Maria Auxiliadora,
mulher forte,
que trabalha na lavoura;
na madrugada,
empunha a sua enxada…

Desce vales,
rompe matas margeadas por cascatas.
Caminha cantarolando melodias,
tendo como orquestra,
as águas que escorrem pelas pedras,
junto ao capoeirão.

Maria Auxiliadora,
que na hora da refeição
ingere farinha e feijão,
e, sem descanso labuta com muita disposição.

Maria Auxiliadora,
depois que o sol se esconde
deixa a lavoura com alegria,
chega em sua cabana e banha-se
com satisfação,
sobre o seu corpo, água e sabão.

Maria Auxiliadora,
vai à cozinha, cozinhar o pirão.
após o jantar,
fala com o João
sobre as coisas do seu coração.
Na varanda de tábua rústica,
eles se enroscam e se amam no chão.

(Mais um dia se foi, mais uma noite se passou, mais um dia virá. Maria Auxiliadora está feliz. Não fosse o cansaço, pediria bis).

Por Austri Junior – 1980
Anúncios