Tags

Imagem

Feliz Ano Novo! Próspero Ano Novo! Assim estamos nos comunicando, nos felicitando, nos congratulando, nesses últimos dias que faltam para o fim do ano de 2011, e para a chegada do ano de 2012. Entretanto, o que é mesmo a felicidade? Cada um de nós tem a sua própria idéia do que seja a felicidade. Evidentemente, e com certeza, na maioria das vezes as nossas interpretações sobre a felicidade, vão convergir umas com as dos outros, como também, em alguns pontos elas divergirão entre si de acordo com a cosmo visão de cada indivíduo. A interpretação do que é a felicidade com certeza, também passa pela vivência religiosa, pois queiramos ou não, a experiência com o Sagrado e com o Divino, afeta o modo como cada um de nós fazemos as nossas leituras da vida, e isso influencia as leituras que fazemos dos fatos e dos mundos.
Fugindo à pieguice – essa sentimentalidade excessiva e afetada – que em geral costuma nortear algumas análises sobre a subjetividade do tema em questão, fui ao dicionário da língua portuguesa da FAE (Fundação de Assistência ao Estudante), para ver quais as definições propostas pelo dicionário em questão para o termo ‘FELIZ’.
Eis as definições apresentadas:
Feliz = Afortunado; próspero; satisfeito; ditoso; abençoado.
Achei muito interessante as definições para o termo feliz, então busquei também as definições para o termo ‘FELICIDADE’, pois algo ou alguém que é ou está feliz, está em um estado de felicidade.
Eis as definições do dicionário para o temo:
Felicidade = Ventura; contentamento; bem-estar; boa sorte.
Interessante, para definir um ser humano feliz, podemos dizer:
“Um ‘Abençoado’ em estado de ‘Contentamento’.”
Então, quando dizemos: ‘Feliz Ano Novo!’ Estamos desejando que aquela pessoa tenha um ano afortunado, próspero, satisfeito, ditoso, abençoado, e estamos dizendo: ‘Boa Sorte, Estejas Bem, Seja Contente, Bem Aventurado!’ 
Bem Aventurado! – Isso tudo me lembrou às Bem-Aventuranças em Mt 5. 1-10 (que vai até o Vs. 12).

1 – Vendo Jesus a multidão, subiu ao monte; e depois de se ter sentado, aproximaram-se seus discípulos;
2 – e ele começou a ensiná-los, dizendo:
3 – ‘Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos Céus.
4 – Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados.
5 – Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a Terra.
6 – Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos.
7 – Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia.
8 – Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus.
9 – Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus.
10 – Bem-aventurados os que têm sido perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus’ (Bíblia Almeida – Revista e Atualizada no Brasil).

Concluindo, quero esclarecer que a minha hermenêutica vê essa pregação do Senhor Jesus, como uma grande orientação para que os indivíduos exercitem em si a práxis ética e moral, para que possa fluir ‘mui bem’ o relacionamento inter pessoal para a construção de uma sociedade melhor e mais justa, pois em uma sociedade mais justa as pessoas são mais felizes, ou seja, ‘Bem Aventuradas!’ para uma vida feliz não basta apenas ter dinheiro, ter emprego, ter bens e investimentos… Essa em geral é a idéia que as pessoas têm da prosperidade, e hoje o que se vê são as pessoas ‘correndo atrás’ dessa prosperidade. Existem pessoas que estão pagando – literalmente – por essa prosperidade, e o que é pior: Estão pagando por essa prosperidade às igrejas, cujo dinheiro vai para o bolso dos ‘predadores do evangelho’.
Amados, o conceito do que realmente é a prosperidade – felicidade, bem-aventurança – vai muito além do dinheiro, e se tiver que pagar pela minha ‘prosperidade’, prefiro ir às casas lotéricas. Não estou dizendo que dinheiro não vale nada, muito menos estou aqui pregando a velha máxima que diz: ‘O dinheiro não trás a felicidade’. O dinheiro vale muito, e ajuda muito na felicidade, porém não é cerne dela. Para os fundamentalistas cito: ‘Porque o amor do dinheiro é a raiz de todos os males… ’ (1Tm 6.10 – Almeida Revista e Atualizada no Brasil).
É o amor ao dinheiro que é a raiz de todos os males, e não o dinheiro. O ‘amor’ descrito aqui nesse versículo é a ganância. Ter dinheiro é muito importante, é o dinheiro que paga as nossas contas, assim como garante a sobrevivência das instituições, inclusive a sobrevivência financeira das Igrejas. Ter trabalho também é muito importante, ele nos trás o dinheiro que garante a nossa sobrevivência financeira, e faz sentirmo-nos úteis, trazendo satisfação e bem-estar pessoal – quando gostamos do que fazemos, pois o salário sem o bem-estar (Bem Aventurança), só trás amargura e infelicidade. O Resultado disso são as murmurações, o mau humor, o stress, os conflitos pessoais e interpessoais principalmente no trabalho… Percebe como uma coisa está ligada à outra? Eu poderia ficar o dia inteiro aqui, diante do meu monitor com os dedos no teclado, e jamais esgotaria esse assunto hoje (e talvez nunca o esgotasse), também correria o risco de ser redundante, se já não estou sendo. Entretanto, penso que já deu para todos nós percebermos que ‘sem amor eu nada seria’.
Portanto, ao desejarmos ‘Feliz Ano Novo’, que a Bem Aventurança comece em mim e em você, pois o Reino dos Céus começa aqui na terra – o Reino dos Céus está em mim e em você. O Reino dos Céus está em nós! Como posso desejar às pessoas um ano bem aventurado, se não for sincero e do fundo do meu coração, sabendo realmente o que estou falando e desejando, e não apenas por cortesia, para ser simpático ou por interesses comerciais. Como posso desejar um ano bem-aventurado se não sou ou se não me sinto verdadeiramente bem-aventurado.
Para ser ‘Bem Aventurado’, eu preciso:
1 – Ter um espírito humilde;
2 – Chorar sinceramente pelos que não são afortunados, prósperos, satisfeitos, ditosos e abençoados;
3 – Ser manso;
4 – Ter fome e sede de justiça (ter fome e sede de justiça não é ser justiceiro nem vingativo)
5 – Ser misericordioso com todas as pessoas. Principalmente com os que não são afortunados, prósperos, satisfeitos, ditosos e abençoados;
6 – Ser limpo de coração;
7 – Ser um pacificador
E se você e eu somos perseguidos por causa da justiça, então somos ‘bem-aventurados’, por estarmos fazendo o que é certo, ou seja, estamos cumprindo com o maior dos mandamentos: Estamos amando o nosso próximo.
‘Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor’ (Almeida Revista e Atualizada no Brasil).
Ao desejarmos, hoje, amanhã, e depois, Feliz Ano Novo, ou um Próspero Ano Novo para alguém, façamos com com espírito humilde e de coração puro, ou seja, com Amor. E é nesse espírito e com esse coração que desejo à todos os meu amigos, à todos os seguidores do Blog Olhar Teológico, à todos os meus seguidores no twitter, e à todos os amigos do facebook um Próspero e
Feliz Ano Novo!
Anúncios