Tags

,

Teologia

por Austri Junior

A maioria dos conflitos não existiriam se houvessem mais equilíbrio, sabedoria e paz.

A maioria dos conflitos não existiriam se houvessem mais equilíbrio, sabedoria e paz.

“Ló, que acompanhava Abrão, também possuía ovelhas, bois e tendas, de modo que não podiam viver juntos na terra, porque suas posses eram tão grandes que não podiam morar juntos. Por isso, houve discussões entre os pastores de Abrão e os de Ló(…) Abrão disse a Ló: ‘Não haja discussões entre nós, nem no meio dos nossos pastores, porque somos irmãos. A terra inteira está diante de você. Por isso lhe peço que se separe de mim. Se você for para a esquerda, eu irei para a direita; se você for para a direita, eu irei para a esquerda'”. (Gn 13:5-9)
***

A mensagem é clara:
Irmãos não devem brigar entre si. Nem irmãos de sangue nem irmãos em cristo. É preciso ter Paz e estarmos em estado de completa Paz, para que a nossa visão alcance longe e perceba o problema e os conflitos quando eles ainda estão longe.

Abrão além de estar cheio de sabedoria, estava também, cheio de Paz. Ele tomou uma decisão sábia e sensata: separar-se de Ló.
No versículo 8 “Abrão disse a Ló: ‘Não haja discussões entre nós, nem no meio dos nossos pastores, porque somos irmãos'”.

Abrão percebeu, que, os pastores discutindo entre si (e provavelmente, eles também eram parentes = irmãos), que essa briga acabaria chegando até ele e o seu sobrinho Ló (irmão). Antes que isso acontecesse, Abrão antecipou-se, foi até o seu sobrinho e disse: “Por isso lhe peço que se separe de mim”. (conf. v.9b). Observem que Abrão não mandou, não exigiu, não brigou, não alterou a voz e não se exaltou. Ele simplesmente pediu.

Separar-se não quer dizer tornar-se inimigos. Às vezes precisamos nos apartar de alguém ou de algo antes que os conflitos se estabeleçam, ou, antes que os conflitos cresçam. Para isso, é preciso sabedoria e paz.

Outra coisa muito interessante é que Abrão deu a Ló, a preferência da escolha: “Se você for para a esquerda, eu irei para a direita; se você for para a direita, eu irei para a esquerda”. Abrão estava sendo sincero, humilde, sábio, pacífico, inteligente, e usando a visão, coisas que muitas vezes só alcançamos com o tempo e com a maturidade.

Ló olhou tudo e fez as escolhas dele. Já ouvi pregações condenando o Ló, onde os pregadores o acusavam de ganância pelas terras férteis, onde abundavam a água. Esse tipo de pregação está desconforme com o texto. Primeiro, porque Abrão lhe deu a opção de escolha, segundo porque gentes, animais, plantas… precisam de água para sobreviver. Ao dar-lhe o direito de escolha, Abrão estava sendo justo e ao mesmo tempo, ele sabia que se Ló escolhesse a terra fértil, ele, Abrão, teria que cavar os seus próprios poços. E foi assim. Abrão também sabia que aquelas terras (escolhidas por Ló), eram terras perigosas, portanto não estava tão inocente e nem foi enganado por Ló, como muitos pregadores dizem ou insinuam.

Por fim, o que esse texto nos mostra é que a paz deve ser a solução e a mediadora de todos os conflitos, e devemos enxergar longe, e nos antecipar, evitando problemas futuros. Mas, sobretudo, devemos ser sinceros e honestos com os nossos irmãos e amigos. Abrão já havia mentido lá atrás, no Egito, para salvar a própria pele, e com isso aprendera a ser sincero. Leia Gênesis capítulos 12-13, e reflita conosco no dia de hoje.

Tenham todos um dia maravilhoso, e que o Senhor abençoe e guarde a todos nós. Amém!

Austri Junior – Teólogo

Conheça A Lâmpada – Página do Blog no Facebook

Anúncios