conhecimento disponível para servi-lo bem e melhor. É Deus quem capacita o homem para capacitar o outro homem, para que todos possam servi-lo de acordo com os seus Dons e chamados. Amém!

Austri Junior – Teólogo
***

Leia Êxodo 2-4, medite, reflita e construa as suas próprias conclusões. Participe, nos ajudando construir outras interpretações.

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:<br />
A nossa Reflexão de hoje encontra-se nos capítulos 2, 3, e 4, do livro do Êxodo.</p>
<p>CAPACITAÇÃO PARA A MISSÃO<br />
Por causa de as parteiras hebreias desobedecerem as ordens do Faraó, Moisés nasceu e sobreviveu. Após três meses de idade, como já se tornara impossível mantê-lo escondido, a sua mãe o colocou em um cesto de vime e o colocou no rio Nilo, de onde ele foi retirado e tornou-se protegido da filha do Faraó (Gn 2:5-10).</p>
<p>Moisés vendo a injustiça que o seu povo sofria, acabou matando um egípcio e teve que fugir para terras distantes onde mais tarde, pastoreando o rebanho do seu sogro Jetro, teve uma Epifania<br />
(Ex. 3:1-10).</p>
<p>Deus dá a Moisés missão de libertar o povo hebreu do cativeiro egípcio, mas Moisés fica relutante, e coloca muitos empecilhos para não aceitar a missão: </p>
<p>"Então disse Moisés ao Senhor: Ah, meu Senhor! eu não sou homem eloquente, nem de ontem nem de anteontem, nem ainda desde que tens falado ao teu servo; porque sou pesado de boca e pesado de língua. E disse-lhe o Senhor: Quem fez a boca do homem? ou quem fez o mudo, ou o surdo, ou o que vê, ou o cego? Não sou eu, o Senhor? Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar. Ele, porém, disse: Ah, meu Senhor! Envia pela mão daquele a quem tu hás de enviar. Então se acendeu a ira do Senhor contra Moisés, e disse: Não é Arão, o levita, teu irmão? Eu sei que ele falará muito bem; e eis que ele também sai ao teu encontro; e, vendo-te, se alegrará em seu coração. E tu lhe falarás, e porás as palavras na sua boca; e eu serei com a tua boca, e com a dele, ensinando-vos o que haveis de fazer. E ele falará por ti ao povo; e acontecerá que ele te será por boca, e tu lhe serás por Deus. Toma, pois, esta vara na tua mão, com que farás os sinais" (Êxodo 4:10-17).    </p>
<p>Moisés é o libertador, escolhido por Deus.<br />
Quando Deus escolhe alguém para uma missão, não adianta fugir. Deus dá as ferramentas necessárias, e capacita os seus servos. As maiores capacitações que Deus nos dá, são: </p>
<p>1) - Capacidade mental para raciocinar, meditar, entender e compreender os textos e os fatos;</p>
<p> 2) - Inteligência para o discernimento, a interpretação e o aprendizado.</p>
<p>Nos dias de hoje, por exemplo, essa capacitação mental e a inteligência são de extrema importância, para que as pessoas possam compreender o que estão lendo, para que possam interpretar os textos. Mas acima de tudo, essa capacitação mental, e a inteligência, Deus nos fornece para buscar formações, para a pregação, e, principalmente a formação teológica. </p>
<p>O Senhor faz a parte dele, que é o sobrenatural, e nós temos que fazer a nossa parte: Estudar para compreender, aprender e ensinar. Muitas pessoas nos dias de hoje, têm desviado o foco da Mensagem de Cristo por ignorância: "Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade. Amém."<br />
(2 Pedro 3:18)</p>
<p>Além desse texto, podemos citar outros para meditação:<br />
Colossenses 1:10;<br />
Filipenses 1:9;<br />
2 Pedro 1:2;<br />
2 Coríntios 2:14.</p>
<p>Muitos hão de contestar a minha escrita, e dirão que "é o Espírito Santo que capacita, que dirige e direciona, que é o Espírito que nos usa ..." Sim, é claro e com toda certeza. Porém se detivermos conhecimento o Espírito Santo nos usará mais e melhor. </p>
<p>É inaceitável o velho, arcaico e tosco discurso de que "A letra mata". A letra que mata é a lei: "Olho por olho, dente por dente". No Tempo da Graça "O Espírito Vivifica", pois "O sábio ouvirá e crescerá em conhecimento, e o entendido adquirirá sábios conselhos;" (Provérbios 1:5)</p>
<p>A Graça e a Paz sejam com todos nós, para que busquemos de Deus todo o conhecimento disponível para servi-lo bem e melhor. É Deus quem capacita o homem para capacitar o outro homem, para que todos possam servi-lo de acordo com os seus Dons e chamados. Amém! </p>
<p>Austri Junior - Teólogo<br />
***</p>
<p>Leia Êxodo 2-4, medite, reflita e construa as suas próprias conclusões. Participe, nos ajudando construir outras interpretações.
Reflexão do Dia:
Nossa reflexão de hoje encerra o nosso estudo sobre o livro de Gênesis, e abrange os capítulos 48, 49, e 50.A FAMÍLIA É UM PROJETO DE DEUS PARA GERAR VIDAS E SALVAR A HUMANIDADE.
Israel antes de morrer abençoou os seus filhos, e profetizou sobre o destino de cada um, mas não foi somente um ato profético. Israel conhecia cada um de seus filhos e sabia do que são capazes, assim como todo pai conhece o teu filho, mesmo que faça vista grossa. Jacó fez vista grossa aos erros dos seus filhos, mas ante de morrer os repreendeu por suas faltas, que diga-se de passagem , não eram poucas, e eram terríveis.

Quando nós cometemos algo terrível contra alguém, mesmo que a pessoa nos perdoe, é preciso que nos perdoemos também. Se não nos perdoarmos, aquela falta ficará rondando em nossa mente como um fantasma do passado,e jamais nos livraremos das dores que tal fato nos proporciona. Os irmãos de José tiveram medo de que José viesse a se vingar, depois da morte do pai: “Vendo então os irmãos de José que seu pai já estava morto, disseram: Porventura nos odiará José e certamente nos retribuirá todo o mal que lhe fizemos. Portanto mandaram dizer a José: Teu pai ordenou, antes da sua morte, dizendo: Assim direis a José: Perdoa, rogo-te, a transgressão de teus irmãos, e o seu pecado, porque te fizeram mal; agora, pois, rogamos-te que perdoes a transgressão dos servos do Deus de teu pai. E José chorou quando eles lhe falavam”
(Gênesis 50:15-17).

Mas José havia perdoado verdadeira e profundamente, com o coração e do fundo do seu coração, e não da boca para fora, nem com mentiras, como fizeram os seus irmãos todo o tempo, até nesses últimos momentos, pois PERDOAR NÃO SIGNIFICA ESQUECER, MAS SUPERAR E AMAR. Tenho batido na mesma tecla: “ONDE HÁ AMOR HÁ PERDÃO.” E perdão significa exatamente isso: “Sei que você me magoou, mas isso não me incomoda mais!” Então, “José lhes disse: Não temais; porventura estou eu em lugar de Deus? Vós bem intentastes mal contra mim; porém Deus o intentou para bem, para fazer como se vê neste dia, para conservar muita gente com vida. Agora, pois, não temais; eu vos sustentarei a vós e a vossos filhos. Assim os consolou, e falou segundo o coração deles” (Gênesis 50:19-21).

E tudo ficou bem, e estabeleceu-se o amor, o perdão, a fraternidade e o clima de família. Não há nada mais importante que o amor, e o amor tem que imperar para que o perdão possa operar. Para uma convivência humana sadia não há nada mais importante que a família. Se conseguirmos conviver bem com as nossas famílias, vamos conseguir viver melhor, e muito bem com as outras pessoas.

Iniciamos a nossa reflexão sobre o livro de Gênesis exatamente falando sobre a família (capítulo 2). Lá, dizíamos: “A família é a menina dos olhos de Deus.” E é mesmo! Nada mais importante que a família. Foi através da família que Deus instituiu a vida na terra (Adão e Eva). Foi através da família (Sagrada Família): José (o carpinteiro), Maria e Jesus, que Deus elaborou a sua Economia da Salvação. O Menino Jesus precisava de uma família: pai e mãe, ele precisou de um ventre para ser gerado (pois Jesus não é filho de chocadeira, como diriam os nordestinos). E, eis que honra: A escolhida foi Maria de Nazaré. Mas muito mais que uma honra e um privilégio, ela não foi escolhida por mero acaso. Deus não escolheria qualquer uma para ser a mãe do Seu Filho. Com certeza ela era uma jovem pura, e fez por merecer. Não é qualquer uma que obtém de Deus a Graça para gerar o Seu Filho, e carregar dentro de si, no seu próprio ventre, um ser Iluminado e cheio do Espírito Santo. Assim Deus nos mostra a importância das famílias.

José ( do Egito) amou a sua família apesar deles serem maus, violentos, perversos, e traidores.

Tenham todos um maravilhoso e abençoado dia, e aproveitem-no para usufruí-lo com a sua família. Se há algo pendente, a hora é agora… Um grande beijo em vossos corações, na Graça e Paz do Altíssimo. Nos encontraremos amanhã, no livro do êxodo.
Austri Junior – Teólogo
***

Leia os capítulos 48 – 50 do livro de Gênesis, construa as suas próprias conclusões e participe, nos ajudando a construir essa Página para que a mesma seja Lâmpada para os nossos pés, corações e mentes.

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:<br />
Nossa reflexão de hoje encerra o nosso estudo sobre o livro de Gênesis, e abrange os capítulos 48, 49, e 50.</p>
<p>A FAMÍLIA É UM PROJETO DE DEUS PARA GERAR VIDAS E SALVAR A HUMANIDADE.<br />
Israel antes de morrer abençoou  os seus filhos, e profetizou sobre o destino de cada um, mas não foi somente um ato profético. Israel conhecia cada um de seus filhos e sabia do que são capazes, assim como todo pai conhece o teu filho, mesmo que faça vista grossa. Jacó fez vista grossa aos erros dos seus filhos, mas ante de morrer os repreendeu por suas faltas, que diga-se de passagem , não eram poucas, e eram terríveis. </p>
<p>Quando nós cometemos algo terrível contra alguém, mesmo que a pessoa nos perdoe, é preciso que nos perdoemos também. Se não nos perdoarmos, aquela falta ficará rondando em nossa mente como um fantasma do passado,e jamais nos livraremos das dores que tal fato nos proporciona. Os irmãos de José tiveram medo de que José viesse a se vingar, depois da morte do pai: "Vendo então os irmãos de José que seu pai já estava morto, disseram: Porventura nos odiará José e certamente nos retribuirá todo o mal que lhe fizemos. Portanto mandaram dizer a José: Teu pai ordenou, antes da sua morte, dizendo: Assim direis a José: Perdoa, rogo-te, a transgressão de teus irmãos, e o seu pecado, porque te fizeram mal; agora, pois, rogamos-te que perdoes a transgressão dos servos do Deus de teu pai. E José chorou quando eles lhe falavam"<br />
(Gênesis 50:15-17). </p>
<p>Mas José havia perdoado verdadeira e profundamente, com o coração e do fundo do seu coração, e não da boca para fora, nem com mentiras, como fizeram os seus irmãos todo o tempo, até nesses últimos momentos, pois PERDOAR NÃO SIGNIFICA  ESQUECER, MAS SUPERAR E AMAR. Tenho batido na mesma tecla: "ONDE HÁ AMOR HÁ PERDÃO." E perdão significa exatamente isso: "Sei que você me magoou, mas isso não me incomoda mais!" Então, "José lhes disse: Não temais; porventura estou eu em lugar de Deus? Vós bem intentastes mal contra mim; porém Deus o intentou para bem, para fazer como se vê neste dia, para conservar muita gente com vida. Agora, pois, não temais; eu vos sustentarei a vós e a vossos filhos. Assim os consolou, e falou segundo o coração deles" (Gênesis 50:19-21). </p>
<p>E tudo ficou bem, e estabeleceu-se o amor, o perdão, a fraternidade e o clima de família. Não há nada mais importante que o amor, e o amor tem que imperar para que o perdão possa operar. Para uma convivência humana sadia não há nada mais importante que a família. Se conseguirmos conviver bem com as nossas famílias, vamos conseguir viver melhor, e muito bem com as outras pessoas. </p>
<p>Iniciamos a nossa reflexão sobre o livro de Gênesis exatamente falando sobre a família (capítulo 2). Lá, dizíamos: "A família é a menina dos olhos de Deus." E é mesmo! Nada mais importante que a família. Foi através da família que Deus instituiu a vida na terra (Adão e Eva). Foi através da família (Sagrada Família): José (o carpinteiro), Maria e Jesus, que Deus elaborou a sua Economia da Salvação. O Menino Jesus precisava de uma família: pai e mãe, ele precisou de um ventre para ser gerado (pois Jesus não é filho de chocadeira, como diriam os nordestinos). E, eis que honra: A escolhida foi Maria de Nazaré. Mas muito mais que uma honra e um privilégio, ela não foi escolhida por mero acaso. Deus não escolheria qualquer uma para ser a mãe do Seu Filho. Com certeza ela era uma jovem pura, e fez por merecer. Não é qualquer uma que obtém de Deus a Graça para gerar o Seu Filho, e carregar dentro de si, no seu próprio ventre, um ser Iluminado e cheio do Espírito Santo. Assim Deus nos mostra a importância das famílias.</p>
<p>José ( do Egito) amou a sua família apesar deles serem maus, violentos, perversos, e traidores. </p>
<p>Tenham todos um maravilhoso e abençoado dia, e aproveitem-no para usufruí-lo com a sua família. Se há algo pendente, a hora é agora... Um grande beijo em vossos corações, na Graça e Paz do Altíssimo. Nos encontraremos amanhã, no livro do êxodo.<br />
Austri Junior - Teólogo<br />
***</p>
<p>Leia os capítulos 48 - 50 do livro de Gênesis, construa as suas próprias conclusões e participe, nos ajudando a construir essa Página para que a mesma seja Lâmpada para os nossos pés, corações e mentes.

Bom Dia!
Reflexão do Dia:
A nossa reflexão de hoje está nos capítulos 46 e 47 do livro de Gênesis.POLÍTICAS DURAS ESCRAVIZAM O POVO

A família de Jacó era setenta pessoas 9sem conta as noras), quando estabeleceram-se no Egito (conf. Gn 46:26). A partir daí, eles vão se multiplicar consideravelmente (conf. Gn 47:27). Isso é algo para ser observado, pois devido a dois fatores, os mesmo se tornarão escravos no Egito, mais tarde: o fator motivo é a quantidade da gente que descende de Israel, o próximo Faraó ficará com medo de que os hebreus venham se rebelar contra o Egito, juntando-se aos seus inimigos, e o segundo fator é o preconceito, “pois os egípcios detestam todos os pastores” (Gn 46:34c). Isso com certeza irá fomentar a política de dominação do próximo Faraó, como veremos no livro do Êxodo.

Mas antes de se tornarem escravos no Egito os hebreus desfrutaram do melhor que aquela terra tinha para lhes oferecer: “E José fez habitar a seu pai e seus irmãos e deu-lhes possessão na terra do Egito, no melhor da terra, na terra de Ramessés, como Faraó ordenara” (Gênesis 47:11), e foram sustentados por José, enquanto o próprio povo Egípcio teve que vender os seu rebanho e os seus terrenos, e até mesmo tornarem-se escravos do Faraó em troca de alimentos pois essa foi a política agrária estabelecida por José, para que o povo egípcio pudesse saciar a sua fome: “Então disse José ao povo: Eis que hoje tenho comprado a vós e a vossa terra para Faraó; eis aí tendes semente para vós, para que semeeis a terra. Há de ser, porém, que das colheitas dareis o quinto a Faraó, e as quatro partes serão vossas, para semente do campo, e para o vosso mantimento, e dos que estão nas vossas casas, e para que comam vossos filhos. E disseram: A vida nos tens dado; achemos graça aos olhos de meu senhor, e seremos servos de Faraó. José, pois, estabeleceu isto por estatuto, até ao dia de hoje, sobre a terra do Egito, que Faraó tirasse o quinto; só a terra dos sacerdotes não ficou sendo de Faraó”
(Gênesis 47:23-26).

Esses dois textos, Gênesis capítulo 46 e 47, são muito claros e objetivos, e mostram o que os governantes e os seus ministros estão dispostos a fazerem para perpetuar-se no poder. hoje não é diferente. Esse é um ano de eleições no Brasil. O pais está se revelando um caldeirão fervilhando com quebradeiras, badernas, falta de respeito, violência…, nas ruas, e estão chamando a isso de “protesto”. As pessoas de bom senso chamam isso de “DESORDEM”. Precisamos protestar sim, entretanto pacífica e ordeiramente, e essa insatisfação e indignação que todos nós brasileiros estamos sentindo, devem ser manifestadas principalmente nas urnas. Enquanto cristãos, e enquanto cidadãos de bem e do bem, não podemos nos omitir, e dizer que não devemos misturar a bíblia ou a religião com política. Essa mentalidade é retrógrada, arcaica, alienada e extremamente ultrapassada. Jesus lutou contra o dominadores e exploradores do povo, eram eles os romanos. Outrossim: porque então o “povo de Deus” vota em pastores e em “evangélicos”. E boa parte desses “evangélicos” quando chegam lá mostram toda a sua sordidez e corrupção, favorecendo os seus e os seus interesses. Se somos mesmo povo de Deus, precisamos retirá-los de lá e não eleger outros iguais a eles. O povo de Deus não é perfeito, mas precisa esforçar-se ao máximo.

Tenham todos um abençoado e maravilhoso dia!
Austri Junior – Teólogo
***

Leia os capítulos 46 e 47 do livro de Gênesis e construa a suas próprias conclusões e nos ajude a refletir e construir novas interpretações. Participe comentando, criticando, sugerindo…

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:<br />
A nossa reflexão de hoje está nos capítulos 46 e 47 do livro de Gênesis.</p>
<p>POLÍTICAS DURAS ESCRAVIZAM O POVO</p>
<p>A família de Jacó era setenta pessoas 9sem conta as noras), quando estabeleceram-se no Egito (conf. Gn 46:26). A partir daí, eles vão se multiplicar consideravelmente (conf. Gn 47:27). Isso é algo para ser observado, pois devido a dois fatores, os mesmo se tornarão escravos no Egito, mais tarde: o fator motivo é a quantidade da gente que descende de Israel, o próximo Faraó ficará com medo de que os hebreus venham se rebelar contra o Egito, juntando-se aos seus inimigos, e o segundo fator é o preconceito, "pois os egípcios detestam todos os pastores" (Gn 46:34c). Isso com certeza irá fomentar a política de dominação do próximo Faraó, como veremos no livro do Êxodo. </p>
<p>Mas antes de se tornarem escravos no Egito os hebreus desfrutaram do melhor que aquela terra tinha para lhes oferecer: "E José fez habitar a seu pai e seus irmãos e deu-lhes possessão na terra do Egito, no melhor da terra, na terra de Ramessés, como Faraó ordenara" (Gênesis 47:11), e foram sustentados por José, enquanto o próprio povo Egípcio teve que vender os seu rebanho e os seus terrenos, e até mesmo tornarem-se escravos do Faraó em troca de alimentos pois essa foi a política agrária estabelecida por José, para que o povo egípcio  pudesse saciar a sua fome: "Então disse José ao povo: Eis que hoje tenho comprado a vós e a vossa terra para Faraó; eis aí tendes semente para vós, para que semeeis a terra. Há de ser, porém, que das colheitas dareis o quinto a Faraó, e as quatro partes serão vossas, para semente do campo, e para o vosso mantimento, e dos que estão nas vossas casas, e para que comam vossos filhos. E disseram: A vida nos tens dado; achemos graça aos olhos de meu senhor, e seremos servos de Faraó. José, pois, estabeleceu isto por estatuto, até ao dia de hoje, sobre a terra do Egito, que Faraó tirasse o quinto; só a terra dos sacerdotes não ficou sendo de Faraó"<br />
(Gênesis 47:23-26).</p>
<p>Esses dois textos, Gênesis capítulo 46 e 47,  são muito claros e objetivos, e mostram o que os governantes e os seus ministros estão dispostos a fazerem para perpetuar-se no poder. hoje não é diferente. Esse é um ano de eleições no Brasil. O pais está se revelando um caldeirão fervilhando com quebradeiras, badernas, falta de respeito, violência..., nas ruas, e estão chamando a isso de "protesto". As pessoas de bom senso chamam isso de "DESORDEM". Precisamos protestar sim, entretanto pacífica e ordeiramente, e essa insatisfação e indignação que todos nós brasileiros estamos sentindo, devem ser manifestadas principalmente nas urnas. Enquanto cristãos, e enquanto cidadãos de bem e do bem, não podemos nos omitir, e dizer que não devemos misturar a  bíblia ou a religião com política. Essa mentalidade é retrógrada, arcaica, alienada e extremamente ultrapassada. Jesus lutou contra o dominadores e  exploradores do povo, eram eles os romanos. Outrossim: porque então o "povo de Deus" vota em pastores e em "evangélicos". E boa parte desses "evangélicos" quando chegam lá mostram toda a sua sordidez e corrupção, favorecendo os seus e os seus interesses. Se somos mesmo povo de Deus, precisamos retirá-los de lá e não eleger outros iguais a eles. O povo de Deus não é perfeito, mas precisa esforçar-se ao máximo.</p>
<p>Tenham todos um abençoado e maravilhoso dia!<br />
Austri Junior - Teólogo<br />
***</p>
<p>Leia os capítulos 46 e 47 do livro de Gênesis e construa a suas próprias conclusões e nos ajude a refletir e construir novas interpretações. Participe comentando, criticando, sugerindo...
Bom Dia!
Reflexão do Dia:
A nossa reflexão de hoje encontra nos capítulos 42 à 45 do livro de Gênesis.JOSÉ PERDOA OS SEUS IRMÃOS
Sei que todos os que conhecem a Bíblia conhecem muito bem a história de José, mas o objetivo principal da Página A Lâmpada é trazer novas reflexões à todos os cristãos e alcançar aqueles que não conhecem a Bíblia, através das pessoas que a conhecem.

Recapitulando a história de José:
José tinha 17 anos quando foi vendido aos Midianitas pelas mãos dos seus irmãos, e levado para o Egito, onde ganhou a confiança de Potifar e depois a perdeu por causa da mentira que a esposa de Potifar espalhou sobre que José havia tentado agarrá-la. José então foi, então injustiçado e preso. Durante o tempo em que que esteve na prisão, José tinha a confiança do carcereiro e toma conta dos negócios da prisão, assim como tomava conta dos negócios de de Potifar. Após revelar os sonhos do Faraó, de que haveria grande fome na terra, o Faraó o colocou como Ministro de toda a terra do Egito.

Do capítulo 42 ao capítulo 45, vemos a fome alastrando-se por toda aquela região, chegando até a terra de Canaã, onde se encontrava Jacó e toda a sua família. “Vendo então Jacó que havia mantimento no Egito, disse a seus filhos: Por que estais olhando uns para os outros? Disse mais: Eis que tenho ouvido que há mantimentos no Egito; descei para lá, e comprai-nos dali, para que vivamos e não morramos. Então desceram os dez irmãos de José, para comprarem trigo no Egito. A Benjamim, porém, irmão de José, não enviou Jacó com os seus irmãos, porque dizia: Para que lhe não suceda, porventura, algum desastre. Assim, entre os que iam lá foram os filhos de Israel para comprar, porque havia fome na terra de Canaã”
(Gênesis 42:1-5).

Os irmãos de José foram ao Egito e encontraram-se com ele, mas não o reconheceram, e José os colocou à prova, todo o tempo, causando-lhe aflições e angústias, ao ponto de eles refletirem sobre a maldade em seu corações e reconheceram a culpa que havia sobre os seus atos perversos, ao venderem o próprio irmão. Na realidade José não queria puni-los, estava apenas testando-os. Muito anos se passaram mas José não guardou nenhum tipo de rancor, mágoa, ódio, ou raiva. Mas LIBEROU O PERDÃO AOS SEUS IRMÃOS, pois é assim que devem agir os verdadeiros servos do Senhor.

Quando José exige-lhe que eles deixem Benjamin, o irmão mais novo para trás, a súplica de Judá diante de José é algo fantástico, pois aquele homem fala com o coração e toca ainda mais, o coração emocionado de José:
“Então José não se podia conter diante de todos os que estavam com ele; e clamou: Fazei sair daqui a todo o homem; e ninguém ficou com ele, quando José se deu a conhecer a seus irmãos. E levantou a sua voz com choro, de maneira que os egípcios o ouviam, e a casa de Faraó o ouviu. E disse José a seus irmãos: “Eu sou José; vive ainda meu pai? E seus irmãos não lhe puderam responder, porque estavam pasmados diante da sua face. E disse José a seus irmãos: Peço-vos, chegai-vos a mim. E chegaram-se; então disse ele: Eu sou José vosso irmão, a quem vendestes para o Egito. Agora, pois, não vos entristeçais, nem vos pese aos vossos olhos por me haverdes vendido para cá; porque para conservação da vida, Deus me enviou adiante de vós. Porque já houve dois anos de fome no meio da terra, e ainda restam cinco anos em que não haverá lavoura nem sega. Pelo que Deus me enviou adiante de vós, para conservar vossa sucessão na terra, e para guardar-vos em vida por um grande livramento. Assim não fostes vós que me enviastes para cá, senão Deus, que me tem posto por pai de Faraó, e por senhor de toda a sua casa, e como regente em toda a terra do Egito. Apressai-vos, e subi a meu pai, e dizei-lhe: Assim tem dito o teu filho José: Deus me tem posto por senhor em toda a terra do Egito; desce a mim, e não te demores; E habitarás na terra de Gósen, e estarás perto de mim, tu e os teus filhos, e os filhos dos teus filhos, e as tuas ovelhas, e as tuas vacas, e tudo o que tens. E ali te sustentarei, porque ainda haverá cinco anos de fome, para que não pereças de pobreza, tu e tua casa, e tudo o que tens. E eis que vossos olhos, e os olhos de meu irmão Benjamim, vêem que é minha boca que vos fala. E fazei saber a meu pai toda a minha glória no Egito, e tudo o que tendes visto, e apressai-vos a fazer descer meu pai para cá. E lançou-se ao pescoço de Benjamim seu irmão, e chorou; e Benjamim chorou também ao seu pescoço. E beijou a todos os seus irmãos, e chorou sobre eles; e depois seus irmãos falaram com ele” (Gênesis 45:1-150).

José estava emocionado porque em seu coração havia amor, pois se houvesse ódio, mágoa, rancor…, ele jamais teria perdoado os irmão, pelo contrário, teria aproveitado-se da fragilidade deles, e teria se vingado. José amava o pai, sentia falta da família, sentia saudades de casa. Sabia que se fizesse algo contra os irmão, desagradaria a Deus e machucaria o coração do seu pais. Mas o mais importante: Era da sua índole e do seu caráter, a bondade e o amor. Onde há amor, há perdão! (Gosto de bater nessa tecla, pois ela trás um som muito agradável aos meus ouvidos, e talvez forme uma canção aos ouvidos de quem não consegue amar e nem perdoar).

Assim sendo, com o coração cheio de amor, José foi capaz de compreender os planos e a vontade de Deus, e foi capaz de liberar o perdão que os irmão dele tanto precisavam para viver em paz e retirar dos ombros (da mente) aquele fardo tão horrível e pesado, que é a culpa. O perdão faz muito bem à quem o recebe, mas faz mais bem ainda, para quem perdoa.

Tenham um maravilhoso dia e uma semana abençoada na presença do Altíssimo, cheios do Amor de Deus, prontos para liberar e receber perdão.

Austri Junior – Teólogo
***
Abra a sua Bíblia e leia Gênesis, capítulos, 42, 43, 44, e 45. Reflita e construa as suas próprias conclusões.

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:<br />
A nossa reflexão de hoje encontra nos capítulos 42 à 45 do livro de Gênesis.</p>
<p>JOSÉ PERDOA OS SEUS IRMÃOS<br />
Sei que todos os que conhecem a Bíblia conhecem muito bem a história de José, mas o objetivo principal da Página A Lâmpada é trazer novas reflexões à todos os cristãos e alcançar aqueles que não conhecem a Bíblia, através das pessoas que a conhecem.</p>
<p>Recapitulando a história de José:<br />
José tinha 17 anos quando foi vendido aos Midianitas pelas mãos dos seus irmãos, e levado para o Egito, onde ganhou a confiança de Potifar e depois a perdeu por causa da mentira que a esposa de Potifar espalhou sobre que José havia tentado agarrá-la. José então foi, então injustiçado e preso. Durante o tempo em que que esteve na prisão, José tinha a confiança do carcereiro e toma conta dos negócios da prisão, assim como tomava conta dos negócios de de Potifar. Após revelar os sonhos do Faraó, de que haveria grande fome na terra, o Faraó o colocou como Ministro de toda a terra do Egito.</p>
<p>Do capítulo 42 ao capítulo 45, vemos a fome alastrando-se por toda aquela região, chegando até a terra de Canaã, onde se encontrava Jacó e toda a sua família. "Vendo então Jacó que havia mantimento no Egito, disse a seus filhos: Por que estais olhando uns para os outros? Disse mais: Eis que tenho ouvido que há mantimentos no Egito; descei para lá, e comprai-nos dali, para que vivamos e não morramos. Então desceram os dez irmãos de José, para comprarem trigo no Egito. A Benjamim, porém, irmão de José, não enviou Jacó com os seus irmãos, porque dizia: Para que lhe não suceda, porventura, algum desastre. Assim, entre os que iam lá foram os filhos de Israel para comprar, porque havia fome na terra de Canaã"<br />
(Gênesis 42:1-5).</p>
<p>Os irmãos de José foram ao Egito e encontraram-se com ele, mas não o reconheceram, e José os colocou à prova, todo o tempo, causando-lhe aflições e angústias, ao ponto de eles refletirem sobre a maldade em seu corações e reconheceram a culpa que havia sobre os seus atos perversos, ao venderem o próprio irmão. Na realidade José não queria puni-los, estava apenas testando-os. Muito anos se passaram mas José não guardou nenhum tipo de rancor, mágoa, ódio, ou raiva. Mas LIBEROU O PERDÃO AOS SEUS IRMÃOS, pois é assim que devem agir os verdadeiros servos do Senhor.</p>
<p>Quando José exige-lhe que eles deixem Benjamin, o irmão mais novo para trás, a súplica de Judá diante de José é algo fantástico, pois aquele homem fala com o coração e toca ainda mais, o coração emocionado de José:<br />
"Então José não se podia conter diante de todos os que estavam com ele; e clamou: Fazei sair daqui a todo o homem; e ninguém ficou com ele, quando José se deu a conhecer a seus irmãos. E levantou a sua voz com choro, de maneira que os egípcios o ouviam, e a casa de Faraó o ouviu. E disse José a seus irmãos: "Eu sou José; vive ainda meu pai? E seus irmãos não lhe puderam responder, porque estavam pasmados diante da sua face. E disse José a seus irmãos: Peço-vos, chegai-vos a mim. E chegaram-se; então disse ele: Eu sou José vosso irmão, a quem vendestes para o Egito. Agora, pois, não vos entristeçais, nem vos pese aos vossos olhos por me haverdes vendido para cá; porque para conservação da vida, Deus me enviou adiante de vós. Porque já houve dois anos de fome no meio da terra, e ainda restam cinco anos em que não haverá lavoura nem sega. Pelo que Deus me enviou adiante de vós, para conservar vossa sucessão na terra, e para guardar-vos em vida por um grande livramento. Assim não fostes vós que me enviastes para cá, senão Deus, que me tem posto por pai de Faraó, e por senhor de toda a sua casa, e como regente em toda a terra do Egito. Apressai-vos, e subi a meu pai, e dizei-lhe: Assim tem dito o teu filho José: Deus me tem posto por senhor em toda a terra do Egito; desce a mim, e não te demores; E habitarás na terra de Gósen, e estarás perto de mim, tu e os teus filhos, e os filhos dos teus filhos, e as tuas ovelhas, e as tuas vacas, e tudo o que tens. E ali te sustentarei, porque ainda haverá cinco anos de fome, para que não pereças de pobreza, tu e tua casa, e tudo o que tens. E eis que vossos olhos, e os olhos de meu irmão Benjamim, vêem que é minha boca que vos fala. E fazei saber a meu pai toda a minha glória no Egito, e tudo o que tendes visto, e apressai-vos a fazer descer meu pai para cá. E lançou-se ao pescoço de Benjamim seu irmão, e chorou; e Benjamim chorou também ao seu pescoço. E beijou a todos os seus irmãos, e chorou sobre eles; e depois seus irmãos falaram com ele" (Gênesis 45:1-150).</p>
<p>José estava emocionado porque em seu coração havia amor, pois se houvesse ódio, mágoa, rancor..., ele jamais teria perdoado os irmão, pelo contrário, teria aproveitado-se da fragilidade deles, e teria se vingado. José amava o pai, sentia falta da família, sentia saudades de casa. Sabia que se fizesse algo contra os irmão, desagradaria a Deus e machucaria o coração do seu pais. Mas o mais importante: Era da sua índole e do seu caráter, a bondade e o amor. Onde há amor, há perdão! (Gosto de bater nessa tecla, pois ela trás um som muito agradável aos meus ouvidos, e talvez forme uma canção aos ouvidos de quem não consegue amar  e nem perdoar).</p>
<p>Assim sendo, com o coração cheio de amor, José foi capaz de compreender os planos e a vontade de Deus, e foi capaz de liberar o perdão que os irmão dele tanto precisavam para viver em paz e retirar dos ombros (da mente) aquele fardo tão horrível e pesado, que é a culpa. O perdão faz muito bem à quem o recebe, mas faz mais bem ainda, para quem perdoa. </p>
<p>Tenham um maravilhoso dia e uma semana abençoada na presença do Altíssimo, cheios do Amor de Deus, prontos para liberar e receber perdão.</p>
<p>Austri Junior - Teólogo<br />
***<br />
Abra a sua Bíblia e leia Gênesis, capítulos, 42, 43, 44, e 45. Reflita e construa as suas próprias conclusões.
Bom Dia
Reflexão DominicalA nossa Reflexão Dominical de hoje está em Mateus 6:33, e está contextualizada com o a Reflexão do Dia (logo abaixo):

BUSCAI PRIMEIRO O REINO DE DEUS E A SUA JUSTIÇA
Nada do que acontece em nossas vida é sem a permissão de Deus.
Às vezes nos amarguramos por demais, com os acontecimentos ruins em nossas vidas, sem entender o os propósitos do Senhor. Deus tem um propósito em tudo o que acontece em nossas vidas, e o que muita gente não entende é que o sofrimento nos faz crescer, amadurecer… Aprimora o discernimento, nos faz mais sábios. Há um dito popular que diz: “O sofrimento lapida a alma.”

As pessoas querem pular a parte do sofrimento e ir direto às bênçãos e à prosperidade. Hoje em dia, com a invasão das toscas pregações sobre prosperidade, poucas gentes buscam sinceramente o Abençoador, mas buscam em primeiro lugar as bênção. Mas a bíblia não ensina assim. A bíblia diz o contrário: “Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6:33).

Quando as pessoas de hoje pregam que José prosperou, nem sempre diz pelo que José passou, e quando dizem, prometem para a assembleia ouvinte, que se todos agirem como José, também vão prosperar. Alguns agem assim por ufanismo, outros por falta de conhecimento, outros por ingenuidade, outros por “esperteza’ para tomar dinheiro do ouvinte desavisado ou infantil na fé, e que está ali de coração aberto, pronto para meter a mão no bolso e doar generosamente.

Em primeiro lugar não deveríamos ir à igreja por causa de bênçãos financeiras, mas para adorar, louvar e glorificar o Criador. Devemos buscar misericórdia de Deus, os frutos do Espírito: “Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança” (Gálatas 5:22).
Devemos ir à igreja para nos redimir de nossos pecados, e buscar o Reino de Deus e a sua justiça (Mt 6:33).

Embora os predadores do Evangelho, aqueles que espalham a teoria da prosperidade não concordam com o que eu vou dizer agora, as pessoas que possuem profunda experiência com Deus sabem bem que há muitos que sofrem o tempo todo nessa vida e não ficam ricos como José ficou. Porque será? Os infames que pregam prosperidade vão dizer que é por falta de fé, ou que a pessoa está em pecado. Vou dar apenas um exemplo, para não me alongar por demais: “E disse Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça” (Mateus 8:20 – Lucas 9:58).

ALGUÉM AQUI PENSA QUE JESUS CRISTO NÃO TINHA FÉ OU ESTAVA EM PECADO?
Será que Jesus era pobre e não prosperou porque bebia, e por isso estava em pecado? Pensem bem, antes de dar ouvidos à pregações que lhes imporão um fardo pesado que nem os próprios que pregam, conseguirão carregar. À quem temos que dar ouvidos? Aos hipócritas ou ao Senhor? “E ele lhe disse: Ai de vós também, doutores da lei, que carregais os homens com cargas difíceis de transportar, e vós mesmos nem ainda com um dos vossos dedos tocais essas cargas” (Lucas 11:46).

Amadas e amados do Altíssimo, há muitos que distorcem o foco do Evangelho. É necessário que estejamos com as nossas lentes limpas para detectarmos pregações “embaçadas”. Pensemos nisso!

Deus nos abençoe e nos guarde debaixo do Teu Poder, livrando-nos dos maus, amém!

Tenham um domingo abençoado, e cheio da Paz do Senhor Jesus. Ótima semana para todos. O Senhor seja contigo e com a tua casa.

Austri Junior – Teólogo

Foto: Bom Dia<br />
Reflexão Dominical</p>
<p>A nossa Reflexão Dominical de hoje está em Mateus 6:33, e está  contextualizada com o a Reflexão do Dia (logo abaixo): </p>
<p>BUSCAI PRIMEIRO O REINO DE DEUS E A SUA JUSTIÇA<br />
Nada do que acontece em nossas vida é sem a permissão de Deus.<br />
Às vezes nos amarguramos por demais, com os acontecimentos ruins em nossas vidas, sem entender o os propósitos do Senhor. Deus tem um propósito em tudo o que acontece em nossas vidas, e o que muita gente não entende é que o sofrimento nos faz crescer, amadurecer... Aprimora o discernimento, nos faz mais sábios. Há um dito popular que diz: "O sofrimento lapida a alma."</p>
<p>As pessoas querem pular a parte do sofrimento e ir direto às bênçãos e à prosperidade. Hoje em dia, com a invasão das toscas pregações sobre prosperidade, poucas gentes buscam sinceramente o Abençoador, mas buscam em primeiro lugar as bênção. Mas a bíblia não ensina assim. A bíblia diz o contrário: "Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas"  (Mateus 6:33).</p>
<p>Quando as pessoas de hoje pregam que José prosperou, nem sempre diz pelo que José passou, e quando dizem, prometem para a assembleia ouvinte, que se todos agirem como José, também vão prosperar. Alguns agem assim por ufanismo, outros por falta de conhecimento, outros por ingenuidade, outros por "esperteza' para tomar dinheiro do ouvinte desavisado ou infantil na fé, e que está ali de coração aberto, pronto para meter a mão no bolso e doar generosamente.</p>
<p>Em primeiro lugar não deveríamos ir à igreja por causa de bênçãos financeiras, mas para adorar, louvar e glorificar o Criador. Devemos buscar misericórdia de Deus, os frutos do Espírito: "Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança" (Gálatas 5:22).<br />
Devemos ir à igreja para nos redimir de nossos pecados, e buscar o Reino de Deus e a sua justiça (Mt 6:33). </p>
<p>Embora os predadores do Evangelho, aqueles que espalham a teoria da prosperidade não concordam com o que eu vou dizer agora, as pessoas que possuem profunda experiência com Deus sabem bem que há muitos que sofrem o tempo todo nessa vida e não ficam ricos como José ficou. Porque será? Os infames que pregam prosperidade vão dizer que é por falta de fé, ou que a pessoa está em pecado. Vou dar apenas um exemplo, para não me alongar por demais: "E disse Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça" (Mateus 8:20 - Lucas 9:58).</p>
<p>ALGUÉM AQUI PENSA QUE JESUS CRISTO NÃO TINHA FÉ OU ESTAVA EM PECADO?<br />
Será que Jesus era pobre e não prosperou porque bebia, e por isso estava em pecado? Pensem bem, antes de dar ouvidos à pregações que lhes imporão um fardo pesado que nem os próprios que pregam, conseguirão carregar. À quem temos que dar ouvidos? Aos hipócritas ou ao Senhor? "E ele lhe disse: Ai de vós também, doutores da lei, que carregais os homens com cargas difíceis de transportar, e vós mesmos nem ainda com um dos vossos dedos tocais essas cargas" (Lucas 11:46).</p>
<p>Amadas e amados do Altíssimo, há muitos que distorcem o foco do Evangelho. É necessário que estejamos com as nossas lentes limpas para detectarmos pregações "embaçadas". Pensemos nisso!</p>
<p>Deus nos abençoe e nos guarde debaixo do Teu Poder, livrando-nos dos maus, amém!</p>
<p>Tenham um domingo abençoado, e cheio da Paz do Senhor Jesus. Ótima semana para todos. O Senhor seja contigo e com a tua casa.</p>
<p>Austri Junior - Teólogo
Bom Dia!
Reflexão do Dia:
A nossa reflexão de hoje está no capítulo 41 do livro de Gênesis.DEUS HONRA OS SEUS FILHOS

JUSTIÇA! Essa é a palavra chave no capítulo 41 do livro de Genesis, e não, COBIÇA!

Deus fez justiça à José:
“Pela manhã, o Faraó estava perturbado e chamou todos os magos e sábios do Egito. Contou-lhes o sonho que tivera, mas ninguém foi capaz de interpretá-lo” (Gn 41:8).
Porque o Faraó estava perturbado? Por causa do sonho que tivera durante a noite. E porque ninguém foi capaz de interpretar os sonhos do Faraó? Simplesmente porque “Não são de Deus as interpretações?” (Gn 40:8).

José sendo fiel à Deus, e sabendo que é o Senhor que realiza tudo em todos, “respondeu ao Faraó: Quem sou eu? É Deus quem dará uma resposta favorável ao Faraó” (Gn 41:16).

José não enganou ninguém, não fez nada por si, e o que fez foi através do poder de Deus e para a honra e a Glória do Nome do Senhor É o Senhor que deve ser Glorificado através dos nossos atos. Assim sendo, “Então o Faraó disse a José: Visto que Deus revelou tudo isso a você, não há ninguém tão inteligente e sábio como você. Você será o administrador do meu palácio, e todo o povo obedecerá às suas ordens. Só pelo trono serei maior do que você. E o Faraó continuou: Veja! Eu coloco você à frente de todo o país. Então o Faraó tirou da mão o anel de selo e o colocou na mão de José: vestiu-o com roupas de linho fino e lhe colocou no pescoço um colar de ouro. Depois, fez José subir sobre o melhor carro que havia depois do seu, e proclamar à sua frente: De joelhos! E assim José foi colocado à frente de todo o Egito (Gn 41:39-43).

Portanto, amadas e amados do Senhor: Antes de corrermos atrás das bênção, da prosperidade, de intérpretes de sonhos, das “profetadas” e das “profeteiras e profeteiros” de plantão, lembremo-nos do que disse Jesus: “Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6:33).

Tenham um domingo abençoado na presença do Altíssimo e junto com a sua família. O Senhor abençoe e guarde a todos, e vos encha com o Teu Santo Espírito, amém!

Austri JuniorTeólogo

LEIA O CAPÍTULO 41 POR INTEIRO, REFLITA E CONSTRUA AS SUAS PRÓPRIAS CONCLUSÕES:
Gênesis 41:1-57
E aconteceu que, ao fim de dois anos inteiros, Faraó sonhou, e eis que estava em pé junto ao rio.
E eis que subiam do rio sete vacas, formosas à vista e gordas de carne, e pastavam no prado.
E eis que subiam do rio após elas outras sete vacas, feias à vista e magras de carne; e paravam junto às outras vacas na praia do rio.
E as vacas feias à vista e magras de carne, comiam as sete vacas formosas à vista e gordas. Então acordou Faraó.
Depois dormiu e sonhou outra vez, e eis que brotavam de um mesmo pé sete espigas cheias e boas.
E eis que sete espigas miúdas, e queimadas do vento oriental, brotavam após elas.
E as espigas miúdas devoravam as sete espigas grandes e cheias. Então acordou Faraó, e eis que era um sonho.
E aconteceu que pela manhã o seu espírito perturbou-se, e enviou e chamou todos os adivinhadores do Egito, e todos os seus sábios; e Faraó contou-lhes os seus sonhos, mas ninguém havia que lhos interpretasse.
Então falou o copeiro-mor a Faraó, dizendo: Das minhas ofensas me lembro hoje:
Estando Faraó muito indignado contra os seus servos, e pondo-me sob prisão na casa do capitão da guarda, a mim e ao padeiro-mor,
Então tivemos um sonho na mesma noite, eu e ele; sonhamos, cada um conforme a interpretação do seu sonho.
E estava ali conosco um jovem hebreu, servo do capitão da guarda, e contamos-lhe os nossos sonhos e ele no-los interpretou, a cada um conforme o seu sonho.
E como ele nos interpretou, assim aconteceu; a mim me foi restituído o meu cargo, e ele foi enforcado.
Então mandou Faraó chamar a José, e o fizeram sair logo do cárcere; e barbeou-se e mudou as suas roupas e apresentou-se a Faraó.
E Faraó disse a José: Eu tive um sonho, e ninguém há que o interprete; mas de ti ouvi dizer que quando ouves um sonho o interpretas.
E respondeu José a Faraó, dizendo: Isso não está em mim; Deus dará resposta de paz a Faraó.
Então disse Faraó a José: Eis que em meu sonho estava eu em pé na margem do rio,
E eis que subiam do rio sete vacas gordas de carne e formosas à vista, e pastavam no prado.
E eis que outras sete vacas subiam após estas, muito feias à vista e magras de carne; não tenho visto outras tais, quanto à fealdade, em toda a terra do Egito.
E as vacas magras e feias comiam as primeiras sete vacas gordas;
E entravam em suas entranhas, mas não se conhecia que houvessem entrado; porque o seu parecer era feio como no princípio. Então acordei.
Depois vi em meu sonho, e eis que de um mesmo pé subiam sete espigas cheias e boas;
E eis que sete espigas secas, miúdas e queimadas do vento oriental, brotavam após elas.
E as sete espigas miúdas devoravam as sete espigas boas. E eu contei isso aos magos, mas ninguém houve que mo interpretasse.
Então disse José a Faraó: O sonho de Faraó é um só; o que Deus há de fazer, mostrou-o a Faraó.
As sete vacas formosas são sete anos, as sete espigas formosas também são sete anos, o sonho é um só.
E as sete vacas feias à vista e magras, que subiam depois delas, são sete anos, e as sete espigas miúdas e queimadas do vento oriental, serão sete anos de fome.
Esta é a palavra que tenho dito a Faraó; o que Deus há de fazer, mostrou-o a Faraó.
E eis que vêm sete anos, e haverá grande fartura em toda a terra do Egito.
E depois deles levantar-se-ão sete anos de fome, e toda aquela fartura será esquecida na terra do Egito, e a fome consumirá a terra;
E não será conhecida a abundância na terra, por causa daquela fome que haverá depois; porquanto será gravíssima.
E que o sonho foi repetido duas vezes a Faraó, é porque esta coisa é determinada por Deus, e Deus se apressa em fazê-la.
Portanto, Faraó previna-se agora de um homem entendido e sábio, e o ponha sobre a terra do Egito.
Faça isso Faraó e ponha governadores sobre a terra, e tome a quinta parte da terra do Egito nos sete anos de fartura,
E ajuntem toda a comida destes bons anos, que vêm, e amontoem o trigo debaixo da mão de Faraó, para mantimento nas cidades, e o guardem.
Assim será o mantimento para provimento da terra, para os sete anos de fome, que haverá na terra do Egito; para que a terra não pereça de fome.
E esta palavra foi boa aos olhos de Faraó, e aos olhos de todos os seus servos.
E disse Faraó a seus servos: Acharíamos um homem como este em quem haja o espírito de Deus?
Depois disse Faraó a José: Pois que Deus te fez saber tudo isto, ninguém há tão entendido e sábio como tu.
Tu estarás sobre a minha casa, e por tua boca se governará todo o meu povo, somente no trono eu serei maior que tu.
Disse mais Faraó a José: Vês aqui te tenho posto sobre toda a terra do Egito.
E tirou Faraó o anel da sua mão, e o pôs na mão de José, e o fez vestir de roupas de linho fino, e pôs um colar de ouro no seu pescoço.
E o fez subir no segundo carro que tinha, e clamavam diante dele: Ajoelhai. Assim o pôs sobre toda a terra do Egito.
E disse Faraó a José: Eu sou Faraó; porém sem ti ninguém levantará a sua mão ou o seu pé em toda a terra do Egito.
E Faraó chamou a José de Zafenate-Panéia, e deu-lhe por mulher a Azenate, filha de Potífera, sacerdote de Om; e saiu José por toda a terra do Egito.
E José era da idade de trinta anos quando se apresentou a Faraó, rei do Egito. E saiu José da presença de Faraó e passou por toda a terra do Egito.
E nos sete anos de fartura a terra produziu abundantemente.
E ele ajuntou todo o mantimento dos sete anos, que houve na terra do Egito; e guardou o mantimento nas cidades, pondo nas mesmas o mantimento do campo que estava ao redor de cada cidade.
Assim ajuntou José muitíssimo trigo, como a areia do mar, até que cessou de contar; porquanto não havia numeração.
E nasceram a José dois filhos (antes que viesse um ano de fome), que lhe deu Azenate, filha de Potífera, sacerdote de Om.
E chamou José ao primogênito Manassés, porque disse: Deus me fez esquecer de todo o meu trabalho, e de toda a casa de meu pai.
E ao segundo chamou Efraim; porque disse: Deus me fez crescer na terra da minha aflição.
Então acabaram-se os sete anos de fartura que havia na terra do Egito.
E começaram a vir os sete anos de fome, como José tinha dito; e havia fome em todas as terras, mas em toda a terra do Egito havia pão.
E tendo toda a terra do Egito fome, clamou o povo a Faraó por pão; e Faraó disse a todos os egípcios: Ide a José; o que ele vos disser, fazei.
Havendo, pois, fome sobre toda a terra, abriu José tudo em que havia mantimento, e vendeu aos egípcios; porque a fome prevaleceu na terra do Egito.
E de todas as terras vinham ao Egito, para comprar de José; porquanto a fome prevaleceu em todas as terras.

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:<br />
A nossa reflexão de hoje está no capítulo 41 do livro de Gênesis.</p>
<p>DEUS HONRA OS SEUS FILHOS</p>
<p>JUSTIÇA! Essa é a palavra chave no capítulo 41 do livro de Genesis, e não, COBIÇA!</p>
<p>Deus fez justiça à José:<br />
"Pela manhã, o Faraó estava perturbado e chamou todos os magos e sábios do Egito. Contou-lhes o sonho que tivera, mas ninguém foi capaz de interpretá-lo" (Gn 41:8).<br />
Porque o Faraó estava perturbado? Por causa do sonho que tivera durante a noite. E porque ninguém foi capaz de interpretar os sonhos do Faraó? Simplesmente porque  "Não são de Deus as interpretações?" (Gn 40:8).</p>
<p>José sendo fiel à Deus, e sabendo que é o Senhor que realiza tudo em todos, "respondeu ao Faraó: Quem sou eu? É Deus quem dará uma resposta favorável ao Faraó" (Gn 41:16). </p>
<p>José não enganou ninguém, não fez nada por si, e o que fez foi através do poder de Deus e para a honra e a Glória do Nome do Senhor É o Senhor que deve ser Glorificado através dos nossos atos. Assim sendo, "Então o Faraó disse a José: Visto que Deus revelou tudo isso a você, não há ninguém tão inteligente e sábio como você.  Você será o administrador do meu palácio, e todo o povo obedecerá às suas ordens. Só pelo trono serei maior do que você. E o Faraó continuou: Veja! Eu coloco você à frente de todo o país. Então o Faraó tirou da mão o anel de selo e o colocou na mão de José: vestiu-o com roupas de linho fino e lhe colocou no pescoço um colar de ouro. Depois, fez José subir sobre o melhor carro que havia depois do seu, e proclamar à sua frente: De joelhos! E assim José foi colocado à frente de todo o Egito (Gn 41:39-43).</p>
<p>Portanto, amadas e amados do Senhor: Antes de corrermos atrás das bênção, da prosperidade, de intérpretes de sonhos, das "profetadas" e das "profeteiras e profeteiros" de plantão, lembremo-nos do que disse Jesus: "Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas" (Mateus 6:33).</p>
<p>Tenham um domingo abençoado na presença do Altíssimo e junto com a sua família. O Senhor abençoe e guarde a todos, e vos encha com o Teu Santo Espírito, amém!</p>
<p>Austri Junior - Teólogo</p>
<p> LEIA O CAPÍTULO 41 POR INTEIRO, REFLITA E CONSTRUA AS SUAS PRÓPRIAS CONCLUSÕES:<br />
Gênesis 41:1-57<br />
E aconteceu que, ao fim de dois anos inteiros, Faraó sonhou, e eis que estava em pé junto ao rio.<br />
E eis que subiam do rio sete vacas, formosas à vista e gordas de carne, e pastavam no prado.<br />
E eis que subiam do rio após elas outras sete vacas, feias à vista e magras de carne; e paravam junto às outras vacas na praia do rio.<br />
E as vacas feias à vista e magras de carne, comiam as sete vacas formosas à vista e gordas. Então acordou Faraó.<br />
Depois dormiu e sonhou outra vez, e eis que brotavam de um mesmo pé sete espigas cheias e boas.<br />
E eis que sete espigas miúdas, e queimadas do vento oriental, brotavam após elas.<br />
E as espigas miúdas devoravam as sete espigas grandes e cheias. Então acordou Faraó, e eis que era um sonho.<br />
E aconteceu que pela manhã o seu espírito perturbou-se, e enviou e chamou todos os adivinhadores do Egito, e todos os seus sábios; e Faraó contou-lhes os seus sonhos, mas ninguém havia que lhos interpretasse.<br />
Então falou o copeiro-mor a Faraó, dizendo: Das minhas ofensas me lembro hoje:<br />
Estando Faraó muito indignado contra os seus servos, e pondo-me sob prisão na casa do capitão da guarda, a mim e ao padeiro-mor,<br />
Então tivemos um sonho na mesma noite, eu e ele; sonhamos, cada um conforme a interpretação do seu sonho.<br />
E estava ali conosco um jovem hebreu, servo do capitão da guarda, e contamos-lhe os nossos sonhos e ele no-los interpretou, a cada um conforme o seu sonho.<br />
E como ele nos interpretou, assim aconteceu; a mim me foi restituído o meu cargo, e ele foi enforcado.<br />
Então mandou Faraó chamar a José, e o fizeram sair logo do cárcere; e barbeou-se e mudou as suas roupas e apresentou-se a Faraó.<br />
E Faraó disse a José: Eu tive um sonho, e ninguém há que o interprete; mas de ti ouvi dizer que quando ouves um sonho o interpretas.<br />
E respondeu José a Faraó, dizendo: Isso não está em mim; Deus dará resposta de paz a Faraó.<br />
Então disse Faraó a José: Eis que em meu sonho estava eu em pé na margem do rio,<br />
E eis que subiam do rio sete vacas gordas de carne e formosas à vista, e pastavam no prado.<br />
E eis que outras sete vacas subiam após estas, muito feias à vista e magras de carne; não tenho visto outras tais, quanto à fealdade, em toda a terra do Egito.<br />
E as vacas magras e feias comiam as primeiras sete vacas gordas;<br />
E entravam em suas entranhas, mas não se conhecia que houvessem entrado; porque o seu parecer era feio como no princípio. Então acordei.<br />
Depois vi em meu sonho, e eis que de um mesmo pé subiam sete espigas cheias e boas;<br />
E eis que sete espigas secas, miúdas e queimadas do vento oriental, brotavam após elas.<br />
E as sete espigas miúdas devoravam as sete espigas boas. E eu contei isso aos magos, mas ninguém houve que mo interpretasse.<br />
Então disse José a Faraó: O sonho de Faraó é um só; o que Deus há de fazer, mostrou-o a Faraó.<br />
As sete vacas formosas são sete anos, as sete espigas formosas também são sete anos, o sonho é um só.<br />
E as sete vacas feias à vista e magras, que subiam depois delas, são sete anos, e as sete espigas miúdas e queimadas do vento oriental, serão sete anos de fome.<br />
Esta é a palavra que tenho dito a Faraó; o que Deus há de fazer, mostrou-o a Faraó.<br />
E eis que vêm sete anos, e haverá grande fartura em toda a terra do Egito.<br />
E depois deles levantar-se-ão sete anos de fome, e toda aquela fartura será esquecida na terra do Egito, e a fome consumirá a terra;<br />
E não será conhecida a abundância na terra, por causa daquela fome que haverá depois; porquanto será gravíssima.<br />
E que o sonho foi repetido duas vezes a Faraó, é porque esta coisa é determinada por Deus, e Deus se apressa em fazê-la.<br />
Portanto, Faraó previna-se agora de um homem entendido e sábio, e o ponha sobre a terra do Egito.<br />
Faça isso Faraó e ponha governadores sobre a terra, e tome a quinta parte da terra do Egito nos sete anos de fartura,<br />
E ajuntem toda a comida destes bons anos, que vêm, e amontoem o trigo debaixo da mão de Faraó, para mantimento nas cidades, e o guardem.<br />
Assim será o mantimento para provimento da terra, para os sete anos de fome, que haverá na terra do Egito; para que a terra não pereça de fome.<br />
E esta palavra foi boa aos olhos de Faraó, e aos olhos de todos os seus servos.<br />
E disse Faraó a seus servos: Acharíamos um homem como este em quem haja o espírito de Deus?<br />
Depois disse Faraó a José: Pois que Deus te fez saber tudo isto, ninguém há tão entendido e sábio como tu.<br />
Tu estarás sobre a minha casa, e por tua boca se governará todo o meu povo, somente no trono eu serei maior que tu.<br />
Disse mais Faraó a José: Vês aqui te tenho posto sobre toda a terra do Egito.<br />
E tirou Faraó o anel da sua mão, e o pôs na mão de José, e o fez vestir de roupas de linho fino, e pôs um colar de ouro no seu pescoço.<br />
E o fez subir no segundo carro que tinha, e clamavam diante dele: Ajoelhai. Assim o pôs sobre toda a terra do Egito.<br />
E disse Faraó a José: Eu sou Faraó; porém sem ti ninguém levantará a sua mão ou o seu pé em toda a terra do Egito.<br />
E Faraó chamou a José de Zafenate-Panéia, e deu-lhe por mulher a Azenate, filha de Potífera, sacerdote de Om; e saiu José por toda a terra do Egito.<br />
E José era da idade de trinta anos quando se apresentou a Faraó, rei do Egito. E saiu José da presença de Faraó e passou por toda a terra do Egito.<br />
E nos sete anos de fartura a terra produziu abundantemente.<br />
E ele ajuntou todo o mantimento dos sete anos, que houve na terra do Egito; e guardou o mantimento nas cidades, pondo nas mesmas o mantimento do campo que estava ao redor de cada cidade.<br />
Assim ajuntou José muitíssimo trigo, como a areia do mar, até que cessou de contar; porquanto não havia numeração.<br />
E nasceram a José dois filhos (antes que viesse um ano de fome), que lhe deu Azenate, filha de Potífera, sacerdote de Om.<br />
E chamou José ao primogênito Manassés, porque disse: Deus me fez esquecer de todo o meu trabalho, e de toda a casa de meu pai.<br />
E ao segundo chamou Efraim; porque disse: Deus me fez crescer na terra da minha aflição.<br />
Então acabaram-se os sete anos de fartura que havia na terra do Egito.<br />
E começaram a vir os sete anos de fome, como José tinha dito; e havia fome em todas as terras, mas em toda a terra do Egito havia pão.<br />
E tendo toda a terra do Egito fome, clamou o povo a Faraó por pão; e Faraó disse a todos os egípcios: Ide a José; o que ele vos disser, fazei.<br />
Havendo, pois, fome sobre toda a terra, abriu José tudo em que havia mantimento, e vendeu aos egípcios; porque a fome prevaleceu na terra do Egito.<br />
E de todas as terras vinham ao Egito, para comprar de José; porquanto a fome prevaleceu em todas as terras.

Bom Dia!
Reflexão do Dia:
Nossa reflexão hoje encontra-se no capítulo 40 do livro de Gênesis. É uma pequena, mas requer de nós uma mente aberta para entender.Quando José estava preso teve a oportunidade de “interpretar” os sonhos do padeiro e do copeiro do Faraó. Mas aqui está a grande chave da questão: “E José disse-lhes: Não são de Deus as interpretações?” (v. 8b)

O que vemos hoje, é uma enxurrada de “interpretes” de sonhos, interpretando sonhos, cujas interpretações não se realizam. São verdadeiros “profeiteiros” de plantão dando “profetadas” e assustando as pessoas, se exaltando e se auto glorificando, entre outras coisas.

Não somos nós que fazemos nada. Quem faz tudo é Deus: “Não são de Deus as interpretações?” (v. 8b).

Lembremo-nos: Tudo quanto fizermos, só o fazemos porque é pela Graça do Senhor. Graça é favor imerecido. Outra coisa para nos lembrarmos é que tudo quanto fizermos, que seja para a Honra e a Glória do Nome d’Ele.

Tenham um fim de semana abençoado na presença do Senhor, e aproveitem o fim de semana coma a sua família. Que a Glória do Pai, a Graça do Filho e o poder do Santo Espírito sejam convosco, amém.

Austri Junior – Teólogo

LEIA O CAPÍTULO 40 POR INTEIRO E CONSTRUA AS SUAS PRÓPRIAS CONCLUSÕES:

Gênesis 40:1-23
E aconteceu, depois destas coisas, que o copeiro do rei do Egito, e o seu padeiro, ofenderam o seu senhor, o rei do Egito.
E indignou-se Faraó muito contra os seus dois oficiais, contra o copeiro-mor e contra o padeiro-mor.
E entregou-os à prisão, na casa do capitão da guarda, na casa do cárcere, no lugar onde José estava preso.
E o capitão da guarda pô-los a cargo de José, para que os servisse; e estiveram muitos dias na prisão.
E ambos tiveram um sonho, cada um seu sonho, na mesma noite, cada um conforme a interpretação do seu sonho, o copeiro e o padeiro do rei do Egito, que estavam presos na casa do cárcere.
E veio José a eles pela manhã, e olhou para eles, e viu que estavam perturbados.
Então perguntou aos oficiais de Faraó, que com ele estavam no cárcere da casa de seu senhor, dizendo: Por que estão hoje tristes os vossos semblantes?
E eles lhe disseram: Tivemos um sonho, e ninguém há que o interprete. E José disse-lhes: Não são de Deus as interpretações? Contai-mo, peço-vos.
Então contou o copeiro-mor o seu sonho a José, e disse-lhe: Eis que em meu sonho havia uma vide diante da minha face.
E na vide três sarmentos, e brotando ela, a sua flor saía, e os seus cachos amadureciam em uvas;
E o copo de Faraó estava na minha mão, e eu tomava as uvas, e as espremia no copo de Faraó, e dava o copo na mão de Faraó.
Então disse-lhe José: Esta é a sua interpretação: Os três sarmentos são três dias;
Dentro ainda de três dias Faraó levantará a tua cabeça, e te restaurará ao teu estado, e darás o copo de Faraó na sua mão, conforme o costume antigo, quando eras seu copeiro.
Porém lembra-te de mim, quando te for bem; e rogo-te que uses comigo de compaixão, e que faças menção de mim a Faraó, e faze-me sair desta casa;
Porque, de fato, fui roubado da terra dos hebreus; e tampouco aqui nada tenho feito para que me pusessem nesta cova.
Vendo então o padeiro-mor que tinha interpretado bem, disse a José: Eu também sonhei, e eis que três cestos brancos estavam sobre a minha cabeça;
E no cesto mais alto havia de todos os manjares de Faraó, obra de padeiro; e as aves o comiam do cesto, de sobre a minha cabeça.
Então respondeu José, e disse: Esta é a sua interpretação: Os três cestos são três dias;
Dentro ainda de três dias Faraó tirará a tua cabeça e te pendurará num pau, e as aves comerão a tua carne de sobre ti.
E aconteceu ao terceiro dia, o dia do nascimento de Faraó, que fez um banquete a todos os seus servos; e levantou a cabeça do copeiro-mor, e a cabeça do padeiro-mor, no meio dos seus servos.
E fez tornar o copeiro-mor ao seu ofício de copeiro, e este deu o copo na mão de Faraó,
Mas ao padeiro-mor enforcou, como José havia interpretado.
O copeiro-mor, porém, não se lembrou de José, antes se esqueceu dele.

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:<br />
Nossa reflexão hoje encontra-se no capítulo 40 do livro de Gênesis. É uma pequena, mas requer de nós uma mente aberta para entender.</p>
<p>Quando José estava preso teve a oportunidade de "interpretar" os sonhos do padeiro e do copeiro do Faraó. Mas aqui está a grande chave da questão: "E José disse-lhes: Não são de Deus as interpretações?" (v. 8b)</p>
<p>O que vemos hoje, é uma enxurrada de "interpretes" de sonhos, interpretando sonhos, cujas interpretações não se realizam. São verdadeiros "profeiteiros" de plantão dando "profetadas" e assustando as pessoas, se exaltando e se auto glorificando, entre outras coisas. </p>
<p>Não somos nós que fazemos nada. Quem faz tudo é Deus: "Não são de Deus as interpretações?" (v. 8b).</p>
<p>Lembremo-nos: Tudo quanto fizermos, só o fazemos porque é pela Graça do Senhor. Graça é favor imerecido. Outra coisa para nos lembrarmos é que tudo quanto fizermos, que seja para a Honra e a Glória do Nome d'Ele.</p>
<p>Tenham um fim de semana abençoado na presença do Senhor, e aproveitem o fim de semana coma a sua família. Que a Glória do Pai, a Graça do Filho e o poder do Santo Espírito sejam convosco, amém.</p>
<p>Austri Junior -  Teólogo</p>
<p>LEIA O CAPÍTULO 40 POR INTEIRO E CONSTRUA AS SUAS PRÓPRIAS CONCLUSÕES:</p>
<p>Gênesis 40:1-23<br />
E aconteceu, depois destas coisas, que o copeiro do rei do Egito, e o seu padeiro, ofenderam o seu senhor, o rei do Egito.<br />
E indignou-se Faraó muito contra os seus dois oficiais, contra o copeiro-mor e contra o padeiro-mor.<br />
E entregou-os à prisão, na casa do capitão da guarda, na casa do cárcere, no lugar onde José estava preso.<br />
E o capitão da guarda pô-los a cargo de José, para que os servisse; e estiveram muitos dias na prisão.<br />
E ambos tiveram um sonho, cada um seu sonho, na mesma noite, cada um conforme a interpretação do seu sonho, o copeiro e o padeiro do rei do Egito, que estavam presos na casa do cárcere.<br />
E veio José a eles pela manhã, e olhou para eles, e viu que estavam perturbados.<br />
Então perguntou aos oficiais de Faraó, que com ele estavam no cárcere da casa de seu senhor, dizendo: Por que estão hoje tristes os vossos semblantes?<br />
E eles lhe disseram: Tivemos um sonho, e ninguém há que o interprete. E José disse-lhes: Não são de Deus as interpretações? Contai-mo, peço-vos.<br />
Então contou o copeiro-mor o seu sonho a José, e disse-lhe: Eis que em meu sonho havia uma vide diante da minha face.<br />
E na vide três sarmentos, e brotando ela, a sua flor saía, e os seus cachos amadureciam em uvas;<br />
E o copo de Faraó estava na minha mão, e eu tomava as uvas, e as espremia no copo de Faraó, e dava o copo na mão de Faraó.<br />
Então disse-lhe José: Esta é a sua interpretação: Os três sarmentos são três dias;<br />
Dentro ainda de três dias Faraó levantará a tua cabeça, e te restaurará ao teu estado, e darás o copo de Faraó na sua mão, conforme o costume antigo, quando eras seu copeiro.<br />
Porém lembra-te de mim, quando te for bem; e rogo-te que uses comigo de compaixão, e que faças menção de mim a Faraó, e faze-me sair desta casa;<br />
Porque, de fato, fui roubado da terra dos hebreus; e tampouco aqui nada tenho feito para que me pusessem nesta cova.<br />
Vendo então o padeiro-mor que tinha interpretado bem, disse a José: Eu também sonhei, e eis que três cestos brancos estavam sobre a minha cabeça;<br />
E no cesto mais alto havia de todos os manjares de Faraó, obra de padeiro; e as aves o comiam do cesto, de sobre a minha cabeça.<br />
Então respondeu José, e disse: Esta é a sua interpretação: Os três cestos são três dias;<br />
Dentro ainda de três dias Faraó tirará a tua cabeça e te pendurará num pau, e as aves comerão a tua carne de sobre ti.<br />
E aconteceu ao terceiro dia, o dia do nascimento de Faraó, que fez um banquete a todos os seus servos; e levantou a cabeça do copeiro-mor, e a cabeça do padeiro-mor, no meio dos seus servos.<br />
E fez tornar o copeiro-mor ao seu ofício de copeiro, e este deu o copo na mão de Faraó,<br />
Mas ao padeiro-mor enforcou, como José havia interpretado.<br />
O copeiro-mor, porém, não se lembrou de José, antes se esqueceu dele.

Bom Dia!
Reflexão do Dia:
A nossa reflexão de hoje encontra-se no livro de Gênesis capítulo 39.A MENTIRA SEMPRE HAVERÁ DE CAUSAR SEVEROS DANOS
A mulher de Putifar mentiu e manipulou os fatos. Quando uma pessoa age assim, com certeza alguém sairá prejudicado. Mas o que poderíamos esperar de uma mulher que insistiu tanto no adultério? O seu marido acreditou nela. Infelizmente, muita gente acredita na mentira, e por ela, comete injustiças terríveis.

José resistiu à tentação e pagou um preço muito caro. Não importa qual preço teremos que pagar, o importante é fazer a coisa certa. Se fizermos a coisa certa o Senhor que nos acompanha verá a nossa conduta e nos recompensará. A recompensa pode não vir em forma de cargos importantes ou de prosperidade como muitos pregam e só pensam nisso, pois para essas pessoas, o Reino de Deus é só “prosperidade”. Mas não é! O Reino de Deus na realidade é a vida eterna.

Aproveitem o dia na presença de Deus!
Austri Junior – Teólogo
***

LEIA O CAPÍTULO 39 COMPLETO, E CONSTRUA AS SUAS CONCLUSÕES:
Gênesis 39:1-23
E José foi levado ao Egito, e Potifar, oficial de Faraó, capitão da guarda, homem egípcio, comprou-o da mão dos ismaelitas que o tinham levado lá.
E o SENHOR estava com José, e foi homem próspero; e estava na casa de seu senhor egípcio.
Vendo, pois, o seu senhor que o SENHOR estava com ele, e tudo o que fazia o SENHOR prosperava em sua mão,
José achou graça em seus olhos, e servia-o; e ele o pôs sobre a sua casa, e entregou na sua mão tudo o que tinha.
E aconteceu que, desde que o pusera sobre a sua casa e sobre tudo o que tinha, o Senhor abençoou a casa do egípcio por amor de José; e a bênção do Senhor foi sobre tudo o que tinha, na casa e no campo.
E deixou tudo o que tinha na mão de José, de maneira que nada sabia do que estava com ele, a não ser do pão que comia. E José era formoso de porte, e de semblante.
E aconteceu depois destas coisas que a mulher do seu senhor pôs os seus olhos em José, e disse: Deita-te comigo.
Porém ele recusou, e disse à mulher do seu senhor: Eis que o meu senhor não sabe do que há em casa comigo, e entregou em minha mão tudo o que tem;
Ninguém há maior do que eu nesta casa, e nenhuma coisa me vedou, senão a ti, porquanto tu és sua mulher; como pois faria eu tamanha maldade, e pecaria contra Deus?
E aconteceu que falando ela cada dia a José, e não lhe dando ele ouvidos, para deitar-se com ela, e estar com ela,
Sucedeu num certo dia que ele veio à casa para fazer seu serviço; e nenhum dos da casa estava ali;
E ela lhe pegou pela sua roupa, dizendo: Deita-te comigo. E ele deixou a sua roupa na mão dela, e fugiu, e saiu para fora.
E aconteceu que, vendo ela que deixara a sua roupa em sua mão, e fugira para fora,
Chamou aos homens de sua casa, e falou-lhes, dizendo: Vede, meu marido trouxe-nos um homem hebreu para escarnecer de nós; veio a mim para deitar-se comigo, e eu gritei com grande voz;
E aconteceu que, ouvindo ele que eu levantava a minha voz e gritava, deixou a sua roupa comigo, e fugiu, e saiu para fora.
E ela pôs a sua roupa perto de si, até que o seu senhor voltou à sua casa.
Então falou-lhe conforme as mesmas palavras, dizendo: Veio a mim o servo hebreu, que nos trouxeste, para escarnecer de mim;
E aconteceu que, levantando eu a minha voz e gritando, ele deixou a sua roupa comigo, e fugiu para fora.
E aconteceu que, ouvindo o seu senhor as palavras de sua mulher, que lhe falava, dizendo: Conforme a estas mesmas palavras me fez teu servo, a sua ira se acendeu.
E o senhor de José o tomou, e o entregou na casa do cárcere, no lugar onde os presos do rei estavam encarcerados; assim esteve ali na casa do cárcere.
O Senhor, porém, estava com José, e estendeu sobre ele a sua benignidade, e deu-lhe graça aos olhos do carcereiro-mor.
E o carcereiro-mor entregou na mão de José todos os presos que estavam na casa do cárcere, e ele ordenava tudo o que se fazia ali.
E o carcereiro-mor não teve cuidado de nenhuma coisa que estava na mão dele, porquanto o Senhor estava com ele, e tudo o que fazia o Senhor prosperava.

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:<br />
A nossa reflexão de hoje encontra-se no livro de Gênesis capítulo 39.</p>
<p>A MENTIRA SEMPRE HAVERÁ DE CAUSAR SEVEROS DANOS<br />
A mulher de Putifar mentiu e manipulou os fatos. Quando uma pessoa age assim, com certeza alguém sairá prejudicado. Mas o que poderíamos esperar de uma mulher que insistiu tanto no adultério? O seu marido acreditou nela. Infelizmente, muita gente acredita na mentira, e por ela, comete injustiças terríveis.</p>
<p>José resistiu à tentação e pagou um preço muito caro. Não importa qual preço teremos que pagar, o importante é fazer a coisa certa. Se fizermos a coisa certa o Senhor que nos acompanha verá a nossa conduta e nos recompensará. A recompensa pode não vir em forma de cargos importantes ou de prosperidade como muitos pregam e só pensam nisso, pois para essas pessoas, o Reino de Deus é só  "prosperidade". Mas não é! O Reino de Deus na realidade é a vida eterna.</p>
<p>Aproveitem o dia na presença de Deus!<br />
Austri Junior - Teólogo<br />
***</p>
<p>LEIA O CAPÍTULO 39 COMPLETO, E CONSTRUA AS SUAS CONCLUSÕES:<br />
Gênesis 39:1-23<br />
E José foi levado ao Egito, e Potifar, oficial de Faraó, capitão da guarda, homem egípcio, comprou-o da mão dos ismaelitas que o tinham levado lá.<br />
E o SENHOR estava com José, e foi homem próspero; e estava na casa de seu senhor egípcio.<br />
Vendo, pois, o seu senhor que o SENHOR estava com ele, e tudo o que fazia o SENHOR prosperava em sua mão,<br />
José achou graça em seus olhos, e servia-o; e ele o pôs sobre a sua casa, e entregou na sua mão tudo o que tinha.<br />
E aconteceu que, desde que o pusera sobre a sua casa e sobre tudo o que tinha, o Senhor abençoou a casa do egípcio por amor de José; e a bênção do Senhor foi sobre tudo o que tinha, na casa e no campo.<br />
E deixou tudo o que tinha na mão de José, de maneira que nada sabia do que estava com ele, a não ser do pão que comia. E José era formoso de porte, e de semblante.<br />
E aconteceu depois destas coisas que a mulher do seu senhor pôs os seus olhos em José, e disse: Deita-te comigo.<br />
Porém ele recusou, e disse à mulher do seu senhor: Eis que o meu senhor não sabe do que há em casa comigo, e entregou em minha mão tudo o que tem;<br />
Ninguém há maior do que eu nesta casa, e nenhuma coisa me vedou, senão a ti, porquanto tu és sua mulher; como pois faria eu tamanha maldade, e pecaria contra Deus?<br />
E aconteceu que falando ela cada dia a José, e não lhe dando ele ouvidos, para deitar-se com ela, e estar com ela,<br />
Sucedeu num certo dia que ele veio à casa para fazer seu serviço; e nenhum dos da casa estava ali;<br />
E ela lhe pegou pela sua roupa, dizendo: Deita-te comigo. E ele deixou a sua roupa na mão dela, e fugiu, e saiu para fora.<br />
E aconteceu que, vendo ela que deixara a sua roupa em sua mão, e fugira para fora,<br />
Chamou aos homens de sua casa, e falou-lhes, dizendo: Vede, meu marido trouxe-nos um homem hebreu para escarnecer de nós; veio a mim para deitar-se comigo, e eu gritei com grande voz;<br />
E aconteceu que, ouvindo ele que eu levantava a minha voz e gritava, deixou a sua roupa comigo, e fugiu, e saiu para fora.<br />
E ela pôs a sua roupa perto de si, até que o seu senhor voltou à sua casa.<br />
Então falou-lhe conforme as mesmas palavras, dizendo: Veio a mim o servo hebreu, que nos trouxeste, para escarnecer de mim;<br />
E aconteceu que, levantando eu a minha voz e gritando, ele deixou a sua roupa comigo, e fugiu para fora.<br />
E aconteceu que, ouvindo o seu senhor as palavras de sua mulher, que lhe falava, dizendo: Conforme a estas mesmas palavras me fez teu servo, a sua ira se acendeu.<br />
E o senhor de José o tomou, e o entregou na casa do cárcere, no lugar onde os presos do rei estavam encarcerados; assim esteve ali na casa do cárcere.<br />
O Senhor, porém, estava com José, e estendeu sobre ele a sua benignidade, e deu-lhe graça aos olhos do carcereiro-mor.<br />
E o carcereiro-mor entregou na mão de José todos os presos que estavam na casa do cárcere, e ele ordenava tudo o que se fazia ali.<br />
E o carcereiro-mor não teve cuidado de nenhuma coisa que estava na mão dele, porquanto o Senhor estava com ele, e tudo o que fazia o Senhor prosperava.
Bom Dia!
Reflexão do Dia:
Nossa reflexão de hoje também será curta e muito simples, e está no capítulo 38, do livro de Gênesis.DEVEMOS CUMPRIR AS NOSSAS PROMESSAS
Judá prometeu para a sua nora, que lhe daria como esposo, o seu filho mais novo, Selá, após ela ter ficado viúva de dois de seus filhos (conf. v. 11a), mas não cumpriu a sua promessa. “Então ela tirou de sobre si os vestidos da sua viuvez e cobriu-se com o véu, e envolveu-se, e assentou-se à entrada das duas fontes que estão no caminho de Timna, porque via que Selá já era grande, e ela não lhe fora dada por mulher. E vendo-a Judá, teve-a por uma prostituta, porque ela tinha coberto o seu rosto” (Gênesis 38:14-15).

Sabendo que a sua nora se prostituiu, Judá usando os costumes da época quis fazer justiça – o costume era apedrejar até a morte. “E aconteceu que, quase três meses depois, deram aviso a Judá, dizendo: Tamar, tua nora, adulterou, e eis que está grávida do adultério. Então disse Judá: Tirai-a fora para que seja queimada.
E tirando-a fora, ela mandou dizer a seu sogro: Do homem de quem são estas coisas eu concebi. E ela disse mais: Conhece, peço-te, de quem é este selo, e este cordão, e este cajado. E conheceu-os Judá e disse: Mais justa é ela do que eu, porquanto não a tenho dado a Selá meu filho. E nunca mais a conheceu.”
(Gênesis 38:24-26 )

Tamar foi “esperta” e guardou os objetos do sogro como garantia, dando lhe o troco e o desmoralizando em sua própria injustiça, e escapou das pedradas, mas nem todas as mulheres tiveram, ou têm essa sorte. Apedrejamento: Isso ainda acontece em alguns países Árabes com muita frequência. Nesse de junho de 2014, aconteceram dois casos de apedrejamento de mulheres naquelas bandas. Uma delas foi apedrejada pelos moradores do lugar e pela própria família, entre eles, o pai, o irmão e a própria mãe, por não ter se casado com o homem que a família escolheu, e a outra foi apedrejada por ter se negado à recusar a fé cristã. A violência contra as mulheres, infelizmente é cultural, e histórica, não somente nos países médio orientais, mas em todos os lugares do mundo, e sempre são cometidas por homens, que muitas vezes são os primeiros a “pecarem” (errar o alvo).

O Alvo da nossa reflexão de hoje é que possamos pensar antes de prometer ago. A promessa é um compromisso firmado, que jamais deve ser quebrado. Se não for cumprido, vira mentira.
Aproveitem o restante do dia e que Deu abençoe todos nós.

Austri Junior – Teólogo
***

Leia o capítulo 38 completo, e construa as suas conclusões:

E aconteceu no mesmo tempo que Judá desceu de entre seus irmãos e entrou na casa de um homem de Adulão, cujo nome era Hira,
E viu Judá ali a filha de um homem cananeu, cujo nome era Sua; e tomou-a por mulher, e a possuiu.
E ela concebeu e deu à luz um filho, e chamou-lhe Er.
E tornou a conceber e deu à luz um filho, e chamou-lhe Onã.
E continuou ainda e deu à luz um filho, e chamou-lhe Selá; e Judá estava em Quezibe, quando ela o deu à luz.
Judá, pois, tomou uma mulher para Er, o seu primogênito, e o seu nome era Tamar.
Er, porém, o primogênito de Judá, era mau aos olhos do Senhor, por isso o Senhor o matou.
Então disse Judá a Onã: Toma a mulher do teu irmão, e casa-te com ela, e suscita descendência a teu irmão.
Onã, porém, soube que esta descendência não havia de ser para ele; e aconteceu que, quando possuía a mulher de seu irmão, derramava o sêmen na terra, para não dar descendência a seu irmão.
E o que fazia era mau aos olhos do Senhor, pelo que também o matou.
Então disse Judá a Tamar sua nora: Fica-te viúva na casa de teu pai, até que Selá, meu filho, seja grande. Porquanto disse: Para que porventura não morra também este, como seus irmãos. Assim se foi Tamar e ficou na casa de seu pai.
Passando-se pois muitos dias, morreu a filha de Sua, mulher de Judá; e depois de consolado Judá subiu aos tosquiadores das suas ovelhas em Timna, ele e Hira, seu amigo, o adulamita.
E deram aviso a Tamar, dizendo: Eis que o teu sogro sobe a Timna, a tosquiar as suas ovelhas.
Então ela tirou de sobre si os vestidos da sua viuvez e cobriu-se com o véu, e envolveu-se, e assentou-se à entrada das duas fontes que estão no caminho de Timna, porque via que Selá já era grande, e ela não lhe fora dada por mulher.
E vendo-a Judá, teve-a por uma prostituta, porque ela tinha coberto o seu rosto.
E dirigiu-se a ela no caminho, e disse: Vem, peço-te, deixa-me possuir-te. Porquanto não sabia que era sua nora. E ela disse: Que darás, para que possuas a mim?
E ele disse: Eu te enviarei um cabrito do rebanho. E ela disse: Dar-me-ás penhor até que o envies?
Então ele disse: Que penhor é que te darei? E ela disse: O teu selo, e o teu cordão, e o cajado que está em tua mão. O que ele lhe deu, e possuiu-a, e ela concebeu dele.
E ela se levantou, e se foi e tirou de sobre si o seu véu, e vestiu os vestidos da sua viuvez.
E Judá enviou o cabrito por mão do seu amigo, o adulamita, para tomar o penhor da mão da mulher; porém não a achou.
E perguntou aos homens daquele lugar dizendo: Onde está a prostituta que estava no caminho junto às duas fontes? E disseram: Aqui não esteve prostituta alguma.
E tornou-se a Judá e disse: Não a achei; e também disseram os homens daquele lugar: Aqui não esteve prostituta.
Então disse Judá: Deixa-a ficar com o penhor, para que porventura não caiamos em desprezo; eis que tenho enviado este cabrito; mas tu não a achaste.
E aconteceu que, quase três meses depois, deram aviso a Judá, dizendo: Tamar, tua nora, adulterou, e eis que está grávida do adultério. Então disse Judá: Tirai-a fora para que seja queimada.
E tirando-a fora, ela mandou dizer a seu sogro: Do homem de quem são estas coisas eu concebi. E ela disse mais: Conhece, peço-te, de quem é este selo, e este cordão, e este cajado.
E conheceu-os Judá e disse: Mais justa é ela do que eu, porquanto não a tenho dado a Selá meu filho. E nunca mais a conheceu.
E aconteceu ao tempo de dar à luz que havia gêmeos em seu ventre;
E sucedeu que, dando ela à luz, que um pôs fora a mão, e a parteira tomou-a, e atou em sua mão um fio encarnado, dizendo: Este saiu primeiro.
Mas aconteceu que, tornando ele a recolher a sua mão, eis que saiu o seu irmão, e ela disse: Como tu tens rompido, sobre ti é a rotura. E chamaram-lhe Perez.
E depois saiu o seu irmão, em cuja mão estava o fio encarnado; e chamaram-lhe Zerá. (Gênesis 38:1-30)

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:<br />
Nossa reflexão de hoje também será curta e muito simples, e está no capítulo 38, do livro de Gênesis.</p>
<p>DEVEMOS CUMPRIR AS NOSSAS PROMESSAS<br />
Judá prometeu para a sua nora, que lhe daria como esposo, o seu filho mais novo, Selá, após ela ter ficado viúva de dois de seus filhos (conf. v. 11a), mas não cumpriu a sua promessa. "Então ela tirou de sobre si os vestidos da sua viuvez e cobriu-se com o véu, e envolveu-se, e assentou-se à entrada das duas fontes que estão no caminho de Timna, porque via que Selá já era grande, e ela não lhe fora dada por mulher. E vendo-a Judá, teve-a por uma prostituta, porque ela tinha coberto o seu rosto" (Gênesis 38:14-15).</p>
<p>Sabendo que a sua nora se prostituiu, Judá usando os costumes da época quis fazer justiça - o costume era apedrejar até a morte. "E aconteceu que, quase três meses depois, deram aviso a Judá, dizendo: Tamar, tua nora, adulterou, e eis que está grávida do adultério. Então disse Judá: Tirai-a fora para que seja queimada.<br />
E tirando-a fora, ela mandou dizer a seu sogro: Do homem de quem são estas coisas eu concebi. E ela disse mais: Conhece, peço-te, de quem é este selo, e este cordão, e este cajado. E conheceu-os Judá e disse: Mais justa é ela do que eu, porquanto não a tenho dado a Selá meu filho. E nunca mais a conheceu."<br />
(Gênesis 38:24-26 )</p>
<p>Tamar foi "esperta" e guardou os objetos do sogro como garantia, dando lhe o troco e o desmoralizando em sua própria injustiça, e escapou das pedradas, mas nem todas as mulheres tiveram, ou têm essa sorte. Apedrejamento: Isso ainda acontece em alguns países Árabes com muita frequência. Nesse de junho de 2014, aconteceram dois casos de apedrejamento de mulheres naquelas bandas. Uma delas foi apedrejada pelos moradores do lugar e pela própria família, entre eles, o pai, o irmão e a própria mãe, por não ter se casado com o homem que a família escolheu, e a outra foi apedrejada por ter se negado à recusar a fé cristã. A violência contra as mulheres, infelizmente é cultural, e histórica, não somente nos países médio orientais, mas em todos os lugares do mundo, e sempre são cometidas por homens, que muitas vezes são os primeiros a "pecarem" (errar o alvo).</p>
<p>O Alvo da nossa reflexão de hoje é que possamos pensar antes de prometer ago. A promessa é um compromisso firmado, que jamais deve ser quebrado. Se não for cumprido, vira mentira.<br />
Aproveitem o restante do dia e que Deu abençoe todos nós.</p>
<p>Austri Junior - Teólogo<br />
***</p>
<p>Leia o capítulo 38 completo, e construa as suas conclusões:</p>
<p>E aconteceu no mesmo tempo que Judá desceu de entre seus irmãos e entrou na casa de um homem de Adulão, cujo nome era Hira,<br />
E viu Judá ali a filha de um homem cananeu, cujo nome era Sua; e tomou-a por mulher, e a possuiu.<br />
E ela concebeu e deu à luz um filho, e chamou-lhe Er.<br />
E tornou a conceber e deu à luz um filho, e chamou-lhe Onã.<br />
E continuou ainda e deu à luz um filho, e chamou-lhe Selá; e Judá estava em Quezibe, quando ela o deu à luz.<br />
Judá, pois, tomou uma mulher para Er, o seu primogênito, e o seu nome era Tamar.<br />
Er, porém, o primogênito de Judá, era mau aos olhos do Senhor, por isso o Senhor o matou.<br />
Então disse Judá a Onã: Toma a mulher do teu irmão, e casa-te com ela, e suscita descendência a teu irmão.<br />
Onã, porém, soube que esta descendência não havia de ser para ele; e aconteceu que, quando possuía a mulher de seu irmão, derramava o sêmen na terra, para não dar descendência a seu irmão.<br />
E o que fazia era mau aos olhos do Senhor, pelo que também o matou.<br />
Então disse Judá a Tamar sua nora: Fica-te viúva na casa de teu pai, até que Selá, meu filho, seja grande. Porquanto disse: Para que porventura não morra também este, como seus irmãos. Assim se foi Tamar e ficou na casa de seu pai.<br />
Passando-se pois muitos dias, morreu a filha de Sua, mulher de Judá; e depois de consolado Judá subiu aos tosquiadores das suas ovelhas em Timna, ele e Hira, seu amigo, o adulamita.<br />
E deram aviso a Tamar, dizendo: Eis que o teu sogro sobe a Timna, a tosquiar as suas ovelhas.<br />
Então ela tirou de sobre si os vestidos da sua viuvez e cobriu-se com o véu, e envolveu-se, e assentou-se à entrada das duas fontes que estão no caminho de Timna, porque via que Selá já era grande, e ela não lhe fora dada por mulher.<br />
E vendo-a Judá, teve-a por uma prostituta, porque ela tinha coberto o seu rosto.<br />
E dirigiu-se a ela no caminho, e disse: Vem, peço-te, deixa-me possuir-te. Porquanto não sabia que era sua nora. E ela disse: Que darás, para que possuas a mim?<br />
E ele disse: Eu te enviarei um cabrito do rebanho. E ela disse: Dar-me-ás penhor até que o envies?<br />
Então ele disse: Que penhor é que te darei? E ela disse: O teu selo, e o teu cordão, e o cajado que está em tua mão. O que ele lhe deu, e possuiu-a, e ela concebeu dele.<br />
E ela se levantou, e se foi e tirou de sobre si o seu véu, e vestiu os vestidos da sua viuvez.<br />
E Judá enviou o cabrito por mão do seu amigo, o adulamita, para tomar o penhor da mão da mulher; porém não a achou.<br />
E perguntou aos homens daquele lugar dizendo: Onde está a prostituta que estava no caminho junto às duas fontes? E disseram: Aqui não esteve prostituta alguma.<br />
E tornou-se a Judá e disse: Não a achei; e também disseram os homens daquele lugar: Aqui não esteve prostituta.<br />
Então disse Judá: Deixa-a ficar com o penhor, para que porventura não caiamos em desprezo; eis que tenho enviado este cabrito; mas tu não a achaste.<br />
E aconteceu que, quase três meses depois, deram aviso a Judá, dizendo: Tamar, tua nora, adulterou, e eis que está grávida do adultério. Então disse Judá: Tirai-a fora para que seja queimada.<br />
E tirando-a fora, ela mandou dizer a seu sogro: Do homem de quem são estas coisas eu concebi. E ela disse mais: Conhece, peço-te, de quem é este selo, e este cordão, e este cajado.<br />
E conheceu-os Judá e disse: Mais justa é ela do que eu, porquanto não a tenho dado a Selá meu filho. E nunca mais a conheceu.<br />
E aconteceu ao tempo de dar à luz que havia gêmeos em seu ventre;<br />
E sucedeu que, dando ela à luz, que um pôs fora a mão, e a parteira tomou-a, e atou em sua mão um fio encarnado, dizendo: Este saiu primeiro.<br />
Mas aconteceu que, tornando ele a recolher a sua mão, eis que saiu o seu irmão, e ela disse: Como tu tens rompido, sobre ti é a rotura. E chamaram-lhe Perez.<br />
E depois saiu o seu irmão, em cuja mão estava o fio encarnado; e chamaram-lhe Zerá. (Gênesis 38:1-30)
Bom Dia!
Reflexão do Dia
[Levando em conta que o tempo das pessoas é muito pequeno, e que a preguiça que a maioria dos brasileiros têm em relação à leitura, a partir dessa reflexão eu farei o contrário: primeiro a reflexão, depois o texto bíblico completo]Hoje vamos refletir sobre a inveja que os irmãos de José tinham por ele, e o ódio que isso produziu no coração deles. A nossa reflexão de hoje está no capítulo 37 do livro de Gênesis. Boa leitura para todos:

PREFERÊNCIAS PROVOCAM INVEJA – INVEJA PRODUZ ÓDIO FRATRICIDA
Israel amava mais a José que aos outros filhos (v. 3). Amar mais um filho em detrimento de outros é algo complicado, pois, nós seres humanos temos sentimentos que nos levam a cometer desvarios. Preferir um ou dois filhos e desprezar, ignorar, ou mesmo ostracizar os outros é muito mais complicado do que imaginamos. Os pais por sua vez, raramente percebem que estão agindo assim, mas os filhos percebem, inclusive o filho preferido. Ele sabe que possui mais amor e regalias que os outros irmãos. Mesmo os pais que sabem que preferem um em detrimento de outro, mentem dizendo: “Eu amo todos os meus filhos igualmente.” Particularmente acho isso impossível (apesar de não saber como é essa experiência, pois só tenho um filho), mas a tendência dos seres humanos é amar quem está mais próximo, quem nos dá mais amor, ou o mais “bonzinho”, aquele que não dá muito (ou nenhum) trabalho. Nos dias de hoje, é muito muito mais fácil amar o filho que estuda, que trabalha, que frequenta ou serve na igreja, que amar o filho que usa drogas, que bebe, que anda com devassos e prostitutas. Assim sendo, os pais comente erros crassos e absurdos. Agindo assim, os pais estarão promovendo a inveja entre irmãos, e a inveja produz ódio mortal. No mínimo, inimizade entre irmãos.

A Paz do Senhor esteja convosco e em vossa casa!
Que os pais tenham sabedoria ao educarem e conviverem com os seu filhos.
Austri Junior – Teólogo

(Gn 37:1-36)
E Jacó habitou na terra das peregrinações de seu pai, na terra de Canaã.
Estas são as gerações de Jacó. Sendo José de dezessete anos, apascentava as ovelhas com seus irmãos; sendo ainda jovem, andava com os filhos de Bila, e com os filhos de Zilpa, mulheres de seu pai; e José trazia más notícias deles a seu pai.
E Israel amava a José mais do que a todos os seus filhos, porque era filho da sua velhice; e fez-lhe uma túnica de várias cores.
Vendo, pois, seus irmãos que seu pai o amava mais do que a todos eles, odiaram-no, e não podiam falar com ele pacificamente.
Teve José um sonho, que contou a seus irmãos; por isso o odiaram ainda mais.
E disse-lhes: Ouvi, peço-vos, este sonho, que tenho sonhado:
Eis que estávamos atando molhos no meio do campo, e eis que o meu molho se levantava, e também ficava em pé, e eis que os vossos molhos o rodeavam, e se inclinavam ao meu molho.
Então lhe disseram seus irmãos: Tu, pois, deveras reinarás sobre nós? Tu deveras terás domínio sobre nós? Por isso ainda mais o odiavam por seus sonhos e por suas palavras.
E teve José outro sonho, e o contou a seus irmãos, e disse: Eis que tive ainda outro sonho; e eis que o sol, e a lua, e onze estrelas se inclinavam a mim.
E contando-o a seu pai e a seus irmãos, repreendeu-o seu pai, e disse-lhe: Que sonho é este que tiveste? Porventura viremos, eu e tua mãe, e teus irmãos, a inclinar-nos perante ti em terra?
Seus irmãos, pois, o invejavam; seu pai porém guardava este negócio no seu coração.
E seus irmãos foram apascentar o rebanho de seu pai, junto de Siquém.
Disse, pois, Israel a José: Não apascentam os teus irmãos junto de Siquém? Vem, e enviar-te-ei a eles. E ele respondeu: Eis-me aqui.
E ele lhe disse: Ora vai, vê como estão teus irmãos, e como está o rebanho, e traze-me resposta. Assim o enviou do vale de Hebrom, e foi a Siquém.
E achou-o um homem, porque eis que andava errante pelo campo, e perguntou-lhe o homem, dizendo: Que procuras?
E ele disse: Procuro meus irmãos; dize-me, peço-te, onde eles apascentam.
E disse aquele homem: Foram-se daqui; porque ouvi-os dizer: Vamos a Dotã. José, pois, seguiu atrás de seus irmãos, e achou-os em Dotã.
E viram-no de longe e, antes que chegasse a eles, conspiraram contra ele para o matarem.
E disseram um ao outro: Eis lá vem o sonhador-mor!
Vinde, pois, agora, e matemo-lo, e lancemo-lo numa destas covas, e diremos: Uma fera o comeu; e veremos que será dos seus sonhos.
E ouvindo-o Rúben, livrou-o das suas mãos, e disse: Não lhe tiremos a vida.
Também lhes disse Rúben: Não derrameis sangue; lançai-o nesta cova, que está no deserto, e não lanceis mãos nele; isto disse para livrá-lo das mãos deles e para torná-lo a seu pai.
E aconteceu que, chegando José a seus irmãos, tiraram de José a sua túnica, a túnica de várias cores, que trazia.
E tomaram-no, e lançaram-no na cova; porém a cova estava vazia, não havia água nela.
Depois assentaram-se a comer pão; e levantaram os seus olhos, e olharam, e eis que uma companhia de ismaelitas vinha de Gileade; e seus camelos traziam especiarias e bálsamo e mirra, e iam levá-los ao Egito.
Então Judá disse aos seus irmãos: Que proveito haverá que matemos a nosso irmão e escondamos o seu sangue?
Vinde e vendamo-lo a estes ismaelitas, e não seja nossa mão sobre ele; porque ele é nosso irmão, nossa carne. E seus irmãos obedeceram.
Passando, pois, os mercadores midianitas, tiraram e alçaram a José da cova, e venderam José por vinte moedas de prata, aos ismaelitas, os quais levaram José ao Egito.
Voltando, pois, Rúben à cova, eis que José não estava na cova; então rasgou as suas vestes.
E voltou a seus irmãos e disse: O menino não está; e eu aonde irei?
Então tomaram a túnica de José, e mataram um cabrito, e tingiram a túnica no sangue.
E enviaram a túnica de várias cores, mandando levá-la a seu pai, e disseram: Temos achado esta túnica; conhece agora se esta será ou não a túnica de teu filho.
E conheceu-a, e disse: É a túnica de meu filho; uma fera o comeu; certamente José foi despedaçado.
Então Jacó rasgou as suas vestes, pôs saco sobre os seus lombos e lamentou a seu filho muitos dias.
E levantaram-se todos os seus filhos e todas as suas filhas, para o consolarem; recusou porém ser consolado, e disse: Porquanto com choro hei de descer ao meu filho até à sepultura. Assim o chorou seu pai.
E os midianitas venderam-no no Egito a Potifar, oficial de Faraó, capitão da guarda.

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia<br />
[Levando em conta que o tempo das pessoas é muito pequeno, e que a preguiça que a maioria dos brasileiros têm em relação à leitura, a partir dessa reflexão eu farei o contrário: primeiro a reflexão, depois o texto bíblico completo]</p>
<p>Hoje vamos refletir sobre a inveja que os irmãos de José tinham por ele, e o ódio que isso produziu no coração deles. A nossa reflexão de hoje está no capítulo 37 do livro de Gênesis. Boa leitura para todos:</p>
<p>PREFERÊNCIAS PROVOCAM INVEJA - INVEJA PRODUZ ÓDIO FRATRICIDA<br />
Israel amava mais a José que aos outros filhos (v. 3). Amar mais um filho em detrimento de outros é algo complicado, pois, nós seres humanos temos sentimentos que nos levam a cometer desvarios. Preferir um ou dois filhos e desprezar, ignorar, ou mesmo ostracizar os outros é muito mais complicado do que imaginamos. Os pais por sua vez, raramente percebem que estão agindo assim, mas os filhos percebem, inclusive o filho preferido. Ele sabe que possui mais amor e regalias que os outros irmãos. Mesmo os pais que sabem que preferem um em detrimento de outro, mentem dizendo: "Eu amo todos os meus filhos igualmente."  Particularmente acho isso impossível (apesar de não saber como é essa experiência, pois só tenho um filho), mas a tendência dos seres humanos é amar quem está mais próximo, quem nos dá mais amor, ou o mais "bonzinho", aquele que não dá muito (ou nenhum) trabalho. Nos dias de hoje, é muito muito mais fácil amar o filho que estuda, que trabalha, que frequenta ou serve na igreja, que amar o filho que usa drogas, que bebe, que anda com devassos e prostitutas. Assim sendo, os pais comente erros crassos e absurdos. Agindo assim, os pais estarão promovendo a inveja entre irmãos, e a inveja produz ódio mortal. No mínimo, inimizade entre irmãos.</p>
<p>A Paz do Senhor esteja convosco e em vossa casa!<br />
Que os pais tenham sabedoria ao educarem e conviverem com os seu filhos.<br />
Austri Junior - Teólogo</p>
<p>(Gn 37:1-36)<br />
E Jacó habitou na terra das peregrinações de seu pai, na terra de Canaã.<br />
Estas são as gerações de Jacó. Sendo José de dezessete anos, apascentava as ovelhas com seus irmãos; sendo ainda jovem, andava com os filhos de Bila, e com os filhos de Zilpa, mulheres de seu pai; e José trazia más notícias deles a seu pai.<br />
E Israel amava a José mais do que a todos os seus filhos, porque era filho da sua velhice; e fez-lhe uma túnica de várias cores.<br />
Vendo, pois, seus irmãos que seu pai o amava mais do que a todos eles, odiaram-no, e não podiam falar com ele pacificamente.<br />
Teve José um sonho, que contou a seus irmãos; por isso o odiaram ainda mais.<br />
E disse-lhes: Ouvi, peço-vos, este sonho, que tenho sonhado:<br />
Eis que estávamos atando molhos no meio do campo, e eis que o meu molho se levantava, e também ficava em pé, e eis que os vossos molhos o rodeavam, e se inclinavam ao meu molho.<br />
Então lhe disseram seus irmãos: Tu, pois, deveras reinarás sobre nós? Tu deveras terás domínio sobre nós? Por isso ainda mais o odiavam por seus sonhos e por suas palavras.<br />
E teve José outro sonho, e o contou a seus irmãos, e disse: Eis que tive ainda outro sonho; e eis que o sol, e a lua, e onze estrelas se inclinavam a mim.<br />
E contando-o a seu pai e a seus irmãos, repreendeu-o seu pai, e disse-lhe: Que sonho é este que tiveste? Porventura viremos, eu e tua mãe, e teus irmãos, a inclinar-nos perante ti em terra?<br />
Seus irmãos, pois, o invejavam; seu pai porém guardava este negócio no seu coração.<br />
E seus irmãos foram apascentar o rebanho de seu pai, junto de Siquém.<br />
Disse, pois, Israel a José: Não apascentam os teus irmãos junto de Siquém? Vem, e enviar-te-ei a eles. E ele respondeu: Eis-me aqui.<br />
E ele lhe disse: Ora vai, vê como estão teus irmãos, e como está o rebanho, e traze-me resposta. Assim o enviou do vale de Hebrom, e foi a Siquém.<br />
E achou-o um homem, porque eis que andava errante pelo campo, e perguntou-lhe o homem, dizendo: Que procuras?<br />
E ele disse: Procuro meus irmãos; dize-me, peço-te, onde eles apascentam.<br />
E disse aquele homem: Foram-se daqui; porque ouvi-os dizer: Vamos a Dotã. José, pois, seguiu atrás de seus irmãos, e achou-os em Dotã.<br />
E viram-no de longe e, antes que chegasse a eles, conspiraram contra ele para o matarem.<br />
E disseram um ao outro: Eis lá vem o sonhador-mor!<br />
Vinde, pois, agora, e matemo-lo, e lancemo-lo numa destas covas, e diremos: Uma fera o comeu; e veremos que será dos seus sonhos.<br />
E ouvindo-o Rúben, livrou-o das suas mãos, e disse: Não lhe tiremos a vida.<br />
Também lhes disse Rúben: Não derrameis sangue; lançai-o nesta cova, que está no deserto, e não lanceis mãos nele; isto disse para livrá-lo das mãos deles e para torná-lo a seu pai.<br />
E aconteceu que, chegando José a seus irmãos, tiraram de José a sua túnica, a túnica de várias cores, que trazia.<br />
E tomaram-no, e lançaram-no na cova; porém a cova estava vazia, não havia água nela.<br />
Depois assentaram-se a comer pão; e levantaram os seus olhos, e olharam, e eis que uma companhia de ismaelitas vinha de Gileade; e seus camelos traziam especiarias e bálsamo e mirra, e iam levá-los ao Egito.<br />
Então Judá disse aos seus irmãos: Que proveito haverá que matemos a nosso irmão e escondamos o seu sangue?<br />
Vinde e vendamo-lo a estes ismaelitas, e não seja nossa mão sobre ele; porque ele é nosso irmão, nossa carne. E seus irmãos obedeceram.<br />
Passando, pois, os mercadores midianitas, tiraram e alçaram a José da cova, e venderam José por vinte moedas de prata, aos ismaelitas, os quais levaram José ao Egito.<br />
Voltando, pois, Rúben à cova, eis que José não estava na cova; então rasgou as suas vestes.<br />
E voltou a seus irmãos e disse: O menino não está; e eu aonde irei?<br />
Então tomaram a túnica de José, e mataram um cabrito, e tingiram a túnica no sangue.<br />
E enviaram a túnica de várias cores, mandando levá-la a seu pai, e disseram: Temos achado esta túnica; conhece agora se esta será ou não a túnica de teu filho.<br />
E conheceu-a, e disse: É a túnica de meu filho; uma fera o comeu; certamente José foi despedaçado.<br />
Então Jacó rasgou as suas vestes, pôs saco sobre os seus lombos e lamentou a seu filho muitos dias.<br />
E levantaram-se todos os seus filhos e todas as suas filhas, para o consolarem; recusou porém ser consolado, e disse: Porquanto com choro hei de descer ao meu filho até à sepultura. Assim o chorou seu pai.<br />
E os midianitas venderam-no no Egito a Potifar, oficial de Faraó, capitão da guarda.
Bom Dia!
Reflexão do Dia
A nossa reflexão de hoje está no capítulo 34, do livro de Gênesis, e é um texto muito interessante:UM ERRO NÃO JUSTIFICA O OUTRO
E saiu Diná, filha de Lia, que esta dera a Jacó, para ver as filhas da terra.
E Siquém, filho de Hamor, heveu, príncipe daquela terra, viu-a, e tomou-a, e deitou-se com ela, e humilhou-a.
E apegou-se a sua alma com Diná, filha de Jacó, e amou a moça e falou afetuosamente à moça.
Falou também Siquém a Hamor, seu pai, dizendo: Toma-me esta moça por mulher.
Quando Jacó ouviu que Diná, sua filha, fora violada, estavam os seus filhos no campo com o gado; e calou-se Jacó até que viessem.
E saiu Hamor, pai de Siquém, a Jacó, para falar com ele.
E vieram os filhos de Jacó do campo, ouvindo isso, e entristeceram-se os homens, e iraram-se muito, porquanto Siquém cometera uma insensatez em Israel, deitando-se com a filha de Jacó; o que não se devia fazer assim.
Então falou Hamor com eles, dizendo: A alma de Siquém, meu filho, está enamorada da vossa filha; dai-lha, peço-vos, por mulher;
E aparentai-vos conosco, dai-nos as vossas filhas, e tomai as nossas filhas para vós;
E habitareis conosco; e a terra estará diante de vós; habitai e negociai nela, e tomai possessão nela.
E disse Siquém ao pai dela, e aos irmãos dela: Ache eu graça em vossos olhos, e darei o que me disserdes;
Aumentai muito sobre mim o dote e a dádiva e darei o que me disserdes; dai-me somente a moça por mulher.
Então responderam os filhos de Jacó a Siquém e a Hamor, seu pai, enganosamente, e falaram, porquanto havia violado a Diná, sua irmã.
E disseram-lhe: Não podemos fazer isso, dar a nossa irmã a um homem não circuncidado; porque isso seria uma vergonha para nós;
Nisso, porém, consentiremos a vós: se fordes como nós; que se circuncide todo o homem entre vós;
Então dar-vos-emos as nossas filhas, e tomaremos nós as vossas filhas, e habitaremos convosco, e seremos um povo;
Mas se não nos ouvirdes, e não vos circuncidardes, tomaremos a nossa filha e ir-nos-emos.
E suas palavras foram boas aos olhos de Hamor, e aos olhos de Siquém, filho de Hamor.
E não tardou o jovem em fazer isto; porque a filha de Jacó lhe contentava; e ele era o mais honrado de toda a casa de seu pai.
Veio, pois, Hamor e Siquém, seu filho, à porta da sua cidade, e falaram aos homens da sua cidade, dizendo:
Estes homens são pacíficos conosco; portanto habitarão nesta terra, e negociarão nela; eis que a terra é larga de espaço para eles; tomaremos nós as suas filhas por mulheres, e lhes daremos as nossas filhas.
Nisto, porém, consentirão aqueles homens, em habitar conosco, para que sejamos um povo, se todo o homem entre nós se circuncidar, como eles são circuncidados.
E seu gado, as suas possessões, e todos os seus animais não serão nossos? Consintamos somente com eles e habitarão conosco.
E deram ouvidos a Hamor e a Siquém, seu filho, todos os que saíam da porta da cidade; e foi circuncidado todo o homem, de todos os que saíam pela porta da sua cidade.
E aconteceu que, ao terceiro dia, quando estavam com a mais violenta dor, os dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná, tomaram cada um a sua espada, e entraram afoitamente na cidade, e mataram todos os homens.
Mataram também ao fio da espada a Hamor, e a seu filho Siquém; e tomaram a Diná da casa de Siquém, e saíram.
Vieram os filhos de Jacó aos mortos e saquearam a cidade; porquanto violaram a sua irmã.
As suas ovelhas, e as suas vacas, e os seus jumentos, e o que havia na cidade e no campo, tomaram.
E todos os seus bens, e todos os seus meninos, e as suas mulheres, levaram presos, e saquearam tudo o que havia em casa.
Então disse Jacó a Simeão e a Levi: Tendes-me turbado, fazendo-me cheirar mal entre os moradores desta terra, entre os cananeus e perizeus; tendo eu pouco povo em número, eles ajuntar-se-ão, e serei destruído, eu e minha casa.
E eles disseram: Devia ele tratar a nossa irmã como a uma prostituta? (Gênesis 34:1-31)
***
A lei do Senhor ainda não havia sido estabelecida entre o povo de Israel – Não matarás. (Êxodo 20:13). O que imperava mesmo era: olho por olho, dente por dente.

Os filhos de Jacó agiram com falsidade e enorme violência e cometeram um crime muito pior – se é que existe um crime pior que o outro. Transcrevi acima, o capítulo inteiro, para que cada um analise e construa as suas próprias conclusões.

Glória à Deus por termos sidos Abençoados com a Graça do Pai no Filho, para que não precisemos tomar a justiça em nossas próprias mãos em uma situação difícil como essa.
UM ERRO NÃO JUSTIFICA O OUTRO!

Paz e Bem aos vossos corações, e tenham um dia abençoado na presença do Senhor, que é a Nossa Justiça, e nos deu discernimento para buscar a justiça dos tribunais constituídos legalmente, se precisarmos.
Austri Junior – Teólogo

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia<br />
A nossa reflexão de hoje está no capítulo 34, do livro de Gênesis, e é um texto muito interessante:</p>
<p>UM ERRO NÃO JUSTIFICA O OUTRO<br />
E saiu Diná, filha de Lia, que esta dera a Jacó, para ver as filhas da terra.<br />
E Siquém, filho de Hamor, heveu, príncipe daquela terra, viu-a, e tomou-a, e deitou-se com ela, e humilhou-a.<br />
E apegou-se a sua alma com Diná, filha de Jacó, e amou a moça e falou afetuosamente à moça.<br />
Falou também Siquém a Hamor, seu pai, dizendo: Toma-me esta moça por mulher.<br />
Quando Jacó ouviu que Diná, sua filha, fora violada, estavam os seus filhos no campo com o gado; e calou-se Jacó até que viessem.<br />
E saiu Hamor, pai de Siquém, a Jacó, para falar com ele.<br />
E vieram os filhos de Jacó do campo, ouvindo isso, e entristeceram-se os homens, e iraram-se muito, porquanto Siquém cometera uma insensatez em Israel, deitando-se com a filha de Jacó; o que não se devia fazer assim.<br />
Então falou Hamor com eles, dizendo: A alma de Siquém, meu filho, está enamorada da vossa filha; dai-lha, peço-vos, por mulher;<br />
E aparentai-vos conosco, dai-nos as vossas filhas, e tomai as nossas filhas para vós;<br />
E habitareis conosco; e a terra estará diante de vós; habitai e negociai nela, e tomai possessão nela.<br />
E disse Siquém ao pai dela, e aos irmãos dela: Ache eu graça em vossos olhos, e darei o que me disserdes;<br />
Aumentai muito sobre mim o dote e a dádiva e darei o que me disserdes; dai-me somente a moça por mulher.<br />
Então responderam os filhos de Jacó a Siquém e a Hamor, seu pai, enganosamente, e falaram, porquanto havia violado a Diná, sua irmã.<br />
E disseram-lhe: Não podemos fazer isso, dar a nossa irmã a um homem não circuncidado; porque isso seria uma vergonha para nós;<br />
Nisso, porém, consentiremos a vós: se fordes como nós; que se circuncide todo o homem entre vós;<br />
Então dar-vos-emos as nossas filhas, e tomaremos nós as vossas filhas, e habitaremos convosco, e seremos um povo;<br />
Mas se não nos ouvirdes, e não vos circuncidardes, tomaremos a nossa filha e ir-nos-emos.<br />
E suas palavras foram boas aos olhos de Hamor, e aos olhos de Siquém, filho de Hamor.<br />
E não tardou o jovem em fazer isto; porque a filha de Jacó lhe contentava; e ele era o mais honrado de toda a casa de seu pai.<br />
Veio, pois, Hamor e Siquém, seu filho, à porta da sua cidade, e falaram aos homens da sua cidade, dizendo:<br />
Estes homens são pacíficos conosco; portanto habitarão nesta terra, e negociarão nela; eis que a terra é larga de espaço para eles; tomaremos nós as suas filhas por mulheres, e lhes daremos as nossas filhas.<br />
Nisto, porém, consentirão aqueles homens, em habitar conosco, para que sejamos um povo, se todo o homem entre nós se circuncidar, como eles são circuncidados.<br />
E seu gado, as suas possessões, e todos os seus animais não serão nossos? Consintamos somente com eles e habitarão conosco.<br />
E deram ouvidos a Hamor e a Siquém, seu filho, todos os que saíam da porta da cidade; e foi circuncidado todo o homem, de todos os que saíam pela porta da sua cidade.<br />
E aconteceu que, ao terceiro dia, quando estavam com a mais violenta dor, os dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná, tomaram cada um a sua espada, e entraram afoitamente na cidade, e mataram todos os homens.<br />
Mataram também ao fio da espada a Hamor, e a seu filho Siquém; e tomaram a Diná da casa de Siquém, e saíram.<br />
Vieram os filhos de Jacó aos mortos e saquearam a cidade; porquanto violaram a sua irmã.<br />
As suas ovelhas, e as suas vacas, e os seus jumentos, e o que havia na cidade e no campo, tomaram.<br />
E todos os seus bens, e todos os seus meninos, e as suas mulheres, levaram presos, e saquearam tudo o que havia em casa.<br />
Então disse Jacó a Simeão e a Levi: Tendes-me turbado, fazendo-me cheirar mal entre os moradores desta terra, entre os cananeus e perizeus; tendo eu pouco povo em número, eles ajuntar-se-ão, e serei destruído, eu e minha casa.<br />
E eles disseram: Devia ele tratar a nossa irmã como a uma prostituta? (Gênesis 34:1-31)<br />
***<br />
A lei do Senhor ainda não havia sido estabelecida entre o povo de Israel - Não matarás. (Êxodo 20:13). O que imperava mesmo era: olho por olho, dente por dente.</p>
<p>Os filhos de Jacó agiram com falsidade e enorme violência e cometeram um crime muito pior - se é que existe um crime pior que o outro. Transcrevi acima, o capítulo inteiro, para que cada um analise e construa as suas próprias conclusões.</p>
<p>Glória à Deus por termos sidos Abençoados com a Graça do Pai no Filho, para que não precisemos tomar a justiça em nossas próprias mãos em uma situação difícil como essa.<br />
UM ERRO NÃO JUSTIFICA O OUTRO!</p>
<p>Paz e Bem aos vossos corações, e tenham um dia abençoado na presença do Senhor, que é a Nossa Justiça, e nos deu discernimento para buscar a justiça dos tribunais constituídos legalmente, se precisarmos.<br />
Austri Junior - Teólogo
Bom Dia!
Reflexão do Dia:ONDE HÁ AMOR, HÁ PERDÃO
Gênesis 33:1-20
E levantou Jacó os seus olhos, e olhou, e eis que vinha Esaú, e quatrocentos homens com ele. Então repartiu os filhos entre Lia, e Raquel, e as duas servas.
E pôs as servas e seus filhos na frente, e a Lia e seus filhos atrás; porém a Raquel e José os derradeiros.
E ele mesmo passou adiante deles e inclinou-se à terra sete vezes, até que chegou a seu irmão.
Então Esaú correu-lhe ao encontro, e abraçou-o, e lançou-se sobre o seu pescoço, e beijou-o; e choraram.
Depois levantou os seus olhos, e viu as mulheres, e os meninos, e disse: Quem são estes contigo? E ele disse: Os filhos que Deus graciosamente tem dado a teu servo.
Então chegaram as servas; elas e os seus filhos, e inclinaram-se.
E chegou também Lia com seus filhos, e inclinaram-se; e depois chegou José e Raquel e inclinaram-se.
E disse Esaú: De que te serve todo este bando que tenho encontrado? E ele disse: Para achar graça aos olhos de meu senhor.
Mas Esaú disse: Eu tenho bastante, meu irmão; seja para ti o que tens.
Então disse Jacó: Não, se agora tenho achado graça em teus olhos, peço-te que tomes o meu presente da minha mão; porquanto tenho visto o teu rosto, como se tivesse visto o rosto de Deus, e tomaste contentamento em mim.
Toma, peço-te, a minha bênção, que te foi trazida; porque Deus graciosamente ma tem dado; e porque tenho de tudo. E instou com ele, até que a tomou.
E disse: Caminhemos, e andemos, e eu partirei adiante de ti.
Porém ele lhe disse: Meu senhor sabe que estes filhos são tenros, e que tenho comigo ovelhas e vacas de leite; se as afadigarem somente um dia, todo o rebanho morrerá.
Ora passe o meu senhor adiante de seu servo; e eu irei como guia pouco a pouco, conforme ao passo do gado que vai adiante de mim, e conforme ao passo dos meninos, até que chegue a meu senhor em Seir.
E Esaú disse: Permite então que eu deixe contigo alguns da minha gente. E ele disse: Para que é isso? Basta que ache graça aos olhos de meu senhor.
Assim voltou Esaú aquele dia pelo seu caminho a Seir.
Jacó, porém, partiu para Sucote e edificou para si uma casa; e fez cabanas para o seu gado; por isso chamou aquele lugar Sucote.
E chegou Jacó salvo à Salém, cidade de Siquém, que está na terra de Canaã, quando vinha de Padã-Arã; e armou a sua tenda diante da cidade.
E comprou uma parte do campo em que estendera a sua tenda, da mão dos filhos de Hamor, pai de Siquém, por cem peças de dinheiro.
E levantou ali um altar, e chamou-lhe: Deus, o Deus de Israel.
***

Jacó, agora Israel, inclinou-se sete vezes diante de Esaú (v.3). Ao inclinar-se diante de Esaú, e de chamar-lhe “meu senhor” (conf. v.8b), ele estava reconhecendo a supremacia do irmão, o senhorio da primogenitura que ele havia roubado no passado. Reverenciando Esaú e chamando-o de “meu senhor”, Israel estava se colocando como servo do irmão de acordo com o costume da época, e ao mesmo tempo estava lhe pedindo perdão.

Muito tempo havia se passado, e Esaú estava pronto para liberar o perdão ao seu irmão: “Então Esaú correu-lhe ao encontro, e abraçou-o, e lançou-se sobre o seu pescoço, e beijou-o; e choraram” (Gênesis 33:4).

Nunca é tarde para pedir perdão. Nunca é tarde para perdoar! O melhor mesmo é não cometer atos dos quais possamos nos arrepender por ter ferido e magoado alguém, mas somos humanos e cometemos erros. Se o cometermos, é importante que nos arrependamos, mas isso só acontece com pessoas de bom coração. Pessoas de coração duro dificilmente se arrependem, e dificilmente perdoam. As pessoas que não liberam perdão, em geral são pessoas rancorosas e amargas, com dificuldade de amar. Da mesma forma que têm dificuldade em perdoar, também têm dificuldade em se humilhar e pedir perdão. Mas o amor supera supera tudo e todos. O amor está acima de todas as dificuldade, e quem tem uma grande dose de amor dentro de si sempre encontrará uma forma de resolver as coisas.
ONDE HÁ AMOR, HÁ PERDÃO!

Tenham um dia abençoado e cheios de Amor do Pai, do Filho, e do Espírito Santo do Deus Todo-poderoso, amém!

Austri Junior – Teólogo

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:</p>
<p>ONDE HÁ AMOR, HÁ PERDÃO<br />
Gênesis 33:1-20<br />
E levantou Jacó os seus olhos, e olhou, e eis que vinha Esaú, e quatrocentos homens com ele. Então repartiu os filhos entre Lia, e Raquel, e as duas servas.<br />
E pôs as servas e seus filhos na frente, e a Lia e seus filhos atrás; porém a Raquel e José os derradeiros.<br />
E ele mesmo passou adiante deles e inclinou-se à terra sete vezes, até que chegou a seu irmão.<br />
Então Esaú correu-lhe ao encontro, e abraçou-o, e lançou-se sobre o seu pescoço, e beijou-o; e choraram.<br />
Depois levantou os seus olhos, e viu as mulheres, e os meninos, e disse: Quem são estes contigo? E ele disse: Os filhos que Deus graciosamente tem dado a teu servo.<br />
Então chegaram as servas; elas e os seus filhos, e inclinaram-se.<br />
E chegou também Lia com seus filhos, e inclinaram-se; e depois chegou José e Raquel e inclinaram-se.<br />
E disse Esaú: De que te serve todo este bando que tenho encontrado? E ele disse: Para achar graça aos olhos de meu senhor.<br />
Mas Esaú disse: Eu tenho bastante, meu irmão; seja para ti o que tens.<br />
Então disse Jacó: Não, se agora tenho achado graça em teus olhos, peço-te que tomes o meu presente da minha mão; porquanto tenho visto o teu rosto, como se tivesse visto o rosto de Deus, e tomaste contentamento em mim.<br />
Toma, peço-te, a minha bênção, que te foi trazida; porque Deus graciosamente ma tem dado; e porque tenho de tudo. E instou com ele, até que a tomou.<br />
E disse: Caminhemos, e andemos, e eu partirei adiante de ti.<br />
Porém ele lhe disse: Meu senhor sabe que estes filhos são tenros, e que tenho comigo ovelhas e vacas de leite; se as afadigarem somente um dia, todo o rebanho morrerá.<br />
Ora passe o meu senhor adiante de seu servo; e eu irei como guia pouco a pouco, conforme ao passo do gado que vai adiante de mim, e conforme ao passo dos meninos, até que chegue a meu senhor em Seir.<br />
E Esaú disse: Permite então que eu deixe contigo alguns da minha gente. E ele disse: Para que é isso? Basta que ache graça aos olhos de meu senhor.<br />
Assim voltou Esaú aquele dia pelo seu caminho a Seir.<br />
Jacó, porém, partiu para Sucote e edificou para si uma casa; e fez cabanas para o seu gado; por isso chamou aquele lugar Sucote.<br />
E chegou Jacó salvo à Salém, cidade de Siquém, que está na terra de Canaã, quando vinha de Padã-Arã; e armou a sua tenda diante da cidade.<br />
E comprou uma parte do campo em que estendera a sua tenda, da mão dos filhos de Hamor, pai de Siquém, por cem peças de dinheiro.<br />
E levantou ali um altar, e chamou-lhe: Deus, o Deus de Israel.<br />
***</p>
<p>Jacó, agora Israel, inclinou-se sete vezes diante de Esaú (v.3). Ao inclinar-se diante de Esaú, e de chamar-lhe "meu senhor" (conf. v.8b), ele estava reconhecendo a supremacia do irmão, o senhorio da primogenitura que ele havia roubado no passado. Reverenciando Esaú e chamando-o de "meu senhor", Israel estava se colocando como servo do irmão de acordo com o costume da época, e ao mesmo tempo estava lhe pedindo perdão.</p>
<p>Muito tempo havia se passado, e Esaú estava pronto para liberar o perdão ao seu irmão: "Então Esaú correu-lhe ao encontro, e abraçou-o, e lançou-se sobre o seu pescoço, e beijou-o; e choraram" (Gênesis 33:4).</p>
<p>Nunca é tarde para pedir perdão. Nunca é tarde para perdoar! O melhor mesmo é não cometer atos dos quais possamos nos arrepender por ter ferido e magoado alguém, mas somos humanos e cometemos erros. Se o cometermos, é importante que nos arrependamos, mas isso só acontece com pessoas de bom coração. Pessoas de coração duro dificilmente se arrependem, e dificilmente perdoam. As pessoas que não liberam perdão, em geral são pessoas rancorosas e amargas, com dificuldade de amar. Da mesma forma que têm dificuldade em perdoar, também têm dificuldade em se humilhar e pedir perdão. Mas o amor supera supera tudo e todos. O amor está acima de todas as dificuldade, e quem tem uma grande dose de amor dentro de si sempre encontrará uma forma de resolver as coisas.<br />
ONDE HÁ AMOR, HÁ PERDÃO!</p>
<p>Tenham um dia abençoado e cheios de Amor do Pai, do Filho, e do Espírito Santo do Deus Todo-poderoso, amém!</p>
<p>Austri Junior - Teólogo
REFLEXÃO DOMINICAL
O Milagre nas Bodas de Caná
João 2:1-11E, ao terceiro dia, fizeram-se umas bodas em Caná da Galiléia; e estava ali a mãe de Jesus.
E foi também convidado Jesus e os seus discípulos para as bodas.
E, faltando vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho.
Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora.
Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser.
E estavam ali postas seis talhas de pedra, para as purificações dos judeus, e em cada uma cabiam dois ou três almudes.
Disse-lhes Jesus: Enchei de água essas talhas. E encheram-nas até em cima.
E disse-lhes: Tirai agora, e levai ao mestre-sala. E levaram.
E, logo que o mestre-sala provou a água feita vinho (não sabendo de onde viera, se bem que o sabiam os serventes que tinham tirado a água), chamou o mestre-sala ao esposo,
E disse-lhe: Todo o homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho.
Jesus principiou assim os seus sinais em Caná da Galiléia, e manifestou a sua glória; e os seus discípulos creram nele.
***

O primeiro sinal de Jesus foi algo simples, mas necessário, e a sua mãe sabia disso, e foi exatamente assim que agiu Maria; como mãe. Apesar da resposta ríspida ela insistiu: chamou os servos da casa e disse-lhes: “Fazei tudo quanto ele vos disser.” (conf. v.5)

Nesse momento, os discípulos de Jesus creram nele. Foi o “ponta pé” inicial no Ministério de Jesus. Recheado de ensinamentos, curas, milagres e o mais importante: LIBERTAÇÃO! “Jesus principiou assim os seus sinais em Caná da Galiléia, e manifestou a sua glória; e os seus discípulos creram nele” (João 2:11). Jesus só agirá em nossas vidas se crermos.

Bom dia, bom domingo, boa semana!
O Senhor abençoe e guarde todos vos. As bênçãos do Senhor se multipliquem nos seus lares e sobre as suas famíias.

Austri Junior – Teólogo

Foto: REFLEXÃO DOMINICAL<br />
O Milagre nas Bodas de Caná<br />
João 2:1-11</p>
<p>E, ao terceiro dia, fizeram-se umas bodas em Caná da Galiléia; e estava ali a mãe de Jesus.<br />
E foi também convidado Jesus e os seus discípulos para as bodas.<br />
E, faltando vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho.<br />
Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora.<br />
Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser.<br />
E estavam ali postas seis talhas de pedra, para as purificações dos judeus, e em cada uma cabiam dois ou três almudes.<br />
Disse-lhes Jesus: Enchei de água essas talhas. E encheram-nas até em cima.<br />
E disse-lhes: Tirai agora, e levai ao mestre-sala. E levaram.<br />
E, logo que o mestre-sala provou a água feita vinho (não sabendo de onde viera, se bem que o sabiam os serventes que tinham tirado a água), chamou o mestre-sala ao esposo,<br />
E disse-lhe: Todo o homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho.<br />
Jesus principiou assim os seus sinais em Caná da Galiléia, e manifestou a sua glória; e os seus discípulos creram nele.<br />
***</p>
<p>O primeiro sinal de Jesus foi algo simples, mas necessário, e a sua mãe sabia disso, e foi exatamente assim que agiu Maria; como mãe. Apesar da resposta ríspida ela insistiu: chamou os servos da casa e disse-lhes: "Fazei tudo quanto ele vos disser." (conf. v.5)</p>
<p>Nesse momento, os discípulos de Jesus creram nele. Foi o "ponta pé" inicial no Ministério de Jesus. Recheado de ensinamentos, curas, milagres e o mais importante: LIBERTAÇÃO! "Jesus principiou assim os seus sinais em Caná da Galiléia, e manifestou a sua glória; e os seus discípulos creram nele" (João 2:11). Jesus só agirá em nossas vidas se crermos.</p>
<p>Bom dia, bom domingo, boa semana!<br />
O Senhor abençoe e guarde todos vos. As bênçãos do Senhor se multipliquem nos seus lares e sobre as suas famíias.</p>
<p>Austri Junior - Teólogo

Bom Dia!
Reflexão do Dia:DEUS MUDA O NOME DE JACÓ
A nossa reflexão de hoje está no capítulo 32 do livro de Gênesis:
Depois de resolver as suas diferenças com o sogro, Jacó seguiu o seu caminho, mas estava apreensivo, com medo da reação do seu irmão Esaú:
“E enviou Jacó mensageiros adiante de si a Esaú, seu irmão, à terra de Seir, território de Edom. E ordenou-lhes, dizendo: Assim direis a meu senhor Esaú: Assim diz Jacó, teu servo: Como peregrino morei com Labão, e me detive lá até agora; E tenho bois e jumentos, ovelhas, e servos e servas; e enviei para o anunciar a meu senhor, para que ache graça em teus olhos. (Gênesis 32:3-5).

“E os mensageiros voltaram a Jacó, dizendo: Fomos a teu irmão Esaú; e também ele vem para encontrar-te, e quatrocentos homens com ele. Então Jacó temeu muito e angustiou-se; e repartiu o povo que com ele estava, e as ovelhas, e as vacas, e os camelos, em dois bandos. Porque dizia: Se Esaú vier a um bando e o ferir, o outro bando escapará.” (Gn 32:6-8).

O medo de Jacó tinha precedentes. Ele havia trapaceado e enganado o irmão, e agora recebera aquela notícia aterrorizadora. Fico imaginando a angústia daquele homem, agora despatriado. e com saudades da sua gente e da sua terra, buscando um lugar para se estabelecer, levando consigo duas esposas e filhos pequenos, e, sob a sua responsabilidade, mais um tanto de gente, que, em sua angústia, imaginava: poderiam ser mortos pelas mãos de Esaú a qualquer momento. Jacó então orou à Deus, pedindo livramento diante da possível fúria do irmão. Em seguida armou uma estratégia, que pode ser interpretada como um pedido de perdão, ou um suborno: enviou presentes ao irmão (conf. v. 14-20).

Jacó passou a noite naquele lugar. De noite levantou-se e levou a família e os seus pertences para um lugar seguro, e ao ficar só lutou com um homem durante a noite toda, e o venceu. Jacó o segurou e não quis soltá-lo. “E disse: Deixa-me ir, porque já a alva subiu. Porém ele disse: Não te deixarei ir, se não me abençoares.
E disse-lhe: Qual é o teu nome? E ele disse: Jacó.
Então disse: Não te chamarás mais Jacó, mas Israel; pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens, e prevaleceste.
E Jacó lhe perguntou, e disse: Dá-me, peço-te, a saber o teu nome. E disse: Por que perguntas pelo meu nome? E abençoou-o ali.
E chamou Jacó o nome daquele lugar Peniel, porque dizia: Tenho visto a Deus face a face, e a minha alma foi salva.”
(Gênesis 32:26-30)

Jacó não sabia, mas estava lutando com o Senhor. O Senhor o colocou à prova, ele passou naquele teste de perseverança e limpeza da alma, forjando em Jacó, agora Israel, um caráter reto, pois até então, o caráter de Jacó era dúbio, e o seu nome, Jacó traduzia muito bem isso: Jacó significa TRAPACEIRO! Doravante ele não seria mais chamado de” trapaceiro”, mas de ISRAEL, pois era um vencedor, com o caráter forjado no fogo de Deus. E, de Israel, Deus fez surgir as doze tribos, das doze tribos, Deus fez surgir o Seu Filho Amado, Jesus Cristo.

Leia o capítulo 32 por inteiro e reflita conosco. Tenham um dia abençoado na presença do Deus Todo-poderoso que pode mudar tudo em nossas vidas. Aproveitem o dia com as suas famílias, e tenham uma ótima e abençoada semana.

Austri Junior – Teólogo

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:</p>
<p>DEUS MUDA O NOME DE JACÓ<br />
A nossa reflexão de hoje está no capítulo 32 do livro de Gênesis:<br />
Depois de resolver as suas diferenças com o sogro, Jacó seguiu o seu caminho, mas estava apreensivo, com medo da reação do seu irmão Esaú:<br />
"E enviou Jacó mensageiros adiante de si a Esaú, seu irmão, à terra de Seir, território de Edom. E ordenou-lhes, dizendo: Assim direis a meu senhor Esaú: Assim diz Jacó, teu servo: Como peregrino morei com Labão, e me detive lá até agora; E tenho bois e jumentos, ovelhas, e servos e servas; e enviei para o anunciar a meu senhor, para que ache graça em teus olhos. (Gênesis 32:3-5).</p>
<p>"E os mensageiros voltaram a Jacó, dizendo: Fomos a teu irmão Esaú; e também ele vem para encontrar-te, e quatrocentos homens com ele. Então Jacó temeu muito e angustiou-se; e repartiu o povo que com ele estava, e as ovelhas, e as vacas, e os camelos, em dois bandos. Porque dizia: Se Esaú vier a um bando e o ferir, o outro bando escapará." (Gn 32:6-8). </p>
<p>O medo de Jacó tinha precedentes. Ele havia trapaceado e enganado o irmão, e agora recebera aquela notícia aterrorizadora. Fico imaginando a angústia daquele homem, agora despatriado. e com saudades da sua gente e da sua terra, buscando um lugar para se estabelecer, levando consigo duas esposas e filhos pequenos, e, sob a sua responsabilidade, mais um tanto de gente, que, em sua angústia, imaginava: poderiam ser mortos pelas mãos de Esaú a qualquer momento. Jacó então orou à Deus, pedindo livramento diante da possível fúria do irmão. Em seguida armou uma estratégia, que pode ser interpretada como um pedido de perdão, ou um suborno: enviou presentes ao irmão (conf. v. 14-20).</p>
<p>Jacó passou a noite naquele lugar. De noite levantou-se e levou a família e os seus pertences para um lugar seguro, e ao ficar só lutou com um homem durante a noite toda, e o venceu. Jacó o segurou e não quis soltá-lo. "E disse: Deixa-me ir, porque já a alva subiu. Porém ele disse: Não te deixarei ir, se não me abençoares.<br />
E disse-lhe: Qual é o teu nome? E ele disse: Jacó.<br />
Então disse: Não te chamarás mais Jacó, mas Israel; pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens, e prevaleceste.<br />
E Jacó lhe perguntou, e disse: Dá-me, peço-te, a saber o teu nome. E disse: Por que perguntas pelo meu nome? E abençoou-o ali.<br />
E chamou Jacó o nome daquele lugar Peniel, porque dizia: Tenho visto a Deus face a face, e a minha alma foi salva."<br />
(Gênesis 32:26-30)</p>
<p>Jacó não sabia, mas estava lutando com o Senhor. O Senhor o colocou à prova, ele passou naquele teste de perseverança e limpeza da alma, forjando em Jacó, agora Israel, um caráter reto, pois até então, o caráter de Jacó era dúbio, e o seu nome, Jacó traduzia muito bem isso: Jacó significa TRAPACEIRO! Doravante ele não seria mais chamado de" trapaceiro", mas de ISRAEL, pois era um vencedor, com o caráter forjado no fogo de Deus. E, de Israel, Deus fez surgir as doze tribos, das doze tribos, Deus fez surgir o Seu Filho Amado, Jesus Cristo.</p>
<p>Leia o capítulo 32 por inteiro e reflita conosco. Tenham um dia abençoado na presença do Deus Todo-poderoso que pode mudar tudo em nossas vidas. Aproveitem o dia com as suas famílias, e tenham uma ótima e abençoada semana.</p>
<p>Austri Junior - Teólogo
Bom Dia!
Reflexão do Dia:A nossa reflexão de hoje é simples e rápida, e encontra-se no livro de Gênesis, nos capítulos 30 e 31.

AS NOSSA AÇÕES DETERMINAM AS NOSSAS VIDAS
No capítulo 30 vemos as esposas de Jacó competindo pelo seu amor e pela sua atenção, disputando quem lhe daria mais filhos. No capítulo 31, Jacó foge da casa do seu sogro e tio, Labão, rumo à casa paterna.

Jacó pagou caro pelo tempo em que viveu na casa de Labão, foi enganado diversas vezes: teve o salário mudado dez vezes e a sua viagem de volta culminou em discussão com o sogro, mas no fim tudo acabou bem, pois Deus estava com Jacó.

Leias os respectivos capítulos por inteiro e construa você mesmo as suas conclusões.

Paz e Bem amadas e amados do Senhor!
Tenham um ótimo e abençoado dia, e aproveite o fim de semana com a sua família.

Austri Junior – Teólogo

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:</p>
<p>A nossa reflexão de hoje é simples e rápida, e encontra-se no livro de Gênesis, nos capítulos 30 e 31.</p>
<p>AS NOSSA AÇÕES DETERMINAM AS NOSSAS VIDAS<br />
No capítulo 30 vemos as esposas de Jacó competindo pelo seu amor e pela sua atenção, disputando quem lhe daria mais filhos. No capítulo 31, Jacó foge da casa do seu sogro e tio, Labão, rumo à casa paterna.</p>
<p>Jacó pagou caro pelo tempo em que viveu na casa de Labão, foi enganado diversas vezes: teve o salário mudado dez vezes e a sua viagem de volta culminou em discussão com o sogro, mas no fim tudo acabou bem, pois Deus estava com Jacó.</p>
<p>Leias os respectivos capítulos por inteiro e construa você mesmo as suas conclusões.</p>
<p>Paz e Bem amadas e amados do Senhor!<br />
Tenham um ótimo e abençoado dia, e aproveite o fim de semana com a sua família.</p>
<p>Austri Junior - Teólogo
Bom Dia!
Reflexão do do Dia:AS NOSSAS ESCOLHAS DETERMINAM OS NOSSOS CAMINHOS

A nossa reflexão de hoje está no capítulo 29 do livro de Gênesis.
Como vimos anteriormente, Jacó sai da casa do seu pai por ter trapaceado o seu irmão, primeiro roubando -lhe a primogenitura, depois, roubando-lhe a bênção. Essas duas péssimas escolhas que Jacó fez em sua vida lhe trouxeram alguns maus momentos.

Ao chegar em terras orientais Jacó encontrou-se com a sua prima Raquel e em seguida com o seu tio Labão (v. 13).
“E Jacó amou Raquel. Então Jacó disse a Labão: Eu o servirei durante sete anos em troca de sua filha mais nova, Raquel. Labão respondeu: É melhor dá-la a você do que a outro qualquer. Fique comigo”(Gn 29: 18-19).

Mas Labão o enganou, e deu-lhe primeiramente a sua filha mais velha, a Lia:
“À noite, pegou sua filha Lia, e a levou para Jacó. E Jacó dormiu com ela (…) Na manhã seguinte, Jacó descobriu que era Lia, e disse a Labão: O que você fez comigo? Não foi por Raquel que eu o servi? Por que você me enganou? (…) Labão respondeu: Em nossa região não é costume que a mais nova se case antes da mais velha. Termine esta semana de núpcias, e eu lhe darei também a outra em troca do serviço que você me fará durante outros sete anos. Jacó aceitou. Terminou a semana de núpcias, e Labão lhe deu sua filha Raquel como mulher. Labão deu sua serva Bala como serva para a sua filha Raquel. Jacó uniu-se a Raquel, e amou a Raquel mais do que a Lia. E serviu na casa do seu tio outros sete anos” (Gn 29:23-30).

Labão precisava ter mentido? não poderia ele dizer a verdade para Jacó? Mas a questão talvez fosse: Se Labão tivesse dito a verdade para Jacó, talvez Jacó não tivesse aceitado o acordo. Mas isso são suposições. A verdade é que, da mesma forma como Jacó trapaceou com Esaú, agora o seu tio Labão trapaceara com ele: “O que você fez comigo? Não foi por Raquel que eu o servi? PORQUE VOCÊ ME ENGANOU?” (v. 25).

Labão negociou suas filhas com Jacó, como a maioria dos mercadores do oriente naquela época – e até hoje fazem – com as suas mercadorias no mercado: com desonestidade. Era costume naquela época, dar um dote ao pai da noiva. Como Jacó não tinha posses, Pagou com o seu trabalho.

Tudo que que fazemos nessa vida terá retorno. Cada atitude nossa é uma semente plantada, que certamente germinará, e nós colheremos.

Tenham todos um dia abençoado na presença do Altíssimo!
Graça, Paz e bem aos vossos corações!!
Austri Junior – Teólogo

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do do Dia:</p>
<p>AS NOSSAS ESCOLHAS DETERMINAM OS NOSSOS CAMINHOS</p>
<p>A nossa reflexão de hoje está no capítulo 29 do livro de Gênesis.<br />
Como vimos anteriormente, Jacó sai da casa do seu pai por ter trapaceado o seu irmão, primeiro roubando -lhe a primogenitura, depois, roubando-lhe a bênção. Essas duas péssimas escolhas que Jacó fez em sua vida lhe trouxeram alguns maus momentos.</p>
<p>Ao chegar em terras orientais Jacó encontrou-se com a sua prima Raquel e em seguida com o seu tio Labão (v. 13).<br />
"E Jacó amou Raquel. Então Jacó disse a Labão: Eu o servirei durante sete anos em troca de sua filha mais nova, Raquel. Labão respondeu: É melhor dá-la a você do que a outro qualquer. Fique comigo"(Gn 29: 18-19).</p>
<p>Mas Labão o enganou, e deu-lhe primeiramente a sua filha mais velha, a Lia:<br />
 "À noite, pegou sua filha Lia, e a levou para Jacó. E Jacó dormiu com ela (...)  Na manhã seguinte, Jacó descobriu que era Lia, e disse a Labão: O que você fez comigo? Não foi por Raquel que eu o servi? Por que você me enganou? (...) Labão respondeu: Em nossa região não é costume que a mais nova se case antes da mais velha. Termine esta semana de núpcias, e eu lhe darei também a outra em troca do serviço que você me fará durante outros sete anos. Jacó aceitou. Terminou a semana de núpcias, e Labão lhe deu sua filha Raquel como mulher. Labão deu sua serva Bala como serva para a sua filha Raquel. Jacó uniu-se a Raquel, e amou a Raquel mais do que a Lia. E serviu na casa do seu tio outros sete anos" (Gn 29:23-30).</p>
<p>Labão precisava ter mentido? não poderia ele dizer a verdade para Jacó? Mas a questão talvez fosse: Se Labão tivesse dito a verdade para Jacó, talvez Jacó não tivesse aceitado o acordo. Mas isso são suposições. A verdade é que, da mesma forma como Jacó trapaceou com Esaú, agora o seu tio Labão trapaceara com ele: "O que você fez comigo? Não foi por Raquel que eu o servi? PORQUE VOCÊ ME ENGANOU?" (v. 25). </p>
<p>Labão negociou suas filhas com Jacó, como a maioria dos mercadores do oriente naquela época - e até hoje fazem - com as suas mercadorias no mercado: com desonestidade. Era costume naquela época, dar um dote ao pai da noiva. Como Jacó não tinha posses, Pagou com o seu trabalho.</p>
<p>Tudo que que fazemos nessa vida terá retorno. Cada atitude nossa é uma semente plantada, que certamente germinará, e nós colheremos. </p>
<p>Tenham todos um dia abençoado na presença do Altíssimo!<br />
Graça, Paz e bem aos vossos corações!!<br />
Austri Junior - Teólogo

Bom Dia!
Reflexão do Dia:O SENHOR ENDIREITA AS NOSSAS VEREDAS
(Gênesis 28)

1 E Isaque chamou a Jacó, e abençoou-o, e ordenou-lhe, e disse-lhe: Não tomes mulher de entre as filhas de Canaã;

2 Levanta-te, vai a Padã-Arã, à casa de Betuel, pai de tua mãe, e toma de lá uma mulher das filhas de Labão, irmão de tua mãe;

3 E Deus Todo-Poderoso te abençoe, e te faça frutificar, e te multiplique, para que sejas uma multidão de povos;

4 E te dê a bênção de Abraão, a ti e à tua descendência contigo, para que em herança possuas a terra de tuas peregrinações, que Deus deu a Abraão.

5 Assim despediu Isaque a Jacó, o qual se foi a Padã-Arã, a Labão, filho de Betuel, arameu, irmão de Rebeca, mãe de Jacó e de Esaú.

6 Vendo, pois, Esaú que Isaque abençoara a Jacó, e o enviara a Padã-Arã, para tomar mulher dali para si, e que, abençoando-o, lhe ordenara, dizendo: Não tomes mulher das filhas de Canaã;

7 E que Jacó obedecera a seu pai e a sua mãe, e se fora a Padã-Arã;

8 Vendo também Esaú que as filhas de Canaã eram más aos olhos de Isaque seu pai,

9 Foi Esaú a Ismael, e tomou para si por mulher, além das suas mulheres, a Maalate filha de Ismael, filho de Abraão, irmã de Nebaiote.

10 Partiu, pois, Jacó de Berseba, e foi a Harã;

11 E chegou a um lugar onde passou a noite, porque já o sol era posto; e tomou uma das pedras daquele lugar, e a pôs por seu travesseiro, e deitou-se naquele lugar.

12 E sonhou: e eis uma escada posta na terra, cujo topo tocava nos céus; e eis que os anjos de Deus subiam e desciam por ela;

13 E eis que o Senhor estava em cima dela, e disse: Eu sou o Senhor Deus de Abraão teu pai, e o Deus de Isaque; esta terra, em que estás deitado, darei a ti e à tua descendência;

14 E a tua descendência será como o pó da terra, e estender-se-á ao ocidente, e ao oriente, e ao norte, e ao sul, e em ti e na tua descendência serão benditas todas as famílias da terra;

15 E eis que estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei tornar a esta terra; porque não te deixarei, até que haja cumprido o que te tenho falado.

16 Acordando, pois, Jacó do seu sono, disse: Na verdade o Senhor está neste lugar; e eu não o sabia.

17 E temeu, e disse: Quão terrível é este lugar! Este não é outro lugar senão a casa de Deus; e esta é a porta dos céus.

18 Então levantou-se Jacó pela manhã de madrugada, e tomou a pedra que tinha posto por seu travesseiro, e a pôs por coluna, e derramou azeite em cima dela.

19 E chamou o nome daquele lugar Betel; o nome porém daquela cidade antes era Luz.

20 E Jacó fez um voto, dizendo: Se Deus for comigo, e me guardar nesta viagem que faço, e me der pão para comer, e vestes para vestir;

21 E eu em paz tornar à casa de meu pai, o Senhor me será por Deus;

22 E esta pedra que tenho posto por coluna será casa de Deus; e de tudo quanto me deres, certamente te darei o dízimo.
***

Estamos há quase duas semanas refletindo sobre os acontecimentos bíblicos registrados no livro de Gênesis, e ontem vimos que Jacó, com ajuda da sua mãe Rebeca, trapaceou e roubou a bênção do seu irmão Esaú. Então, no capítulo 28, Isaque, seu pai, o envia para a casa do seu tio Labão, em terras longínquas por dois motivos:
1) Esaú o jurou de morte;
2) Isaque e Rebeca não se agradavam das mulheres do local e enviaram o filho para se casar com algum de sua parentela, algo muito comum naquela época, por isso eles sempre diziam que as suas esposas eram suas irmãs, e eram mesmo, visto que primos e primas eram irmãos e irmãs para eles.

Bem, o fato de Isaque enviar o seu filho para longe do irmão quer dizer algo muito mais importante que preservar a vida dele e arranjar-lhe um casamento em família; significa que Isaque perdoou a trapaça do filho. Pois quando ele trapaceou enganou não somente o irmão, mas também o próprio pai, e mentiu em nome de Deus. mesmo assim, aqui no capítulo 28, vemos Deus abençoando Jacó. Porque? Que Deus é Esse?

Deus é um Deus de Amor, Perdão e Misericórdia. Aqui também estamos vendo Deus perdoar Jacó. Tudo isso aconteceu para que se cumprissem as promessas de Deus. Há um adágio popular que diz: “Deus escreve certo por linhas tortas”. Já vi mentes cheias de religiosidade “quicar” com esse adágio e se aborrecer ao ponto de discutir bravamente, dizendo que Deus não escreve por “linhas tortas”. Na verdade o que o adágio está dizendo é: “Deus endireita as nossas veredas”. É verdade! O Senhor nos perdoa porque nos ama. Ele limpa, lava, purifica, dá novas oportunidades… Não podemos negar, está escrito! Está bem à nossa frente, é só abrir a bíblia e ler, e depois fazermos a nossa parte. Jacó fez a parte dele: reconheceu a Grandeza do Senhor, ergueu um altar para o Senhor Deus, e reconheceu que Deus estava naquele lugar. Jacó reconheceu que ali era a casa de Deus – Betel.

Jacó ainda vai sofrer bastante, será enganado pelo tio, assim como ele enganou o pai e o irmão, mas Deus estará sempre com ele. Onde existe amor, existe perdão!

O Senhor abençoe e guarde a todos!
Austri Junior – Teólogo

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:</p>
<p>O SENHOR ENDIREITA AS NOSSAS VEREDAS<br />
(Gênesis 28)</p>
<p>1 E Isaque chamou a Jacó, e abençoou-o, e ordenou-lhe, e disse-lhe: Não tomes mulher de entre as filhas de Canaã;</p>
<p>2 Levanta-te, vai a Padã-Arã, à casa de Betuel, pai de tua mãe, e toma de lá uma mulher das filhas de Labão, irmão de tua mãe;</p>
<p>3 E Deus Todo-Poderoso te abençoe, e te faça frutificar, e te multiplique, para que sejas uma multidão de povos;</p>
<p>4 E te dê a bênção de Abraão, a ti e à tua descendência contigo, para que em herança possuas a terra de tuas peregrinações, que Deus deu a Abraão.</p>
<p>5 Assim despediu Isaque a Jacó, o qual se foi a Padã-Arã, a Labão, filho de Betuel, arameu, irmão de Rebeca, mãe de Jacó e de Esaú.</p>
<p>6 Vendo, pois, Esaú que Isaque abençoara a Jacó, e o enviara a Padã-Arã, para tomar mulher dali para si, e que, abençoando-o, lhe ordenara, dizendo: Não tomes mulher das filhas de Canaã;</p>
<p>7 E que Jacó obedecera a seu pai e a sua mãe, e se fora a Padã-Arã;</p>
<p>8 Vendo também Esaú que as filhas de Canaã eram más aos olhos de Isaque seu pai,</p>
<p>9 Foi Esaú a Ismael, e tomou para si por mulher, além das suas mulheres, a Maalate filha de Ismael, filho de Abraão, irmã de Nebaiote.</p>
<p>10 Partiu, pois, Jacó de Berseba, e foi a Harã;</p>
<p>11 E chegou a um lugar onde passou a noite, porque já o sol era posto; e tomou uma das pedras daquele lugar, e a pôs por seu travesseiro, e deitou-se naquele lugar.</p>
<p>12 E sonhou: e eis uma escada posta na terra, cujo topo tocava nos céus; e eis que os anjos de Deus subiam e desciam por ela;</p>
<p>13 E eis que o Senhor estava em cima dela, e disse: Eu sou o Senhor Deus de Abraão teu pai, e o Deus de Isaque; esta terra, em que estás deitado, darei a ti e à tua descendência;</p>
<p>14 E a tua descendência será como o pó da terra, e estender-se-á ao ocidente, e ao oriente, e ao norte, e ao sul, e em ti e na tua descendência serão benditas todas as famílias da terra;</p>
<p>15 E eis que estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei tornar a esta terra; porque não te deixarei, até que haja cumprido o que te tenho falado.</p>
<p>16 Acordando, pois, Jacó do seu sono, disse: Na verdade o Senhor está neste lugar; e eu não o sabia.</p>
<p>17 E temeu, e disse: Quão terrível é este lugar! Este não é outro lugar senão a casa de Deus; e esta é a porta dos céus.</p>
<p>18 Então levantou-se Jacó pela manhã de madrugada, e tomou a pedra que tinha posto por seu travesseiro, e a pôs por coluna, e derramou azeite em cima dela.</p>
<p>19 E chamou o nome daquele lugar Betel; o nome porém daquela cidade antes era Luz.</p>
<p>20 E Jacó fez um voto, dizendo: Se Deus for comigo, e me guardar nesta viagem que faço, e me der pão para comer, e vestes para vestir;</p>
<p>21 E eu em paz tornar à casa de meu pai, o Senhor me será por Deus;</p>
<p>22 E esta pedra que tenho posto por coluna será casa de Deus; e de tudo quanto me deres, certamente te darei o dízimo.<br />
***</p>
<p>Estamos há quase duas semanas refletindo sobre os acontecimentos bíblicos registrados no livro de Gênesis, e ontem vimos que Jacó, com ajuda da sua mãe Rebeca, trapaceou e roubou a bênção do seu irmão Esaú. Então, no capítulo 28, Isaque, seu pai, o envia para a casa do seu tio Labão, em terras longínquas por dois motivos:<br />
1) Esaú o jurou de morte;<br />
2) Isaque e Rebeca não se agradavam das mulheres do local e enviaram o filho para se casar com algum de sua parentela, algo muito comum naquela época, por isso eles sempre diziam que as suas esposas eram suas irmãs, e eram mesmo, visto que primos e primas eram irmãos e irmãs para eles.</p>
<p>Bem, o fato de Isaque enviar o seu filho para longe do irmão quer dizer algo muito mais importante que preservar a vida dele e arranjar-lhe um casamento em família; significa que Isaque perdoou a trapaça do filho. Pois quando ele trapaceou enganou não somente o irmão, mas também o próprio pai, e mentiu em nome de Deus. mesmo assim, aqui no capítulo 28, vemos Deus abençoando Jacó. Porque? Que Deus é Esse?</p>
<p>Deus é um Deus de Amor, Perdão e Misericórdia. Aqui também estamos vendo Deus perdoar Jacó. Tudo isso aconteceu para que se cumprissem as promessas de Deus. Há um adágio popular que diz: "Deus escreve certo por linhas tortas". Já vi mentes cheias de religiosidade "quicar" com esse adágio e se aborrecer ao ponto de discutir bravamente, dizendo que Deus não escreve por "linhas tortas". Na verdade o que o adágio está dizendo é: "Deus endireita as nossas veredas". É verdade! O Senhor nos perdoa porque nos ama. Ele limpa, lava, purifica, dá novas oportunidades... Não podemos negar, está escrito! Está bem à nossa frente, é só abrir a bíblia e ler, e depois fazermos a nossa parte. Jacó fez a parte dele: reconheceu a Grandeza do Senhor, ergueu um altar para o Senhor Deus, e reconheceu que Deus estava naquele lugar. Jacó reconheceu que ali era a casa de Deus - Betel. </p>
<p>Jacó ainda vai sofrer bastante, será enganado pelo tio, assim como ele enganou o pai e o irmão, mas Deus estará sempre com ele. Onde existe amor, existe perdão!</p>
<p>O Senhor abençoe e guarde a todos!<br />
Austri Junior - Teólogo
Bom Dia!
Reflexão do Dia:A ASSOCIAÇÃO COM O MAL ( E COM OS MAUS) TRAZ AMARGURAS E SOFRIMENTOS PARA TODOS.

A nossa reflexão de hoje está no capítulo 27 do livro de Gênesis, e nos traz grandes lições e aprendizagens.

Isaac envelheceu e ficou cego, então “chamou a Esaú, seu filho mais velho, e disse-lhe: Meu filho. E ele lhe disse: Eis-me aqui. E ele disse: Eis que já agora estou velho, e não sei o dia da minha morte; agora, pois, toma as tuas armas, a tua aljava e o teu arco, e sai ao campo, e apanha para mim alguma caça. E faze-me um guisado saboroso, como eu gosto, e traze-mo, para que eu coma; para que minha alma te abençoe, antes que morra”.
(Gênesis 27:1-4)

Jacó rouba a bênção de Esaú sob a orientação da sua própria mãe Rebeca:
“E Rebeca escutou quando Isaque falava ao seu filho Esaú. E foi Esaú ao campo para apanhar a caça que havia de trazer. Então falou Rebeca a Jacó seu filho, dizendo: Eis que tenho ouvido o teu pai que falava com Esaú teu irmão, dizendo: Traze-me caça, e faze-me um guisado saboroso, para que eu coma, e te abençoe diante da face do Senhor, antes da minha morte. Agora, pois, filho meu, ouve a minha voz naquilo que eu te mando: Vai agora ao rebanho, e traze-me de lá dois bons cabritos, e eu farei deles um guisado saboroso para teu pai, como ele gosta; e levá-lo-ás a teu pai, para que o coma; para que te abençoe antes da sua morte”.
(Gênesis 27:5-10)

Que tipo de mãe faz uma coisa dessas?
Observando bem, o texto, podemos observar algumas semelhanças entre Eva, Sara e Rebeca: todas três se interpuseram entre as ordens e os planos de Deus para os seus maridos e respectivamente para os seus filhos. Por isso a bíblia orienta: “Toda mulher sábia edifica a sua casa; mas a tola a derruba com as próprias mãos” (Provérbios 14:1).

O resultado disso foi ódio e inimizade entre irmãos, família dividida, pai e filho enganados, magoados e amargurados pela trapaça. E o pior de tudo isso foi que Jacó mentiu para o seu pai em nome de Deus: “E foi ele a seu pai, e disse: Meu pai! E ele disse: Eis-me aqui; quem és tu, meu filho? E Jacó disse a seu pai: Eu sou Esaú, teu primogênito; tenho feito como me disseste; levanta-te agora, assenta-te e come da minha caça, para que a tua alma me abençoe. Então disse Isaque a seu filho: Como é isto, que tão cedo a achaste, filho meu? E ele disse: Porque o Senhor teu Deus a mandou ao meu encontro” (Gênesis 27:18-20).

Quantas pessoas mentiram e continuam mentindo em O Nome do Senhor, ainda nos dias de hoje? São muitas! E uma grande parte dessas pessoas mente em Nome do Altíssimo quando estão no púlpito pregando e ou testemunhando, somente para se engrandecer, e receber as honras e as glória do homem. Muitas mentem para extorquir e enganar as pessoas, assim como Jacó e Rebeca fizeram com Isaac e com Esaú.

Jacó pagou um preço (literalmente) caro, pois teve que fugir para a casa de Labão, seu tio, e o resultado disso veremos nos próximos dias. Precisamos escolher à quem devemos seguir à Deus ou aos seres humanos (desumanos) e inescrupulosos, que fazem de tudo (o que é errado) para alcançarem os seus objetivos.

Tenham um ótimo e abençoado dia, na presença do Deus Altíssimo e Todo-poderoso, e busquemos o bem e os bons, ao invés de nos associarmos com o mal e com os maus.
Graça, Paz e Bem aos nossos corações!

Austri Junior – Teólogo

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:</p>
<p>A ASSOCIAÇÃO COM O MAL ( E COM OS MAUS) TRAZ AMARGURAS E SOFRIMENTOS PARA TODOS.</p>
<p>A nossa reflexão de hoje está no capítulo 27 do livro de Gênesis, e nos traz grandes lições e aprendizagens.</p>
<p>Isaac envelheceu e ficou cego, então "chamou a Esaú, seu filho mais velho, e disse-lhe: Meu filho. E ele lhe disse: Eis-me aqui. E ele disse: Eis que já agora estou velho, e não sei o dia da minha morte; agora, pois, toma as tuas armas, a tua aljava e o teu arco, e sai ao campo, e apanha para mim alguma caça. E faze-me um guisado saboroso, como eu gosto, e traze-mo, para que eu coma; para que minha alma te abençoe, antes que morra".<br />
(Gênesis 27:1-4)</p>
<p>Jacó rouba a bênção de Esaú sob a orientação da sua própria mãe Rebeca:<br />
"E Rebeca escutou quando Isaque falava ao seu filho Esaú. E foi Esaú ao campo para apanhar a caça que havia de trazer. Então falou Rebeca a Jacó seu filho, dizendo: Eis que tenho ouvido o teu pai que falava com Esaú teu irmão, dizendo: Traze-me caça, e faze-me um guisado saboroso, para que eu coma, e te abençoe diante da face do Senhor, antes da minha morte. Agora, pois, filho meu, ouve a minha voz naquilo que eu te mando: Vai agora ao rebanho, e traze-me de lá dois bons cabritos, e eu farei deles um guisado saboroso para teu pai, como ele gosta; e levá-lo-ás a teu pai, para que o coma; para que te abençoe antes da sua morte".<br />
(Gênesis 27:5-10)</p>
<p>Que tipo de mãe faz uma coisa dessas?<br />
Observando bem, o texto, podemos observar algumas semelhanças entre Eva, Sara e Rebeca: todas três se interpuseram entre as ordens e os planos de Deus para os seus maridos e respectivamente para os seus filhos. Por isso a bíblia orienta: "Toda mulher sábia edifica a sua casa; mas a tola a derruba com as próprias mãos" (Provérbios 14:1).</p>
<p>O resultado disso foi ódio e inimizade entre irmãos, família dividida, pai e filho enganados, magoados e amargurados pela trapaça. E o pior de tudo isso foi que Jacó mentiu para o seu pai em nome de Deus: "E foi ele a seu pai, e disse: Meu pai! E ele disse: Eis-me aqui; quem és tu, meu filho? E Jacó disse a seu pai: Eu sou Esaú, teu primogênito; tenho feito como me disseste; levanta-te agora, assenta-te e come da minha caça, para que a tua alma me abençoe. Então disse Isaque a seu filho: Como é isto, que tão cedo a achaste, filho meu? E ele disse: Porque o Senhor teu Deus a mandou ao meu encontro" (Gênesis 27:18-20). </p>
<p>Quantas pessoas mentiram e continuam mentindo em  O Nome do Senhor, ainda nos dias de hoje? São muitas! E uma grande parte dessas pessoas mente em Nome do Altíssimo quando estão no púlpito pregando e ou testemunhando, somente para se engrandecer, e receber as honras e as glória do homem. Muitas mentem para extorquir e enganar as pessoas, assim como Jacó e Rebeca fizeram com Isaac e com Esaú.</p>
<p>Jacó pagou um preço (literalmente) caro, pois teve que fugir para a casa de Labão, seu tio, e o resultado disso veremos nos próximos dias.  Precisamos escolher à quem devemos seguir à Deus ou aos seres humanos (desumanos) e inescrupulosos, que fazem de tudo (o que é errado) para alcançarem os seus objetivos.</p>
<p>Tenham um ótimo e abençoado dia, na presença do Deus Altíssimo e Todo-poderoso, e busquemos o bem e os bons, ao invés de nos associarmos com o mal e com os maus.<br />
Graça, Paz e Bem aos nossos corações!</p>
<p>Austri Junior - Teólogo
Bom Dia!
Reflexão do Dia:MESMO QUE COMETAMOS ALGUNS ERROS BUSQUEMOS NOS CONSERTAR. DEUS ESTÁ PRESENTE E TUDO OBSERVANDO.
SE REDIMIRMO-NOS, ELE NOS ABENÇOARÁ…

Hoje vamos refletir o texto bíblico no capítulo 26 do livro de Gênesis:

Isaac saiu do lugar de onde estava e foi para outra terra – Gerara. Ao chegar fez a mesma coisa que o seu pai Abraão fez, e pelo mesmo motivo, o medo de ser morto por causa da beleza da esposa. Disse ele para aos homens daquele lugar: “Ela é minha irmã” (7b).

Podemos concluir facilmente – e a história registrou esses fatos – que naquela época os homens eram mortos ou atacados por homens bárbaros, se tivessem esposas bonitas. Eram tempos difíceis, povos hostis, terra sem lei. Por isso a necessidade de um código como o de Hamurabi, e, para o povo de Deus, Os Dez Mandamentos, para que eles não se tornassem como os seus vizinhos: hostis e malévolos.

Vemos também a inveja operando, por Isaac ser melhor sucedido que eles. Primeiro, entulharam os poços d’água. Sem água é impossível sobreviver, principalmente em uma terra seca e desértica. E depois, expulsaram Isaac porque ele ficou mais poderoso que o povo do lugar (conf. 12-17). Por medo de serem atacados por Isaac, uma vez que observaram que Deus estava abençoando-o, os vizinhos de Isaac o procuraram para selar um pacto de Paz. Eles foram muito bem recebidos e muito bem tratados.

Bem, nunca é tarde para pedir perdão. Quem tem Deus no seu coração perdoa. Assim sendo, as bênçãos de Deus virão, para um coração perdoador e para uma mente sábia. Isso é andar nos caminhos do Senhor.

Tenham todos, um ótimo e abençoado dia, na presença do Altíssimo. Graça, Paz e Bem!
Austri Junior – Teólogo

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:</p>
<p>MESMO QUE COMETAMOS ALGUNS ERROS BUSQUEMOS NOS CONSERTAR. DEUS ESTÁ PRESENTE E TUDO OBSERVANDO.<br />
SE REDIMIRMO-NOS, ELE NOS ABENÇOARÁ...</p>
<p>Hoje vamos refletir o texto bíblico no capítulo 26 do livro de Gênesis:</p>
<p>Isaac saiu do lugar de onde estava e foi para outra terra - Gerara. Ao chegar fez a mesma coisa que o seu pai Abraão fez, e pelo mesmo motivo, o medo de ser morto por causa da beleza da esposa. Disse ele para aos homens daquele lugar: "Ela é minha irmã" (7b).</p>
<p>Podemos concluir facilmente - e a história registrou esses fatos - que naquela época os homens eram mortos ou atacados por homens bárbaros, se tivessem esposas bonitas. Eram tempos difíceis, povos hostis, terra sem lei. Por isso a necessidade de um código como o de Hamurabi, e, para o povo de Deus, Os Dez Mandamentos, para que eles não se tornassem como os seus vizinhos: hostis e malévolos.</p>
<p>Vemos também a inveja operando, por Isaac ser melhor sucedido que eles. Primeiro, entulharam os poços d'água. Sem água é impossível sobreviver, principalmente em uma terra seca e desértica. E depois, expulsaram Isaac porque ele ficou mais poderoso que o povo do lugar (conf. 12-17). Por medo de serem atacados por Isaac, uma vez que observaram que Deus estava abençoando-o, os vizinhos de Isaac o procuraram para selar um pacto de Paz. Eles foram muito bem recebidos e muito bem tratados.</p>
<p>Bem, nunca é tarde para pedir perdão. Quem tem Deus no seu coração perdoa. Assim sendo, as bênçãos de Deus virão, para um coração perdoador e para uma mente sábia. Isso é andar nos caminhos do Senhor.</p>
<p>Tenham todos, um ótimo e abençoado dia, na presença do Altíssimo. Graça, Paz e Bem!<br />
Austri Junior - Teólogo
Bom Dia!
Reflexão do Dia:NÃO DESPREZE AQUILO QUE DEUS LHE DEU

Em Gênesis capítulo 25, Esaú vendeu a sua primogenitura para Jacó por um prato de lentilhas conforme está escrito no versículo 33b. Esaú assim o fez por estar faminto.

Ao chegar do campo faminto, pediu ao irmão, Jacó um pouco da sua comida. Jacó o chantageou dizendo que só lhe daria a comida se ele, Esaú, lhe vendesse o direito da sua primogenitura (25: 29-31).

Jamais devemos jogar fora o que é nosso por direito. Principalmente se nos foi dado por Deus. Tudo o que possuímos por direito de nascimento, tudo o que for ganho por merecimento, e tudo o que conquistamos honestamente nos foi dado por Deus, e é nosso por direito. Jamais devemos desprezar ou menosprezar tal dom. O dom é sempre um presente de Deus.
Assim também, não devemos cobiçar o que é dos outros!

Tenham um bom dia e uma semana abençoada, na presença do Senhor, cheios de Graça e Paz!

Austri JuniorTeólogo

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:</p>
<p>NÃO DESPREZE AQUILO QUE DEUS LHE DEU</p>
<p>Em Gênesis capítulo 25, Esaú vendeu a sua primogenitura  para Jacó por um prato de lentilhas conforme está escrito no versículo 33b. Esaú assim o fez por estar faminto. </p>
<p>Ao chegar do campo faminto, pediu ao irmão, Jacó um pouco da sua comida. Jacó o chantageou dizendo que só lhe daria a comida se ele, Esaú, lhe vendesse o direito da sua primogenitura (25: 29-31).</p>
<p>Jamais devemos jogar fora o que é nosso por direito. Principalmente se nos foi dado por Deus. Tudo o que possuímos por direito de nascimento, tudo o que for ganho por merecimento, e tudo o que conquistamos honestamente nos foi dado por Deus, e é nosso por direito. Jamais devemos desprezar ou menosprezar tal dom. O dom é sempre um presente de Deus.<br />
Assim também, não devemos cobiçar o que é dos outros!</p>
<p>Tenham um bom dia e uma semana abençoada, na presença do Senhor, cheios de Graça e Paz!</p>
<p>Austri Junior - Teólogo
Reflexão Dominical:JESUS É A PALAVRA DE DEUS!
Evangelho do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo segundo escreveu João, no capítulo 1: 1-14:

João 1

1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.

2 Ele estava no princípio com Deus.

3 Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.

4 Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.

5 E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam.

6 Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João.

7 Este veio para testemunho, para que testificasse da luz, para que todos cressem por ele.

8 Não era ele a luz, mas para que testificasse da luz.

9 Ali estava a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem que vem ao mundo.

10 Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu.

11 Veio para o que era seu, e os seus não o receberam.

12 Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome;

13 Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.

14 E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.
***

Jesus é o Verbo de Deus que encarnou, veio ao mundo e se tornou a Luz dos homens. Não tenho muito o que dizer, pois o texto diz tudo muito claramente, e nesse caso, o texto está auto interpretado. No entanto, só quero acentuar, que JESUS É A PALAVRA DO DEUS VIVO: “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e luz, para os meus caminhos”(Sl 119:105). Andemos pois nos caminhos de Jesus. Caminhos de Luz! E guardemos em nosso coração a Palavra de Deus, conforme o Salmos 119:11: “Guardo no coração as tuas palavras para para não pecar contra ti.”

O MELHOR LUGAR PARA GUARDARMOS JESUS EM NOSSAS VIDAS, NÃO É EM NOSSA BOCA, MAS EM NOSSOS CORAÇÕES, “POIS A BOCA FALA DO QUE ESTÁ CHEIO O CORAÇÃO” (Mt 12:34b)
Austri Junior – Teólogo

Foto: Reflexão Dominical:</p>
<p>JESUS É A PALAVRA DE DEUS!<br />
Evangelho do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo segundo escreveu João, no capítulo 1: 1-14:</p>
<p>João 1</p>
<p>1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.</p>
<p>2 Ele estava no princípio com Deus.</p>
<p>3 Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.</p>
<p>4 Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.</p>
<p>5 E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam.</p>
<p>6 Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João.</p>
<p>7 Este veio para testemunho, para que testificasse da luz, para que todos cressem por ele.</p>
<p>8 Não era ele a luz, mas para que testificasse da luz.</p>
<p>9 Ali estava a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem que vem ao mundo.</p>
<p>10 Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu.</p>
<p>11 Veio para o que era seu, e os seus não o receberam.</p>
<p>12 Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome;</p>
<p>13 Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.</p>
<p>14 E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.<br />
***</p>
<p>Jesus é o Verbo de Deus que encarnou, veio ao mundo e se tornou a Luz dos homens. Não tenho muito o que dizer, pois o texto diz tudo muito claramente, e nesse caso, o texto está auto interpretado. No entanto, só quero acentuar, que JESUS É A PALAVRA DO DEUS VIVO: "Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e luz, para os meus caminhos"(Sl 119:105). Andemos pois nos caminhos de Jesus. Caminhos de Luz! E guardemos em nosso coração a Palavra de Deus, conforme o Salmos 119:11: "Guardo no coração as tuas palavras para para não pecar contra ti." </p>
<p>O MELHOR LUGAR PARA GUARDARMOS JESUS EM NOSSAS VIDAS, NÃO É EM NOSSA BOCA, MAS EM NOSSOS CORAÇÕES, "POIS A BOCA FALA DO QUE  ESTÁ CHEIO O CORAÇÃO" (Mt 12:34b)<br />
Austri Junior - Teólogo
Bom Dia!
Reflexão do Dia:DEUS PROVÊ, DEUS PROVERÁ. A SUA MISERICÓRDIA NUNCA FALTARÁ…
No capítulo 22 do livro de Gênesis Deus põe à prova a fé de Abraão, e pede-lhe um sacrifício que há muitos seria impossível. O sacrifício de Abraão seria sacrificar o seu único, querido e amado filho (conf. v. 2). Filho que o Senhor concedera a Abrão por obra de milagre, pois para Deus nada é impossível. Abraão tinha cem anos, quando a sua esposa Sara, também avançada em idade o concebeu.

Na realidade Deus não queria nenhum sacrifício a não ser testar a fé de Abraão. Muito de nós gritamos aos quatro cantos que confiamos em Deus, mas no primeiro momento de dificuldade, a fé vai embora.

Se observarmos bem, até agora, a saga de Abraão gira em torno da fé (confiança em Deus) e da obediência. E foi o que Abraão fez, confiou em Deus e obedeceu a Deus. No momento exato, Deus interveio e impediu o holocausto do menino Isaac (v. 11-12), e providenciou um cordeiro para o abate (v. 13).

É assim que Deus faz: Ama, cuida, protege, providencia, abençoa (v.18). Ele é Deus de amor, bondade, misericórdia…
LOUVEMOS AO SENHOR!

Graça, Paz e Bem aos amados de Deus, aqui e em todos os lugares do mundo.
Austri Junior – Teólogo

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:</p>
<p>DEUS PROVÊ, DEUS PROVERÁ. A SUA MISERICÓRDIA NUNCA FALTARÁ...<br />
No capítulo 22 do livro de Gênesis Deus põe à prova a fé de Abraão, e pede-lhe um sacrifício que há muitos seria impossível. O sacrifício de Abraão seria sacrificar o seu único, querido e amado filho (conf. v. 2). Filho que o Senhor concedera a Abrão por obra de milagre, pois para Deus nada é impossível. Abraão tinha cem anos, quando a sua esposa Sara, também avançada em idade o concebeu.</p>
<p>Na realidade Deus não queria nenhum sacrifício a não ser testar a fé de Abraão. Muito de nós gritamos aos quatro cantos que confiamos em Deus, mas no primeiro momento de dificuldade, a fé vai embora.</p>
<p>Se observarmos bem, até agora, a saga de Abraão gira em torno da fé (confiança em Deus) e da obediência. E foi o que Abraão fez, confiou em Deus e obedeceu a Deus. No momento exato, Deus interveio e impediu o holocausto do menino Isaac (v. 11-12), e providenciou um cordeiro para o abate (v. 13).</p>
<p>É assim que Deus faz: Ama, cuida, protege, providencia, abençoa (v.18). Ele é Deus de amor, bondade, misericórdia...<br />
LOUVEMOS AO SENHOR!</p>
<p>Graça, Paz e Bem aos amados de Deus, aqui e em todos os lugares do mundo.<br />
Austri Junior - Teólogo
Bom Dia!
Reflexão do Dia:A COMPLEXIDADE DOS SERES HUMANOS
Na medida em que vamos avançando em nossa reflexão bíblica cotidiana, no livro do Gênesis, vamos testemunhando a complexidade que é o ser humano, com seus altos e baixos, subidas e descidas…, em fim…

Em Gênesis do capítulo 18 ao capítulo 22 podemos ver Javé visitando o seu servo Abraão.

Deus enviou três anjos, que por convite de Abraão, cearam com ele, e revelaram-lhe o plano de Deus de destruir Sodoma e Gomorra:
“O Senhor disse a Abraão: ‘O clamor contra Sodoma e Gomorra cresceu, e agravou-se muito o seu pecado. Vou descer para verificar se as suas obras correspondem ou não ao clamor que chegou até mim'” (Gn 18:20-21).
Abraão então intercede pelos habitantes da cidade conforme os versículos 23-32.

Chegando à cidade, os anjos do Senhor se hospedam na casa de Ló, sobrinho de Abraão, então, os homens da cidade tentaram atacar os anjos de Deus para terem “relações com eles” (19:6b). Nesse ponto qualquer um pode entender porque O Senhor decidiu destruir a cidade.

Ló intercede pelos anjos, chegando ao ponto de oferecer àqueles homens pervertidos as suas duas filhas que ainda eram virgens, mas eles não aceitariam, pois queria praticar a “sodomia”. Os anjos então os cegaram, e eles foram embora. Pela manhã os anjos retiraram Ló e a sua família da cidade, e, durante a fuga, a mulher de Ló olhou para trás (desobedecendo uma ordem direta dos anjos de Deus), e virou estátua de sal. Já ouvi pregações que considero absurdas, onde os pregadores disseram que “a mulher de Ló flertou com o pecado”. Não penso assim. Vejo que a mulher de Ló desobedeceu à uma ordem direta de Deus (dada através dos Seus anjos), e vejo também muita curiosidade para ver o que estava acontecendo. Infelizmente existem pessoas muito curiosas, e as suas curiosidades acabam lhes colocando em perigo de morte.

Ao chegarem em outra terra as filhas de Ló o embebedaram e “deitaram-se” com ele para terem filhos com o próprio pai para lhes dar uma descendência, e Ló não percebeu nada. Há quem diga que essa atitude das filhas de Ló é fruto e resultado dos anos de convivência com o povo de Sodoma. Tenho que concordar, pois é certo o que dizem os provérbios: “Quem se mistura com porcos farelos come”, e, “Me digas com quem tu andas e eu direi quem tu és”. Na maioria das vezes esses adágios fazem muito sentido.

Abraão partiu do lugar em que se encontrava e foi para o Negueb, e cometeu o mesmo erro de antes; disse naquele lugar que Sara era sua irmã, e novamente o rei daquelas terras, Abimelec, tomou a Sara por esposa. Abraão regrediu por medo, assim como muitos de nós também regredimos às vezes. O medo e o desespero às vezes fazem com que o homem cometa muitas besteiras.

Somos todos humanos, cheios de falhas. Cheios de altos e baixos, somos seres complexos, sujeitos à erros e acertos. Um dia estamos bem, no outro estamos chafurdando na lama. É importante lutar ao máximo contra a nossa natureza humana, que nos trai todos os momentos e instantes. Ao mesmo tempo em que estamos de pé na presença de Deus, intercedendo pelas pessoas, tentando fazer o que é certo, no momento seguinte estamos caídos e cometendo os mesmos erros. O maior inimigo do homem é ele próprio. Isso só vem provar o que todos nós sabemos: Ninguém é perfeito! Mas Deus, em sua perfeição, continua nos amando, nos perdoando e nos dando novas chances e oportunidades. O Senhor levanta os caídos. Onde há amor, há perdão!

Tenham um ótimo dia, e um fim de semana maravilhoso junto com a sua família. Graça, Paz e Bem à todos!
Austri JuniorTeólogo

Foto: Bom Dia!<br />
Reflexão do Dia:</p>
<p>A COMPLEXIDADE DOS SERES HUMANOS<br />
Na medida em que vamos avançando em nossa reflexão bíblica cotidiana, no livro do Gênesis, vamos testemunhando a complexidade que é o ser humano, com seus altos e baixos, subidas e descidas..., em fim...</p>
<p>Em Gênesis do capítulo 18 ao capítulo 22 podemos ver Javé visitando o seu servo Abraão. </p>
<p>Deus enviou três anjos, que por convite de Abraão, cearam com ele, e revelaram-lhe o plano de Deus de destruir Sodoma e Gomorra:<br />
"O Senhor disse a Abraão: 'O clamor contra Sodoma e Gomorra cresceu, e agravou-se muito o seu pecado. Vou descer para verificar se as suas obras correspondem ou não ao clamor que chegou até mim'" (Gn 18:20-21).<br />
Abraão então intercede pelos habitantes da cidade conforme os versículos 23-32.</p>
<p>Chegando à cidade, os anjos do Senhor se hospedam na casa de Ló, sobrinho de Abraão, então, os homens da cidade tentaram atacar os anjos de Deus para terem "relações com eles" (19:6b). Nesse ponto qualquer um pode entender porque O Senhor decidiu destruir a cidade. </p>
<p>Ló intercede pelos anjos, chegando ao ponto de oferecer àqueles homens pervertidos as suas duas filhas que ainda eram virgens, mas eles não aceitariam, pois queria praticar a "sodomia". Os anjos então os cegaram, e eles foram embora. Pela manhã os anjos retiraram Ló e a sua família da cidade, e, durante a fuga, a mulher de Ló olhou para trás (desobedecendo uma ordem direta dos anjos de Deus), e virou estátua de sal. Já ouvi pregações que considero absurdas, onde os pregadores disseram que "a mulher de Ló flertou com o pecado". Não penso assim. Vejo que a mulher de Ló desobedeceu à uma ordem direta de Deus (dada através dos Seus anjos), e vejo também muita curiosidade para ver o que estava acontecendo. Infelizmente existem pessoas muito curiosas, e as suas curiosidades acabam lhes colocando em perigo de morte.  </p>
<p>Ao chegarem em outra terra as filhas de Ló o embebedaram e "deitaram-se" com ele para terem filhos com o próprio pai para lhes dar uma descendência, e Ló não percebeu nada. Há quem diga que essa atitude das filhas de Ló é fruto e resultado dos anos de convivência com o povo de Sodoma. Tenho que concordar, pois é certo o que dizem os provérbios: "Quem se mistura com porcos farelos come", e, "Me digas com quem tu andas e eu direi quem tu és". Na maioria das vezes esses adágios fazem muito sentido.</p>
<p>Abraão partiu do lugar em que se encontrava e foi para o Negueb, e cometeu o mesmo erro de antes; disse naquele lugar que Sara era sua irmã, e novamente o rei daquelas terras, Abimelec, tomou a Sara por esposa. Abraão regrediu por medo, assim como muitos de nós também regredimos às vezes. O medo e o desespero às vezes fazem com que o homem cometa muitas besteiras.</p>
<p>Somos todos humanos, cheios de falhas. Cheios de altos e baixos, somos seres complexos, sujeitos à erros e acertos. Um dia estamos bem, no outro estamos chafurdando na lama. É importante lutar ao máximo contra a nossa natureza humana, que nos trai todos os momentos e instantes. Ao mesmo tempo em que estamos de pé na presença de Deus, intercedendo pelas pessoas, tentando fazer o que é certo, no momento seguinte estamos caídos e cometendo os mesmos erros. O maior inimigo do homem é ele próprio. Isso só vem provar o que todos nós sabemos: Ninguém é  perfeito! Mas Deus, em sua perfeição, continua nos amando, nos perdoando e nos dando novas chances e oportunidades. O Senhor levanta os caídos. Onde há amor, há perdão!</p>
<p>Tenham um ótimo dia, e um fim de semana maravilhoso junto com a sua família. Graça, Paz e Bem à todos!<br />
Austri Junior - Teólogo
Anúncios