A nossa resposta será nas urnas!

É repugnante ver como os políticos brasileiros conduzem o nossos municípios, estados e o próprio país: sem ouvir a sociedade, empurrando de cima para baixo as suas decisões unilaterais. A conduta desses homens públicos, que deveriam ser transparente, são as mais encardidas possíveis. Estamos cansados de ver o nosso dinheiro indo pelo ralo, enquanto faltam investimentos significativos na saúde, na educação, e em politicas sociais de geração de emprego e renda.
O Aumento de salário para os parlamentares, assim como a ampliação do número de vereadores nas câmaras municipais, são a prova de que passou da hora de retribuir à esses “elementos”, o troco que eles merecem, nas urnas. Mas o que fazer quando a maioria da população é analfabeta politicamente e não sabe votar?
Ultimamente aqui no blogue, tenho batido na tecla que gira em torno da corrupção, do descaso político e do analfabetismo. Uma coisa está muito ligada a outra, e por incrível que pareça, o analfabetismo é fruto do descaso político, da corrupção, e sem dúvida, é também fruto do desinteresse pessoal dos cidadãos. As pessoas que não têm acesso a educação quando criança, e os jovens que não tiveram acesso a universidade, podem mudar essa realidade quando atingem a maturidade. Assim se deu comigo:  fiz o “supletivo” do segundo grau – EJA ENSINO MÉDIO – aos 40 anos e fiz faculdade de Teologia aos 44 anos de idade – nossa história deve escrita pelas nossas próprias mãos!
Passou da hora de escrevermos a história politica desse país maravilhoso, cujo povo simples e humilde sofre esquecido em sua miséria. Se existem os que não sabem votar, precisamos ensiná-los a dizer não à corrupção e aos corruptos nas urnas. Precisamos orientá-los quanto a necessidade de estudar para mudar o rumo da nação. Somente a educação e um nível maior de escolaridade pode mudar a direção, o rumo e a história da sociedade e da política brasileira.
Austri Junior
Anúncios